Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Conheça a nova Cúpula do Santuário de Nossa Senhora Aparecida e as pinturas dos 4 pilares

Inaugurada em 11 de outubro de 2017, no dia anterior à data que celebra os 300 Anos do Encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil, a Cúpula Central do Santuário foi aberta para visitação pública permitindo apreciar de perto o novo revestimento que tem no centro um grande pássaro que corresponde ao Espírito Santo.

Do alto, pode-se ver de outro ângulo as novas pinturas das quatro colunas centrais que sustentam a cúpula, cujo conjunto é chamado de baldaquino, que já tinha sido inaugurada por completo na missa da quarta-feira de cinzas em 1º de março de 2017.  A fauna brasileira está retratada no desenho colorido com pássaros, tal como a arara, e as aves representam a figura dos devotos que são acolhidos no Santuário.

De acordo com o site oficial do Santuário – A12: “a arte sacra desse espaço transmite Deus, que se reflete na própria natureza, primeiro elemento de santidade do mundo. “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.” (João 1, 3-4). A Árvore da Vida na Cúpula sob o Altar Central traz em sua arte, a representação do centro da fé dos cristãos, que é Jesus, por isso tem como extensão a cruz vazada, com 8 metros de altura, simbolizando o caule ou grande tronco dessa árvore”.

O projeto da obra é de autoria de Cláudio Pastro, falecido em 2016, que foi um dos maiores artistas sacro da atualidade. Ainda de acordo com o A12:Responsável pela preparação do maior Santuário mariano do mundo, Claudio Pastro esteve à frente da concepção artística, criação de painéis, vitrais e tantas obras da Basílica de Aparecida desde 1999. Entre tantas obras é autor do Nicho que abriga a imagem de Nossa Senhora Aparecida e da Medalha dos 300 anos”. Toda a obra só foi possível com a ajuda das contribuições dos devotos.

“Fotografia e edição de/photos by Rogério P D Luz (RPDLuz)”

Visita à Cúpula Central

O custo da obra girou em torno de R$ 6 milhões, e só foi possível, graças às doações dos devotos. A cúpula, de 123 toneladas e com 5 milhões de pastilhas, começou a ser construída em 2012. Os mosaicos foram produzidos em Veneza (ITA) com pássaros da fauna brasileira e uma árvore que representa a parábola da semente de Mostarda retratada no evangelho de Mateus.

No centro um pássaro que corresponde ao Espírito Santo

O acesso, pago, ao topo é feito por um elevador. Passa-se antes por um corredor com exposição dos 300 Anos, que tem entre os diversos itens, os mantos usados durante as visitas jubilares de Nossa Senhora Aparecida nos estados brasileiros, o carimbo comemorativo e os frascos com as terras de todas as capitais. Impressiona também ver a estrutura do teto de uma ala da basílica, uma obra monumental.

O custo da entrada inteira (há meia entrada) era de R$ 10,00 (em novembro/2017) que servem para auxiliar a pagar os custos e a manutenção do local. Entenda que a sua contribuição voluntária ajuda a manter e pagar os altos custos do Santuário e toda a sua infraestrutura que recebe milhões de peregrinos e devotos todos os anos. Por isso, se puder (a Igreja Católica não institui contribuição compulsiva sob qualquer título), participe da Campanha dos Devotos, faça sua doação, acessando o site oficial A12 neste link: http://www.a12.com/cadastro/faca-sua-doacao

(clicar nas fotos menores para ampliar)

O corredor circular em torno da cúpula para circulação dos visitantes é protegido por uma parede de vidro. Pode-se ver em três trechos da parede projetada para fora, o altar central da basílica. No momento da nossa visita era celebrada a missa das 16:00 horas de uma terça-feira de dia útil da semana. Não utilize “pau de selfie” que o celular/telemóvel pode cair do alto e machucar alguém lá embaixo, até o celebrante da missa. Você já é alertado na entrada.

 

Pastilhas que forram o corredor

A vista dos painéis do baldaquino. Nas colunas que sustentam a cúpula estão representadas a fauna, a flora e as etapas da vida humana.  Nesse conjunto artístico, o peregrino contempla o Paraíso que Deus criou para a humanidade habitar, local de tranquilidade e paz (A12.Com)

No Baldaquino, Pastro quis representar a rica biodiversidade brasileira e evidenciar a grande Criação, que se manifesta para adorar o Senhor no Altar da Consagração. O Baldaquino apresenta o ser vivente, os anjos, um vasto número de espécies de plantas, ipês e animais dos diversos biomas brasileiros, representados em diferentes fases de desenvolvimento. A arte sacra, representada no Baldaquino e na Cúpula Central, antecipa, no tempo presente, um vislumbre da Jerusalém Celeste. Sua temática está em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano, cujo tema é Biomas Brasileiros e defesa da vida e lema, Cultivar e guardar a criação. (Texto de: A12.Com)

Também pode-se apreciar os vitrais e outros desenhos da cúpula pouco visíveis do térreo

Painéis no corredor interno contam a história dos desenhos e do autor Cláudio Patro

Vistas do térreo da cúpula central e do baldaquino

  • Fontes de consultas e textos: A12-site oficial do Santuário / GaudiumPress / Jornal Cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.082.445 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Missa e Te-Deum no Encontro das Comunidades Macaenses-Macau 2019

Missa e Te-Deum no Encontro das Comunidades Macaenses-Macau 2019

Como já vem acontecendo nos Encontros das Comunidades Macaenses realizadas em Macau, o programa de 2019 incluía uma missa e Te-Deum na Sé Catedral que foi celebrada no dia 26 de Novembro às 18:00 horas pelo Bispo de Macau, D. Stephen Lee Bun-sang. Uma celebração religiosa e ação de graças para agradecer por mais uma […]

O hotel em Macau que é uma galeria de arte

O hotel em Macau que é uma galeria de arte

O Hotel Casino (Cassino) Lisboa, de Macau, inaugurado em 3 de Fevereiro de 1970, seis anos após o início das obras em 1964, o primeiro dos tempos modernos do outrora território português na China por cerca de 440 anos, e devolvido para a China em 1999, é por excelência uma galeria de arte com peças […]

Num período de 52 anos, três encontros de amigos macaenses

Num período de 52 anos, três encontros de amigos macaenses

O macaense Carlos Cordeiro, hoje residente no Canadá, enviou ao autor deste blog, três fotos que espelham bem o convívio dele com dois amigos macaenses: Fernando Placé e José (Zé) Cabral, num período de 52 anos, de 1967 a 2019. Interessante ver o cuidado de fotografar o momento na mesma posição da foto original de […]

%d blogueiros gostam disto: