Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Montevidéu

Fotografias de/photos by Rogério P.D. Luz

Se comparado com Hong Kong (China, ex-colônia britânica) que tem 1.104 km2 para uma população de cerca de 7 milhões de habitantes, o Uruguai é um paraíso pois nos seus 176.215 km2 habitam por volta de 3,5 milhões de pessoas.  Há espaço e terra de sobra.  Na capital Montevidéu habitam 1,7 milhões pessoas, ou seja, quase a metade da população do País, mesmo assim, passeando pela cidade vê-se pouca gente.  Para quem mora em São Paulo, a cidade é um sossego e tanto.

No roteiro do cruzeiro de Natal de 2011 do navio Costa Victoria, após Buenos Aires, Montevidéu era a próxima parada. Em 2010, quando fiz o mesmo cruzeiro natalício pelo MSC Armonia, o porto uruguaio era Punta Del Este ao invés dele.  Numa outra postagem falarei a respeito dessa chique cidade praiana, que é um luxo só, e refúgio da elite brasileira e argentina.

Tal como Buenos Aires, a capital uruguaia de Montevidéu é uma cidade plana basicamente. Apesar de exigir alguma atenção pelos pequenos delitos, como carteiristas ou batedor de carteiras, é uma cidade tranquila, para não dizer, um mar de tranquilidade.  Praticamente dois dias inteiros de turismo é o suficiente para desfrutar os atrativos da cidade, como a gastronomia, passeios e turismo, compras etc. Faz fronteira com o Brasil no lado sul e em geral é um turismo barato.

No meu caso, estive lá com a minha esposa há cerca de 30 anos atrás e só voltei agora pelo cruzeiro marítimo.  Contratei no navio um tour pelos principais pontos turísticos.  Durou umas horas, até mais que o esperado, pois na volta não deu tempo de passear a pé pelo centro velho e o mercado próximo do porto para umas compras de souvenirs. Paciência, fica para a próxima.  O caso é que o navio partiu no fim do dia da chegada.

Esta é Praça (Plaza) de Independência no centro.  A estátua é do General Artigas de 1923, herói nacional pela sua luta para independência do Uruguai.  Antes de se tornar independente, o País era ocupado pelo Brasil, ainda na era colonial dos portugueses.  Segundo a Wikipédia, Montevidéu conquistada por Portugal em 1817, tornou-se capital da Província Cisplatina do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve em 1821. Pertenceu ao Brasi durante o reinado de D. Pedro I, chegando a receber o título de Imperial Cidade através do alvará de 15 de abril de 1825, mas logo conquistou a sua independência na chamada Guerra da Cisplatina, em que recebeu o apoio da Argentina. Com a independência (1828) passou a ser capital do Uruguai.

O prédio à direita é o Palácio Salvo, um belo edifício inaugurado em 1925 que já foi o maior da América do Sul.Próximo ao Palácio Salvo está o Teatro Solís, inaugurado no ano de 1856, no qual é possível fazer visitas guiadas em horários determinados.

Esta imponente construção é o Palácio Legistativo que começou a construir-se em 1908 e foi inaugurado no dia 25 de agosto de 1925, em comemoração do centenário da Declaração da Independência. O local abriga senadores e deputados.

À entrada do Palácio Legislativo pode-se apreciar trabalhos artísticos de artistas nacionais

A urna com os restos mortais do herói nacional pela independência, General José Artigas, e sua guarda de honra. Este magnífico salão está totalmente recoberto em mármores e granitos nacionais, que foram extraidos de pedreiras dos departamentos de Lavalleja e Maldonado e do departamento de Canelones, respetivamente. Este salão divide simetricamente ao edifício, de um lado a Câmara dos Senadores e do outro a dos Deputados

Em passeios turísticos, os monumentos das fotos acima e abaixo são parada obrigatória para fotos.  Simbolizam o desbravamento do Uruguai para povoamento.

Do alto do pequeno monte está a Plaza de La Armada onde se pode contemplar a imensidão o Rio de La Plata que separa o Uruguai da Argentina, que de tão extensa e larga não se consegue ver a terra do outro lado, parecendo mais um mar.  Também tem a visão da orla marítima de Montevidéu e sentir a paz e tranquilidade da cidade, que uma simples colisão de carros se torna um fato curioso e até causa “congestionamento” de uns metros que para seus padrões já é significativo.

A orla marítima num trecho onde não é plano, com uma pequena elevação.

Na partida do navio rumo a Porto Belo, em Santa Catarina, Brasil, às 17 horas, pode-se contemplar a cidade e seu prédio modernista do setor de Telecomunicações.

Navios de guerra da Armada Uruguaia.  Ao fundo o centro velho que possui vários prédios históricos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 989.475 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Macau (terra minha) cantada por portuguesa de Califórnia como um fado

Macau (terra minha) cantada por portuguesa de Califórnia como um fado

Ramana Vieira, portuguesa de Califórnia, que viajou com a comunidade macaense dos EUA para o Encontro das Comunidades Macaenses de 2010, cantou a famosa canção dos The Thunders e composta por Rigoberto Rosário Jr – Macau (terra minha), acompanhada pela Tuna Macaense. Foi na Festa de Gastronomia Macaense que Ramana interpretou a canção, considerada hino […]

Procissão de Nossa Senhora de Fátima de 2019, uma tradição em Macau desde 1929

Procissão de Nossa Senhora de Fátima de 2019, uma tradição em Macau desde 1929

Procissão de Nossa Senhora de Fátima de 2019 em Macau texto e fotos de Manuel V. Basílio (Macau) Decorreu no dia 13 de Maio de 2019 a procissão de Nossa Senhora de Fátima, que assinalou o 102º aniversário das aparições de Nossa Senhora na Cova da Iria, um local próximo de Fátima, em Portugal, no […]

Recordações da recepção de Boas Vindas no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

Recordações da recepção de Boas Vindas no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

Diante da proximidade do Encontro das Comunidades Macaenses de 2019, que mais uma vez será realizado passando por cima de temores que não pudesse ocorrer, o Projecto Memória Macaense e o blog Crónicas Macaenses, ambos de autoria deste autor, Rogério P D Luz, relembram os eventos e momentos da edição de 2010, que foi o […]

%d blogueiros gostam disto: