Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Em Buenos Aires, passeio no Caminito – a colorida rua-museu do bairro de La Boca

Uma visita obrigatória para quem vai a Buenos Aires, Argentina, o Caminito que fica localizado no bairro La Boca constitui uma das suas duas principais atrações no bairro de La Boca, juntamente com o estádio de futebol La Bombonera do time Boca Juniors no qual jogou o famoso jogador Maradona, que os argentinos vangloriam como sendo mejor (melhor) que o Pelé.

Porto de parada dos cruzeiros marítimos internacionais que fazem a rota do Rio da Prata, que inclui Montevidéu, Caminito é bastante visitado por turistas, como no nosso caso toda vez que passeamos por Buenos Aires. Há diversos restaurantes, cantinas ou cafés que, para atrair fregueses, oferecem show de tango ou danças típicas ao ar livre, além de haver várias lojas de souvenirs que é impossível não levar pelo menos um, bem como a rua-museu com construções bem coloridas.

El Caminito tem uma característica peculiar: as casas são construídas com tábuas de madeira, placas e telhas de metal e pintadas com muitas cores.  Explica-se que os estrangeiros com poucos recursos, principalmente espanhóis e italianos que foram a principal imigração que se fixou por lá, na construção das suas casas, usavam as tintas que sobravam dos navios do porto, ao lado, para pintá-las. Pode-se ver varandas e janelas enfeitadas com bonecos nas janelas, como do Maradona ou o argentino Papa Francisco e obras de arte nas paredes ou em estátuas.

Cruzeiro marítimo pelo navio Costa Fascinosa

Esta postagem se baseia na viagem que fizemos em fevereiro/março de 2020 pelo Costa Fascinosa. Algumas fotos de obras artísticas (ver mais abaixo) foram feitas na década de 2000-2010 noutros cruzeiros que fizemos. A parada no porto de Buenos Aires foi de quase dois dias, o que permitiu pegar com folga o bus turístico  que percorreu diversas localidades, mais ainda, com parada em Caminito onde ficamos por cerca de duas horas, para em seguida pegar outro ônibus que passa com frequência. Uma boa alternativa e mais econômica que pegar os táxis da cidade ou tours do barco. O percurso completo do bus turístico demora algumas horas até voltar ao ponto de partida na Plaza General San Martin, próximo ao Calle Florida. Assim, se a parada do navio no porto de BA for somente de um dia, chegando cedo da manhã e partindo no fim do dia, aconselha-se estudar melhor a conveniência de fazer o passeio para não passar apertado para chegar em tempo antes da partida. O Costa Fascinosa, desta vez, ofereceu transferência gratuita ida/volta do porto a essa praça, partindo os ônibus com boa frequência.

Viajamos um tanto preocupados com o vírus Covid-19 que começava a se espalhar pelo mundo, mas voltamos vivos, e uns 15 dias depois da chegada, a pandemia começou a se espalhar pelo Brasil. Foi a penúltima viagem do Fascinosa antes de ser interditado e os cruzeiros cancelados. Ainda bem …

Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz

Caminito do bairro La Boca

(Fonte: Wikipédia)

Caminito é uma rua-museu e um logradouro tradicional, de grande valor cultural e turístico, localizado no bairro de La Boca, na Cidade de Buenos Aires, Argentina. O lugar adquiriu significado cultural devido a ter inspirado a música do famoso tango Caminito (1926), composta por Juan de Dios Filiberto.

Ao contrário, a letra do conhecido tango, escrita por Gabino Coria Peñaloza, está inspirada num caminho da localidade de Olta, na província de La Rioja. Por esta razão e em homenagem a Coria Peñaloza, em 1971 uma rua da localidade de Chilecito recebeu também o nome de “Caminito”

Localização

Encontra-se no pitoresco bairro de La Boca, com um de seus extremos frente ao Río Matanza, na Vuelta de Rocha, e a uns 400 metros do estádio La Bombonera, pertencente ao Club Atlético Boca Juniors.

O caminho se estende de leste a oeste, formando uma curva de aproximadamente 150 metros, atravessando em forma diagonal uma maçã limitada pelas ruas Araoz de Lamadrid (ao norte), Garibaldi (ao oeste), Magallanes (ao sul) e Del Valle Iberlucea (ao leste). Sua forma segue o curso de uma antiga via de bonde, posteriormente abandonada. Em 1959 foi convertido oficialmente numa “rua museu”, com o nome de “Caminito”.

Rua-Museu

Seu trajeto sinuoso se deve porque fluía ali um canal o qual desaguava no Riachuelo,e que devia cruzar-se com uma pequena ponte, devido a qual este trecho do bairro era chamado de Puntin, que quer dizer precisamente “ponte pequena” em dialeto genovês ou xeneize. Logo circulou ali um bonde portuário, até 1920. Uma vez cessado, a via se converteu num caminho natural, conhecida no bairro como La Curva que foi deteriorando-se como depósito de lixo.

Em 1950, um grupo de vizinhos, entre os quais se encontrava o conhecido pintor boquense Benito Quinquela Martín, decidiram recuperar o lugar. Em 1959, na iniciativa de Quinquela Martín, o governo municipal construiu ali uma rua museu, com o nome que lhe havia posto o tango, Caminito:

Um bom dia me veio a ideia de converter este pardieiro em uma rua alegre. Consegui que fossem pintadas todas as casas de material ou de madeira e zinco as quais dão seus fundos para este estreito caminho(…)E o velho pardieiro, foi uma alegre e formosa rua, com o nome da formosa canção e nela se instalou um grande Museu de Arte, no qual se podem admirar às obras de renomados artistas, doadas por seus autores generosamente. (Benito Quinquela Martín)

As casas, de madeira e chapa, cujas frentes dão para o Caminito, respondem ao estilo do tradicional conventillo boquense, un tipo de vivenda popular precária que caracterizou o bairro desde suas origens, no final do século XIX, como centro de residência de imigrantes genoveses. Devido a seu valor cultural, as mesmas estão subsidiadas pelo Estado, o que permite garantir sua manutenção. Embora sejam escassos os recursos, sem eles os moradores do bairro não poderiam realizar a manutenção do casario. As casas são pintadas de cores brilhantes, um costume do bairro, difundido pelo destacado pintor boquense Benito Quinquela Martín. Nas ruas adjacentes, podem observar-se os conventillos tradicionais de la Boca, construções feitas com chapas de metal acanaladas, montadas muitas vezes sobre pilares ou cimentos altos, devido às frequentes inundações, e pintadas com cores brilhantes, tal como se encontram mantidos por seus habitantes.

Obras artísticas

Ao longo do curso da rua se encontram expostas obras artísticas de grande importância. Eis algumas delas:

“Herrero boquense”, de Marisa Balmaceda Krause (n. 1913)

“Esperando la barca”, de Roberto Juan Capurro (1903 – 1971)

“Esperando la barca”, de Roberto Juan Capurro (1903 – 1971)

“El maestro/ El coro/ El trabajo”, de Humberto Eduardo Cerantonio (n. 1913)

“El maestro/ El coro/ El trabajo”, de Humberto Eduardo Cerantonio (n. 1913)

“La familia”, de Nicasio Fernández Mar (n. 1926)

“La familia”, de Nicasio Fernández Mar (n. 1926)

“Guardia vieja – Tango”, de Israel Hoffmann (1876-1971)

“Clavel del aire”, de Luis Perlotti (1890 – 1969)

“Clavel del aire”, de Luis Perlotti (1890 – 1969)

“Las tejedoras”, de Luis Perlotti (1890 – 1969)

“Las tejedoras”, de Luis Perlotti (1890 – 1969)

“Santos Vega”, de Luis Perlotti (1890 – 1969)

“Regreso de la pesca”, de Benito Quinquela Martín (1890 – 1977), realizada en cerámica por Ricardo Sánchez

“Día del Trabajo”, Benito Quinquela Martín (1890 – 1977), realizada en cerámica por Ricardo Sánchez

“La canción”, de Julio Vergottini (1905 – 1999)

“La canción”, de Julio Vergottini (1905 – 1999)

“La sirga”, de Julio Vergottini (1905 – 1999)

“La sirga”, de Julio Vergottini (1905 – 1999

“Elevando anclas”, de Julio Vergottini (1905 – 1999)

“Elevando anclas”, de Julio Vergottini (1905 – 1999)

“Fragata Sarmiento”, de Angel Eusebio Ibarra García (1892-1972)

“Fragata Sarmiento”, de Angel Eusebio Ibarra García (1892-1972)

Busto de Juan de Dios Filiberto (autor de la música del tango “Caminito”), de Luis Perlotti;

Busto de Gabino Coria Peñaloza (letrista del tango “Caminito”) por Euzer Díaz

Busto de Gabino Coria Peñaloza (letrista del tango “Caminito”) por Euzer Díaz

“El bombero”, de Ernesto Scaglia

“El bombero”, de Ernesto Scaglia

“El sembrador espiritual”, de Antonio Sassone

“La Raza”,de José de Luca

“La Raza”,de José de Luca.

“La madre”, de Juan B. Leone

“La madre”, de Juan B. Leone

“Joven boquense”, de Orlando Stagnaro

A importância cultural do lugar fez de Caminito um centro cultural e turístico em si mesmo. No lugar podem-se ver pares de dançarinos de tango, que dançam sobre seus paralelepípedos. Ali se instala um mercado artesanal, no qual vendem-se pinturas, souvenirs, artesanato, pinturas naif e colagens com imagens do bairro de La Boca. (Wikipedia)

O boneco do Maradona é bastante visto em Caminito.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.189.586 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Brasão de Armas de Macau

Brasão de Armas de Macau

Os Brasões de Macau portuguesa são todos inspirados nos estilos heráldicos tradicionais da Europa. O primeiro brasão de armas de Macau foi usado até ao final do século XIX. É apenas constituído pelas armas de Portugal cercado pela inscrição Cidade do Nome de Deus, Não Há Outra Mais Leal. O segundo brasão de armas foi […]

Jantar de Boas-Vindas e Sessão de Abertura e do Encontro das Comunidades Macaenses–Macau 2019

Jantar de Boas-Vindas e Sessão de Abertura e do Encontro das Comunidades Macaenses–Macau 2019

A Sessão Solene de Abertura e Jantar de Boas Vindas do Encontro das Comunidades Macaenses – Macau 2019, oferecida pelo Governo da RAEM, foi realizada em 24 de Novembro de 2019 no Hotel Sheraton Grand Macao, Cotai Central, na Ilha da Taipa de Macau O Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, cujo mandato se […]

Festival de Gastronomia de Macau

Festival de Gastronomia de Macau

Todos os anos, no mês de Novembro, o Festival de Gastronomia de Macau (Macau Food Festival) que é realizado na Praça do Lago Sai Van, bem ao lado da Torre de Macau (Macau Tower). atrai multidões, tanto residentes como turistas, como foi o nosso caso em 2019, pela variedade de comida chinesa, asiática, como a […]

%d blogueiros gostam disto: