Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Catedral Basílica de Salvador na Bahia, em ricos detalhes após restaurada e reaberta em 2018

Catedral Basílica de Salvador, Bahia

Após três anos e oito meses de reforma, a Catedral Basílica de Salvador, cuja pedra fundamental foi lançada em 1657 e inaugurada em 1672, foi reaberta ao público no dia 14 de setembro de 2018. Nas obras de restauração, que deram muito trabalho, foram consumidas 50 mil folhas de ouro e 5 mil folhas de prata.

Entre tantos itens da Catedral que foram restaurados no quarto templo religioso a ser construído na Bahia no século XVII, estão incluídos treze altares, o piso, as pinturas em telas, o forro sob o coro e painéis de azulejos bem como a sua fachada, em pedras de lioz encontradas apenas em Portugal.

“Apesar de ter sido construída durante o período barroco, a arquitetura da Catedral tem um estilo geral maneirista … o interior é de pedra de lioz importada de Portugal expressamente para a construção”. Opinião de uma arquiteta das obras, que se percebe influências indígenas e até orientais, e que além do estilo barroco, há também o rococó, o neoclássico, especificando que cada retábulo tem um estilo diferente.

Fotografia de/photos by Rogério P D Luz

A HISTÓRIA SEGUNDO A WIKIPÉDIA

Quando os jesuítas chegaram a Salvador, em 1549, integrando a comitiva do governador-geral Tomé de Sousa, fundaram uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora da Ajuda, dentro dos muros da cidade. Mas não se demoraram muito ali, pois receberam em doação um terreno fora dos muros.

Assim, em 1550 foi fundado o Colégio dos Meninos com sua capela, todos ainda em taipa, material que logo se arruinara, sendo várias vezes reedificadas. Coube a Mem de Sá a construção de um templo em alvenaria, na praça, que veio a se chamar Terreiro de Jesus.

A atual Catedral Basílica de Salvador é a quarta a ser erguida no mesmo local e último remanescente do conjunto arquitetônico do Colégio. A autoria do projeto é incerta, mas o visitador padre Cristóvão de Gouveia afirmou ter alterado o risco original do irmão Francisco Dias. Sua pedra fundamental foi lançada em 1657, sendo inaugurada e consagrada em 1672. Mas ainda não estava totalmente pronta. O frontispício foi concluído em torno de 1679, os sinos vieram de Portugal somente em 1681, as torres foram arrematadas em 1694 e a decoração interna se estendeu por muito mais tempo. Em 1746 foram instaladas estátuas na fachada. Sua planta é típica das igrejas luso-brasileiras.

A única nave possui uma capela-mor ladeada de duas pequenas capelas, mais duas capelas no transepto e outras ao longo da nave.

 

ALTAR-MOR

O altar-mor data de 1665-1670, executado pelo irmão João Correia e auxiliares. Possui uma rica talha dourada, de grande importância artística e histórica, sendo um dos poucos altares maneiristas do Brasil. Em 1670 foi aberto um camarim na parte superior para exposição do Santíssimo Sacramento, decorado com painéis com as imagens de Santo Inácio e São Francisco Xavier, pintadas pelo irmão Domingos Rodrigues, autor de outros painéis na mesma capela.

92 cabeças de anjos estão encravadas nas paredes de ouro.

Em 1746 foi instalada uma imagem de Cristo Salvador em um nicho sobre o arco do cruzeiro …

 

TETO DA NAVE

O teto da nave tem uma rica decoração em talha com símbolos jesuíticos, em cujo centro se encontra um grande medalhão radiante com o monograma IHS (Iesus Hominum Salvator – Jesus Salvador dos Homens), o símbolo da Companhia de Jesus.

Medalhão radiante com o monograma IHS (Iesus Hominum Salvator – Jesus Salvador dos Homens), o símbolo da Companhia de Jesus.

O teto da nave não precisou de intervenção na restauração, pois foi reformada há 20 anos atrás.

 

ALTARES LATERAIS

A capela do lado direito do altar-mor, atualmente dedicada a Nossa Senhora das Dores, foi descaracterizada por sucessivas reformas, o fundo foi perdido, embora ainda preserve uma talha rica nas laterais e duas grandes estátuas:

Nossa Senhora das Dores e Cristo crucificado

À esquerda da capela-mor está a capela do Santíssimo Sacramento, que recebeu muitas das alfaias procedentes da antiga Sé quando esta foi demolida, entre elas um relicário de ouro e prata cravejado de diamantes, duas credências de altar e três palmas de prata:

Altar do Santíssimo Sacramento

Nas reformas, descobriu-se que o altar era de prata e não de ouro e que estava coberto com repinturas com aplicação de purpurina dourada para imitar o ouro. Para voltar à sua originalidade prateada, foram importados 200 cadernos de prata, cada uma com 25 folhas, e um trabalho minucioso para tirar as pinturas que foram aplicadas por cima.

As duas capelas do transepto, por outro lado, de dimensões comparáveis à capela-mor, possuem monumentais altares barrocos, instalados em 1754, dedicados a São Francisco Xavier e Santo Inácio, além de pinturas emolduradas em talha que cobrem paredes e teto.

As capelas secundárias na nave originalmente guardavam preciosas obras de arte, mas pelas reformas ocorridas ao longo do tempo muitas se perderam, e outras foram transferidas para outros locais, como a sacristia e o Museu de Arte Sacra. Entre as relíquias que sobreviveram se destacam um busto-relicário de Santo Inácio revestido de prata, a imagem de Nossa Senhora das Maravilhas, também prateada, e bustos de Santa Úrsula e mais dez mulheres representativas das Onze Mil Virgens.

Santa Úrsula

 

BUSTOS RELICÁRIOS

Dois altares possuem espaços, cada um com quinze bustos relicários, agora de volta à Catedral após terem ficado no museu de Arte Sacra da Bahia por 15 anos. Os bustos representam mártires em peças de terracota do século XVII e podem ser protegidos por duas portas.

 

A SACRISTIA

No batistério se encontra uma grande pia batismal esculpida em um bloco único de pedra de lioz:

A ampla sacristia também possui tesouros, destacando-se três altares barrocos de mármore multicolorido proveniente da Itália, onde são expostas estátuas e pinturas de grande porte; um grande arcaz entalhado em jacarandá por Luís Manuel de Matosinhos e Cristóvão de Aguiar, com incrustações de marfim e casco de tartaruga, e pinturas encaixadas de autoria do neerlando-italiano Gherardo delle Notti, e um lavabo em pedra.

Na parede sobre o arcaz existe uma série de grandes pinturas sobre o Antigo Testamento, e o teto é decorado com pintura em caixotões, mostrando mártires e apóstolos jesuítas junto com motivos florais em estilo maneirista. As paredes são revestidas até meia-altura de azulejos pintados.

O teto é decorado com pintura em caixotões, mostrando mártires e apóstolos jesuítas junto com motivos florais em estilo maneirista.

A Catedral e todo o seu acervo foram tombados pelo Iphan em 1938 pela sua grande importância histórica e artística.

 

DETALHES DOS ALTARES E O INTERIOR DA CATEDRAL

  • Fontes: textos extraídos da Wikipédia e consulta aos artigos do jornal Correio da Manhã, de Bahia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.038.153 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

A relembrar a aula de gastronomia realizada na Casa de Macau de São Paulo em 24/02/2008, ministrada pelos chefs João Bosco Quevedo da Silva e Herculano Alexandre (Alex) Airosa, seguem as fotos e receitas de camarões grandes recheados com ervas à moda de João Bosco Quevedo da Silva e pimenta recheada à moda do Alex Airosa. Na época, a coordenação das aulas e elaboração das […]

Procissão do Corpo de Deus em Macau

Procissão do Corpo de Deus em Macau

PROCISSÃO DO CORPO DE DEUS EM MACAU Texto, fotografias e legendas de Manuel V. Basílio (Macau) As cerimónias do Corpo de Deus, ou Corpus Christi, ou mais precisamente, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, decorrem habitualmente na quinta-feira seguinte a Domingo de Pentecostes, 60 dias depois da Páscoa, tendo este ano ocorrido no […]

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

Não há como não se emocionar ao ouvir a bela canção Adeus Macau, seja qual for o/a intérprete. Possivelmente uma lágrima ou outra poderá escorrer no seu rosto. Alguns associam a canção à transição de soberania de Macau para a China, que em 2019 completa 20 anos. Pode até servir, se quisermos considerar o adeus […]

%d blogueiros gostam disto: