Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Plaza de Mayo, a principal atração turística de Buenos Aires, na Argentina, em detalhes

Quem visita Buenos Aires, capital da Argentina, fatalmente irá passear na Plaza de Mayo (ou Praça de Maio) seja pela primeira vez ou não, pois além de ser um lugar aprazível, lá tem vários prédios de significado histórico, especialmente a Casa Rosada, sede da presidência, e a Catedral Metropolitana onde o Papa Francisco era arcebispo.

Comparada com a última vez que visitamos a cidade portenha, em 2015, através do cruzeiro marítimo pelo MSC Poesia, e desta vez pelo Costa Fascinosa em 2020, surpresa agradável foi ver a praça bem limpa. Já tinham nos avisado que Buenos Aires também está toda assim, um incrível trabalho das autoridades competentes e a conscientização da população. Se a cidade já era a Europa na América do Sul, agora somou a a limpeza ao título. Gostamos muito!

Vamos conhecer os detalhes da praça, seus monumentos e os prédios históricos, no histórico da Wikipédia e item por item:

Casa Rosada

PLAZA DE MAYO DE BUENOS AIRES

texto editado da Wikipédia e fotografias de/photos by Rogério P D Luz

A Praça de Maio (em castelhano Plaza de Mayo) é a principal praça do centro da cidade de Buenos Aires, Argentina. A Praça sempre foi o centro da vida política de Buenos Aires, desde a época colonial até a atualidade. Seu nome comemora a Revolução de Maio de 1810, que iniciou o processo de independência das colônias da região do sul da América do Sul.

 

Plaza de Mayo, Buenos Aires

Características

A Praça de Maio encontra-se no chamado microcentro portenho, no bairro de Monserrat. Tem forma aproximadamente retangular e está delimitada pelas ruas Hipólito Yrigoyen, Balcarce, Bernardino Rivadavia e Simón Bolívar. Da praça saem avenidas de grande importância como a Avenida de Maio, que liga a Praça de Maio à Praça do Congresso, e as avenidas Diagonal Sur (Avenida Presidente Julio A. Roca) e Diagonal Norte (Avenida Roque Sáenz Peña). Três linhas do Metrô de Buenos Aires tem estações na Praça ou próximo a ela: Plaza de Mayo (línea A), Catedral (línea D) e Bolívar (línea E), o que, junto com as várias paradas de ônibus (autocarros), conectam a praça com toda a cidade.

Ao seu redor encontram-se vários dos principais monumentos da cidade, como o Cabildo histórico, a Casa Rosada (sede do Poder Executivo da Argentina), a Catedral Metropolitana de Buenos Aires, o edifício do Governo da cidade de Buenos Aires e a casa central do Banco Nación.

A Praça de Maio tem sua origem na Plaza Mayor criada quando da fundação definitiva da cidade por Juan de Garay, em 1580. Nessa época, a área da praça era metade da atual e estava composta apenas pelo setor oeste da praça, onde hoje estão o Cabildo e a Catedral. O setor leste foi reservado para a construção do forte da cidade, que acabou sendo construído mais próximo ao rio da Prata, onde hoje se encontra a Casa Rosada. A metade leste da área, em frente ao forte, foi ocupada no século XVII pelos jesuítas, que ali levantaram uma capela e outros edifícios. Estes foram demolidos mais tarde, dando origem à Plaza de Armas, utilizada para exercícios militares, enquanto que a metade oeste era chamada Plaza Mayor ou Grande. Esta última passou a ser chamada Plaza de la Victoria (Praça da Vitória) após as escaramuças contra os invasores ingleses que tentaram tomar a cidade em 1806 e 1807.

Casa Rosada

  • Casa Rosada é a sede da presidência da República Argentina, em Buenos Aires, assim chamada pela cor aproximadamente rosa. Abriga também o Museu da Casa do Governo, com material relacionado aos presidentes do país. Possui fama internacional por ter sido palco de importantes manifestações políticas e também artísticas. Por exemplo, várias cenas dos filmes “A História Oficial” e “Evita” foram gravadas na praça e nas sacadas do palácio. O palácio é famoso pelo seu grande acervo de pinturas e esculturas, além da sua arquitetura.

Ainda no século XVI foi construída junto à Praça Maior a igreja matriz da cidade, transformada em catedral a partir de 1620 e reedificada várias vezes (o atual edifício data da segunda metade do século XVIII). Outro importante edifício colonial da praça ainda existente é o Cabildo de Buenos Aires, edifício destinado à administração metropolitana inaugurado em 1740.

Cabildo (à direita), Plaza de Mayo, Buenos Aires

  • Cabildo era uma corporação municipal instituída na América Espanhola durante o período colonial que se encarregava da administração geral das cidades coloniais.

Século XIX

A 25 de maio de 1811, um ano após a Revolução de Maio, foi decidido comemorar a data com um monumento público. Levantou-se assim um obelisco no centro da Praça da Vitória, conhecido como Pirámide (Pirâmide) de Maio. Este monumento foi reformado em 1856 pelo artista argentino Prilidiano Pueyrredón, que revestiu a pirâmide e a base com argamassa e adicionou relevos decorativos. O escultor francês Joseph Dubourdieu foi o autor da estátua da liberdade que coroa a pirâmide, além de outras estátuas ao redor do monumento que foram posteriormente retiradas. Em 1912 o monumento foi transladado até o centro da Praça de Maio, onde se encontra atualmente.

  • O Pirámide de Mayo, localizado no centro da Plaza de Mayo, é o mais antigo monumento nacional da cidade de Buenos Aires. Sua construção foi encomendada em 1811 pela Primera Junta para comemorar o primeiro aniversário da Revolução de Maio. 

Em 1873 foi inaugurada a estátua equestre de Manuel Belgrano, atualmente localizada em frente à Casa Rosada.

  • Manuel José Joaquín del Sagrado Corazón de Jesús Belgrano, herói da independência política argentina nascido em Buenos Aires, cuja atuação foi de fundamental importância para a independência da Argentina. Foi o autor da bandeira da Argentina.

Bandeira da Argentina

  • bandeira da Argentina é um dos símbolos oficiais da República Argentina, juntamente com o Laço Nacional, o Escudo da República e o Hino Nacional. A atual versão da bandeira foi concebida por Manuel Belgrano com base no laço nacional e foi apresentada primeiramente em 1812 como símbolo da Guerra da Independência. A Bandeira nacional foi aceita oficialmente em 1816, no ato de ratificação da Declaração de Independência. Conhecida como “Celeste”, devido a cor azul de “um céu durante o dia nos ângulos normais de visada”, é dividida em três faixas horizontais com o “Sol de Maio” ao centro.

O forte da Buenos Aires colonial continuou a ser utilizado como sede de governo após a independência. Na década de 1850 foi parcialmente demolido, sobrando em seu lugar um edifício antigo que continuou sendo sede de governo. Na área do forte foi ainda construída uma nova alfândega (Aduana Nueva) e o edifício dos Correios (1873). Na década de 1880 foi reformada a sede de governo num estilo semelhante ao dos correios, e em 1898 ambos edifícios foram unidos por um pórtico monumental da autoria de Francesco Tamburini, dando origem à atual Casa Rosada.

Século XX

Em 1942 a praça foi declarada Lugar Histórico.

Significado

Durante séculos, a Praça de Maio reuniu ao seu redor importantes instituições como o Cabildo – sede da administração na época da colônia – e o Forte de Buenos Aires, substituído depois pela Casa Rosada – sede de governo colonial e mais tarde da República Argentina. Por isso, a praça sempre foi o epicentro de acontecimentos de grande importância para a cidade e o país. O próprio nome da praça comemora a Revolução de 25 de Maio de 1810, quando os habitantes mais destacados da cidade reunidos no Cabildo de Buenos Aires decidiram não mais obedecer ao governo espanhol, à época dominado pelas forças de Napoleão. Essa revolução foi o prenúncio da independência definitiva do país, declarada em 1816 em San Miguel de Tucumán.

Em 17 de outubro de 1945, as mobilizações populares organizadas pela CGT e Eva Perón terminaram com a libertação de Juan Domingo Perón, que mais tarde seria eleito presidente da Argentina. Desde então, o movimento peronista se reúne anualmente na Praça de Maio para celebrar.

Desde a década de 1970 as Mães da Praça de Maio se reúnem com fotos de seus filhos desaparecidos pelos militares durante a ditadura argentina.

Símbolo das Madres de Plaza de Mayo (pinturas no chão)

  • As Mães da Praça de Maio (em espanhol, Asociación Madres de la Plaza de Mayo) é uma associação argentina de mães que tiveram seus filhos mortos ou desaparecidos durante o governo militar que governou o país entre 1976 e 1983. Elas se organizaram tentando descobrir o que ocorreu com seus filhos e começaram a fazer passeatas em 1977 na Praça de Maio, em Buenos Aires, em frente a Casa Rosada, a sede do governo argentino.

O povo argentino foi a Praça mais uma vez em março de 1982, para exigir o fim da governo militar, e novamente em 2 de abril do mesmo ano, para celebrar o general e presidente Leopoldo Galtieri, que havia decidido ocupar as Ilhas Malvinas, dando começo assim a Guerra das Malvinas.

A Praça de Maio também foi cenário dos conflitos sociais ocorridos em 19 e 20 de dezembro de 2001 que levaram à renúncia do presidente Fernando de la Rúa.

MAIS IMAGENS EM DETALHES

Casa Rosada

Casa Rosada

Casa Rosada

Jefatura de Gobierno de la Ciudad

Em sistemas presidencialistas, o Chefe de Estado (normalmente chamado de presidente) ocupa também a Chefia de Governo. O poder executivo da Cidade Autônoma de Buenos Aires , chamado Governo da Cidade de Buenos Aires (GCBA) ou Chefe de Governo da Cidade de Buenos Aires , é exercido por um chefe de governo eleito pelo voto popular em uma rodada dupla , cuja o mandato é de quatro anos e com possibilidade de reeleição consecutiva por apenas mais um período.

Jefatura de Gobierno de la Ciudad ao lado do Cabildo

Museo del Antiguo Recinto del Congreso Nacional

  • Museu do Gabinete Velho do Congresso Nacional – A Academia da História, encarregada da preservação do Antigo Recinto do Congresso Nacional, está situada no edifício, de marcada influência italiana, no qual antigamente funcionara o Poder Legislativo, em frente à Casa Rosada na Plaza de Mayo. Neste edifício, obra de Jonás Larguía, um dos primeiros arquitetos argentinos funcionaram as Câmaras de Deputados e Senadores de 1864 a1905. O exterior foi remodelado, porém no interior se preservam o estrado e mobiliário originais, as antigas lâmpadas de cairel e a decoração das galerias. Em 1948 foram restauradas as salas de sessões. A tarefa esteve a cargo do arquiteto Estanislao Pirovano. Atualmente, este edifício abriga a Academia Nacional da História, e o Museu do Antigo Recinto do Congreso Nacional. A partir 1906, a sede do Poder Legislativo da Nação está localizada na esquina das Avenidas Entre Ríos e Rivadavia, defronte à Praça dos Dois congressos.

Museo del Antiguo Recinto del Congreso Nacional (prédio à esquerda)

Troca da Guarda da Casa Rosada

Foto feita às 11:25 horas numa 5ª feira

Sede do Banco de la Nación Argentina

  • O Banco de la Nación Argentina, estatal, foi fundado em 18 de outubro de 1891 por iniciativa do presidente Carlos Pellegrini e mediante a Lei Nº. 2.841.

    Sede do Banco de la Nación Argentina (o primeiro à esquerda)

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

  • A Catedral Metropolitana de Buenos Aires é a principal igreja católica em Buenos Aires, a igreja-mãe da Arquidiocese de Buenos Aires. Foi reconstruída diversas vezes desde suas origens humildes no século XVI. O prédio atual é uma mistura de estilos arquitetônicos, com uma nave e uma cúpula do século XVIII e uma severa fachada neoclássica do século XIX, sem torres. O interior mantém estátuas preciosas do século XVIII, bem como retábulos, bem como uma rica decoração neo-renascentista e neobarroca. No seu interior se localiza o túmulo de José de San Martín. Teve como arcebispo, o cardeal Jorge Mario Bergoglio, eleito em 13 de março de 2013 o Papa Francisco.

 

Cabildo de Buenos Aires

  • Cabildo era uma corporação municipal instituída na América Espanhola durante o período colonial que se encarregava da administração geral das cidades coloniais. O Cabildo (Cobselho) de Buenos Aires durante a época colonial, o edifício foi sede do cabildo encarregado de representar a cidade frente à metrópole, com várias funções jurídicas e administrativas, além de servir de prisão. Foi no cabildo da cidade que foi declarada a Revolução de Maio de 1810, primeiro passo da independência de vários países da região platina.

    Cabildo (prédio à esquerda)

    Pirámide de Mayo

Pirámide de Mayo

Estátua equestre de Manuel Belgrano

Bandeira da Argentina

  • De autoria de Manuel Belgrano

BANCO BBVA

  • BBVA Banco Francés é a entidade financeira privada da República Argentina mais antiga em funcionamento.

IMEDIAÇÕES DA PLAZA DE MAYO

VISTA GERAL DA PLAZA DE MAYO

Museo del Antiguo Recinto del Congreso Nacional (prédio no centro atrás do mastro))

  • Textos didáticos editados da Wikipédia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.141.625 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Em 2007, visitei o Museu do Grande Prémio de Macau e lá fiz várias fotos. Nesta postagem, o assunto é o piloto Rodolfo Ávila. Venha conhecê-lo melhor. Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz Texto extraído da enciclopédia livre – Wikipédia Rodolfo Freitas Silvério de Abreu Ávila nasceu em Lisboa no dia 19 […]

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A foto da estátua Ferreira do Amaral, em Macau, foi objeto de indagação feita ao autor deste blog por MJ Raydor no Facebook, que queria saber da sua história. Por desconhecê-la, coube ao Carlos Dias dar a resposta abaixo com publicação de uma imagem: “Tratava-se da Comissão Organizadora das comemorações de 102º. aniversário da Tomada […]

Em Macau, celebração diferente do 13 de Maio Dia de Nossa Senhora de Fátima em 2020 devido à pandemia

Em Macau, celebração diferente do 13 de Maio Dia de Nossa Senhora de Fátima em 2020 devido à pandemia

Por medidas de precaução em função da pandemia do novo coronavírus Covid-19, a celebração do Dia de Nossa Senhora de Fátima, no dia 13 de Maio, foi diferente no mundo todo. Até que em Macau a celebração contou com a participação limitada de fiéis na missa realizada na Igreja de São Domingos, mais que no Santuário […]

%d blogueiros gostam disto: