Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Zu Lai, onde fica este templo chinês?

Para quem não conhece, eis a pergunta: fica China, Taiwan, sei lá, no Japão ??? Talvez Singapura (Cingapura), Camboja ???

(clicar nas fotos para aumentar) – fotografia de Rogério P.D. Luz, autor deste blog

E, como disse, para quem não saiba ou nunca ouviu falar dele, talvez deva ter suspeitado que ficasse no Brasil, já que o autor mora por aqui.  Pois bem, acertou, mais exatamente fica no município dessa metrópole multi-cultural de São Paulo.  O Templo budista Zu Lai fica entre o Km 28 a 29 da Rodovia Raposo Tavares, sentido Interior, já próximo do município de Cotia. Próximo do local, há placa na estrada a indicar qual a Saída. Com bom trânsito, no fim de semana, chega-se lá em mais ou menos 1/2 hora partindo da Av. Paulista, a 30 e poucos kms. Conheça a sua história:

Zu Lai (em chinês, 如来) é o maior templo budista da América Latina.

Com raíz no Budismo Mahayana, o Templo Zu Lai tem como objetivo manter a tradição da natureza búdica, deixando-a ao alcance de todos. Seus frequentadores utilizam os ensinamentos do Budismo Humanista com o objetivo de ensinar os princípios do Monastério Fo Guang Shan, divulgando o Budismo através da Educação, Cultura, Beneficência Social e Purificação Espiritual.
Em 1992 o Mestre Hsing Yün veio ao Brasil, a convite de um templo de São Paulo, para uma cerimônia. Um discípulo presente perguntou-lhe se não poderia deixar um monge de sua comitiva no país para que os ensinamentos tivessem continuidade. A Monja Chueh Cheng se dispôs a ficar e iniciar os projetos, ganhando posteriormente o nome Mestra Sinceridade.
O discípulo que pediu ao Mestre que deixasse um monge no Brasil doou uma casa em um sítio para que os trabalhos fossem realizados. Não muito pequena, tornou-se um espaço para as cerimônias, cultos e ritos.
Quatro anos mais tarde o número de seguidores passava de cem, o que levou a necessidade de se ampliar o espaço. Apesar da reforma feita, o local ainda não apresentava condições para abrigar os seguidores, então optou-se pela construção de um templo maior.
Como os arquitetos brasileiros envolvidos no projeto não conheciam a arquitetura de um templo, a Mestra Sinceridade montou uma equipe que viajou à China com o objetivo de conhecer os templos da Dinastia Tang.
Depois de muitas reuniões, a pedra fundamental foi lançada em 1999. Entretanto, como as telhas e o parapeito do templo precisavam ser importadas da China, já que na época ninguém no Brasil fazia este tipo trabalho, os recursos foram insuficientes para que as obras tivessem início imediato, o que adiou a inauguração do Templo Zu Lai para Outubro de 2003.
“Zu Lai” provém da tradução, do chinês para o português, de um termo que significa tathagatha (um dos epítetos de Buda). *fonte: Wikipédia

site do Templo Zu Lai: http://www.budanet.org.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.425.780 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: