Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Catedral Metropolitana de Buenos Aires e sua ligação com o Papa Francisco

A fachada do prédio de estilo final neoclássico é diferente de tradicionais igrejas católicas, parecendo mais um templo grego.

Em Fevereiro de 2020, voltamos a visitar Buenos Aires, porto de parada do cruzeiro marítimo, a antepenúltima viagem do navio Costa Fascinosa, antes da suspensão devido à pandemia que assolou o mundo todo. Nas nossas visitas à capital portenha, a Plaza de Mayo, incluindo a imponente Catedral Metropolitana de Buenos Aires fazem sempre parte do nosso roteiro para orações e pela ligação do templo com o Papa Francisco, na época Cardeal Jorge Mário Bergoglio, que era arcebispo de Buenos Aires e encarregado da Arquidiocese com seu escritório ao lado do templo, antes de assumir como Sumo Pontífice.

Vamos conhecer a história da Catedral com 69 fotos que explicam todos detalhes:

CATEDRAL METROPOLITANA DE BUENOS AIRES

Texto da Wikipédia e fotos de/photos by Rogério P D Luz

Cartaz na entrada da Catedral conta a trajetória do Cardeal Jorge Maria Bergoglio até ser eleito Papa Francisco. No seu interior há um museu em homenagem ao Papa expondo objetos pessoais e litúrgicos utilizados durante os 15 anos do seu ministério pastoral na Cidade.

A Catedral Metropolitana de Buenos Aires é a principal igreja católica em Buenos Aires, capital da Argentina. Localiza-se no centro da cidade, diante da Praça de Maio, na esquina das ruas San Martín e Rivadavia, no bairro de San Nicolás. É a igreja-mãe da Arquidiocese de Buenos Aires.

A Catedral de Buenos Aires foi reconstruída diversas vezes desde suas origens humildes no século XVI. O prédio atual é uma mistura de estilos arquitetônicos, com uma nave e uma cúpula do século XVIII e uma severa fachada neoclássica do século XIX, sem torres. O interior mantém estátuas preciosas do século XVIII, bem como retábulos, bem como uma rica decoração neo-renascentista e neobarroca e também se localiza o túmulo de José de San Martín.

O chão foi desenhado no ano 1907 e fabricado na Inglaterra com mosaico veneziano.

A Arquidiocese de Buenos Aires (Archidiœcesis Bonaërensis, em latim) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica sediada em Buenos Aires, na Argentina. Seu antigo arcebispo, o cardeal Jorge Mario Bergoglio, foi eleito em 13 de março de 2013 o Papa Francisco. Seu atual arcebispo metropolitano é Mario Aurelio Poli. Possui onze dioceses sufragâneas: Avellaneda-Lanús, Gregorio de Laferrere, Lomas de Zamora, Merlo-Moreno, Morón, Quilmes San Charbel, San Isidro, San Justo, San Martín, San Miguel e Santa María del Patrocinio.

Construção acidentada

Texto do website governamental – Turismo Buenos Aires (@travelBuenosAires)

A primeira construção, em 1593, foi uma capela de taipa. Desde aquele momento até nossos dias, houve neste lugar seis edifícios diferentes, os quais tiveram de ser restaurados por danos causados por enchentes, incêndios, a precariedade dos materiais e defeitos estruturais. A construção definitiva começou em 1752 com a direção do arquiteto italiano Antonio Masella e foi terminada em 1852, mas sua decoração foi concluída somente em 1911. A  estrutura final é neoclássica e tem um perfil pouco usado nas catedrais, deixando-a mais parecida com um templo grego que o clássico edifício católico.

Em 1822, os franceses Próspero Catelin e Pedro Benoit desenharam a fachada, cujas 12 colunas simbolizam aos doze apóstolos de Jesus. No interior tem naves, capelas laterais e um cruzeiro instalado debaixo de uma majestosa cúpula de 41 metros de altura. Outro detalhe de importância é a ornamentação da fachada, realizada em 1860 pelo escultor francês Joseph Dubourdieu, autor da figura que se encontra na cúspide da Pirâmide de Maio, e que realizou o baixo-relevo do frontispício, que representa o encontro de Jacó com seu filho José no Egito.

Finalmente, em 1877 o arquiteto Enrique Alberg reformou uma nave lateral para dar lugar ao mausoléu do General José de San Martín, obra do escultor Albert Ernest Carrier-Belleuse. As catorze figuras da Via Crucis são obra do italiano Francesco Domenighini, que originariamente se encontravam na Iglesia del Pilar. O altar mor, dourado e de grandes proporções, impõem-se como o ponto mais destacado do centro. Em 1942, a Catedral Metropolitana foi declarada Monumento Histórico Nacional e é considerada uma das obras arquitetônicas mais importantes da época da Colônia.

Arquidiocese do Papa Francisco

A Catedral funciona também como museu de honra ao Papa Francisco, pois desde 1998 e até sua consagração como Sumo Pontífice em 19 de março de 2013, Jorge Bergoglio foi Arcebispo de Buenos Aires e o encarregado de conduzir a Arquidiocese. Ali, o visitante poderá encontrar objetos pessoais e litúrgicos que foram utilizados pela pastoral na cidade durante seu Ministério.

A Catedral e suas capelas laterais

As 12 colunas da fachada simbolizam os doze apóstolos de Jesus e foram desenhadas em 1822 pelos franceses Próspero Catelin e Pedro Benoit. Na frente da Catedral, a escultura em baixo-relevo do francês Joseph Dubourdieu representando o encontro de Jacó e seu filho José no Egito.

Plaza (praça) de Mayo. A Catedral fica na esquina das ruas San Martín e Rivadavia, no bairro de San Nicolás.

A imagem no altar-mor é de Nossa Senhora de Imaculada Conceição. A padroeira da Argentina é Nossa Senhora de Luján

Santa Rosa de Lima

As catorze pinturas da Via Crucis são uma obra do italiano Francesco Domenighini

Capela de São Luís Gonzaga

Capela de San Juan Nepomuceno

José Gabriel del Rosario – Santo Cura Brochero

Capela do Sagrado Coração de Jesus

Altar do Santíssimo Sacramento (a foto foi feito à distância com teleobjetiva, fora da capela, em respeito ao silêncio e respeito ao espaço sagrado)

Altar com uma imagem conhecida como “Santo Cristo de Buenos Aires” trabalhada em madeira de algarrobo.

Capela de São José

Capela de Nuetra Señora del Carmem, com a imagem com manto azul de Nossa Senhora de Luján, padroeira da Argentina

Capela de Santa Teresa d’Avilla

Mausoléu do General José de San Martín

O mausoléu do general José de San Martín, herói nacional, conhecido como “El Libertador”, é de autoria do escultor Albert Ernest Carrier-Belleuse. Em 1877, uma das naves laterais foi reformada para abrigar seus restos mortais. Ao seu lado, os restos mortais do generais Guido e Las Heras, e o simbólico Soldado Desconhecido.

José Francisco de San Martín y Matorras (Yapeyú, 25 de fevereiro de 1778 – Boulogne-sur-Mer, 17 de agosto de 1850) foi um general argentino e o primeiro líder da parte sul da América do Sul que obteve sucesso no seu esforço para a independência da Espanha, tendo participado ativamente dos processos de independência da Argentina, do Chile e do Peru.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.187.346 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Festival de Gastronomia de Macau

Festival de Gastronomia de Macau

Todos os anos, no mês de Novembro, o Festival de Gastronomia de Macau (Macau Food Festival) que é realizado na Praça do Lago Sai Van, bem ao lado da Torre de Macau (Macau Tower). atrai multidões, tanto residentes como turistas, como foi o nosso caso em 2019, pela variedade de comida chinesa, asiática, como a […]

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

A primeira atividade oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 ocorreu no dia 23 de Novembro de 2019, num sábado, nas dependências do Jardim Infância D. José da Costa Nunes, como já vem acontecendo nos Encontros anteriores. No último Encontro que participei em 2010, o evento foi mais descontraído com apresentação de músicos tanto […]

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Em 2007, visitei o Museu do Grande Prémio de Macau e lá fiz várias fotos. Nesta postagem, o assunto é o piloto Rodolfo Ávila. Venha conhecê-lo melhor. Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz Texto extraído da enciclopédia livre – Wikipédia Rodolfo Freitas Silvério de Abreu Ávila nasceu em Lisboa no dia 19 […]

%d blogueiros gostam disto: