Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Jantar num novo espaço – Encontro 2010

Após o domingo, dia 28, com atividades de manhã e à noite, a manhã da segunda-feira do dia 29/Novembro foi folga para a maioria dos participantes do Encontro 2010. É que aconteceu a reunião dos Conselhos Geral e Permanente do Conselho das Comunidades Macaenses para eleição dos corpos sociais para o triénio 2010-2013, ano em que esperamos aconteça o próximo Encontro.

Não participei, pois não faço mais parte da direção da Casa de Macau de São Paulo. O presidente atual acabou acumulando as funções no Geral e Permanente e me substituiu no último Conselho. Quanto à segunda vaga da Casa no Geral, acabou permanencendo o representante anterior que hoje ocupa a vaga de vice.

Caso não saibam, no Geral, há revezamento de 3 cargos de vice-presidente entre as Casas e Associações, a cada mandato, não havendo necessidade de indicações ou eleições. Tal operacionalidade foi acertada em 2007 para evitar polémicas.

Quanto ao Permanente, o presidente eleito indica a sua equipe que é submetida individualmente à aprovação por todos os membros. E assim, foram reeleitos os membros da gestão anterior, bem como dos Conselhos, com uma ou outra desistência.

Quanto aos nomes dos eleitos em cada área, lêem no jornal do dia-a-dia do Encontro cujos links estão na capa do Projecto Memória Macaense.

Ainda de manhã foi realizada uma visita guiada aos principais pontos turísticos do centro, que bem serviu a quem não conhecia bem Macau e conhecer a história de cada local.

Depois às 4 da tarde estava marcada a tradicional fotografia em grupo nas Ruínas de São Paulo. O Chefe do Executivo esteve lá para prestigiar esta tradição. E, sempre é uma festa, com muita animação e as bandeiras das Casas sendo agitadas para alegrar ainda mais. O nº pessoas que você vê na foto oficial não espelha o total dos participantes do Encontro, talvez 1/3 ou menos. Seria bom se houvesse uma maior adesão das pessoas, afinal toma pouco tempo.

Bom, à noite então aconteceu o jantar oferecido pelo Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, no Grand Ballroom do Hotel Gran Hyatt. Um lugar monumental na área do City of Dreams localizado no complexo de casinos na Taipa, vizinho do Venetian. É muito luxo, demais! Parece um mundo de fantasia, tal como sugere o nome acima. Como os recepcionistas do hotel foram muito simpáticos, enfileirados com o welcome na boca, vou avaliar se lá me hospedarei na minha próxima visita a Macau. Deve custar apenas uns centavos a mais que o Sintra … hehehe!!!

O salão estava lotado de gente e como é grande o local, embora ligeiramente menor que o espaço do Venetian. O atendimento na mesa estava ótimo e a comida muito boa, embora a variedade era mais discreta.

Pena que quando estava na fila com o meu prato, acontecia um belo show da Casa de Portugal em Macau (?), com um grupo de jovens (mas jovens mesmo, sem maquiagem), e só deu tempo para correr até o palco e tirar umas fotos e filmar um pouco. Afinal de contas, sou um meio repórter e blogueiro, mas também sou filho de Deus e romeiro do Encontro, e preciso me alimentar.

Mas antes houve um apresentação de dança chinesa com aqueles panos longos e coloridos, além de leques. Como adoro estas sensíveis apresentações chinesas!

Depois veio o Elvis de Macau, o Rudy Souza, com um belo traje e uma aparência cada vez mais Elvis. O Rudy me cumprimentou do palco com um aperto de mão e dedicou-me uma canção, enquanto estava lá a filmar e fotografar o seu show. Com toda a justiça pelo seu talento, fiz um artigo sobre ele no Jornal Tribuna de Macau, que saiu pouco antes do Encontro, e ele sentia-se agradecido pelo meu trabalho. Mas não precisa se preocupar com isso Rudy, você merecia que alguém falasse de você, mesmo que eu estivesse do outro lado do mundo, no Brasil.

Interessante que vi o Rudy mais solto e mais apreciado. O seu repertório estava ótimo além do seu desempenho on stage. Rosas jogadas para o palco e exclamação “we love you” ouvia-se de uma mesa próxima. Depois do show o Rudy ainda foi à mesa de honra para brindar, inclusive com o Governador Rocha Vieira, que marcou novamente a sua presença em outro evento do Encontro. Ele até foi à minha mesa para este brinde, mas infelizmente eu estava registando a apresentação da Ramana Vieira.

A Ramana é uma portuguesa nascida em Califórnia, uma fadista por excelência. Trazia consigo uma composição sua “Macau My Heart”, além de cantar uma canção em patuá. Mas o que me impressionou mais da Ramana foi o seu profissionalismo e respeito ao compromisso assumido. Foi requisitado um piano para que ela tocasse e cantasse, pois não trouxe a sua banda e a apresentação em conjunto com a Tuna Macaense aconteceria apenas num outro dia. Como não conseguiu ser disponibilizado o piano, ela não desistiu e cantou sem acompanhamento musical. Somente a sua voz! Bela e possante voz! Foram 3 músicas ainda por cima. Até queria saber quantos artistas aceitariam fazer isso! No final, fiz questão de cumprimentá-la pela coragem e acho que o público deveria aplaudi-la de pé.

E, quando terminado os 4 shows, número igual do jantar de abertura do Encontro, eu ainda procurando comer a sobremesa, tive que abandoná-la pois os autocarros/onibus já estavam aí para levar a gente toda de volta aos hotéis. A sobremesa ficou na saudade! Foi um evento rápido, pois durou cerca de 3 horas.

Até agora já colecioneis bons videos musicais, entre eles, as apresentações da Elsa Denton e do Elvis. Espero poder disponibiliza-los no YouTube e até para alguma divulgação, porém sem fins comerciais e nada com resultados financeiros. Just for fun e para a justa promoção dos artistas, sob a sigla Projecto Memória Macaense.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 30/11/2010 por em Encontro-Macau-2010 e marcado .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.317.794 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Foi graças a um dvd distribuído por um dos seus filhos, que possibilitou ao Projecto Memória Macaense – PMM montar diversos vídeos filmados por Hércules António que nos trazem velhas e memoráveis lembranças daquela Macau antiga que mora no coração dos macaenses e daqueles que tiveram vivência no território. Os vídeos publicados no YouTube nos […]

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

No livro “Meio Século em Macau” de J. J. Monteiro (José Joaquim Monteiro) composto por dois volumes, nas últimas páginas do Volume II estão as letras da canção “Macau (linda)”, que infelizmente não temos a gravação e nem se sabe se houve, talvez nos arquivos pessoais de algum macaense ou familiares. Trata-se de uma música […]

Brasão de Armas de Macau

Brasão de Armas de Macau

Os Brasões de Macau portuguesa são todos inspirados nos estilos heráldicos tradicionais da Europa. O primeiro brasão de armas de Macau foi usado até ao final do século XIX. É apenas constituído pelas armas de Portugal cercado pela inscrição Cidade do Nome de Deus, Não Há Outra Mais Leal. O segundo brasão de armas foi […]

%d blogueiros gostam disto: