Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Em Beijing (Pequim), passeio da Praça Tian’anmen até o pátio externo da Cidade Proibida

Para visitar a Cidade Proibida, em Beijing ou Pequim, começamos o passeio pela Praça da Paz Celestial, mais conhecida como Praça Tian’anmen. Enorme, a terceira maior do mundo, é o local onde se realiza o imponente desfile militar no Dia Nacional da China em outubro.

Na viagem realizada em novembro de 2019, pelo volume de fotografias, foram separadas duas postagens. Esta primeira, conta passo a passo, a caminhada da estação de metrô Quian Men onde se inicia a praça, até o pátio externo da Cidade Proibida para compra dos ingressos. Na segunda postagem, a publicar, contamos a visita ao interior do palácio imperial da China.

Em vista de termos obtido o visto gratuito de 72 horas no aeroporto, somente nos sobrou um dia para fazer o passeio conjugado desta praça e a Cidade Proibida que pelo seu tamanho, tinha a preferência. Após, caminharíamos até o centro, na região da rua de pedestres Wangfuging para comer algo e voltar ao hotel, no Novotel Beijing Peace a pouco mais de 2 km, para arrumarmos as malas e partir para o aeroporto à noite rumo a Hong Kong e Macau, o destino final.

O ideal seria dedicar pelo menos uma semana para conhecer melhor Beijing/Pequim e ampla região com inúmeros atrativos, pois além de termos visitado As Muralhas da China e o Palácio de Verão no dia anterior, um tanto corrido, faltou-nos visitar o Templo do Céu, Túmulos Imperiais e tantos outros.

  • Nos tempos da pandemia do coronavírus covid-19 há restrições que não se assimilam com esta viagem de novembro de 2019

,,

Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz

em novembro de 2019

  • Textos da Wikipédia e consulta ao guia China da Publifolha

A PRAÇA DA PAZ CELESTIAL

Textos da Wikipédia

A Praça da Paz Celestial (em chinês simplificado 天安门广场 e tradicional 天安門廣場; em pinyin Tiān’ānmén Guǎngchǎng), também conhecida por Praça Tian’anmen é uma grande praça no centro da cidade de Beijing (Pequim), capital da República Popular da China. É a terceira maior praça pública do mundo, sendo superada apenas pela Praça Merdeka, localizada em Jacarta, na Indonésia, e pela Praça dos Girassóis, localizada em Palmas, no Brasil.

Ampliada em 1949, a praça tem ao norte a Cidade Proibida, no centro contém o Monumento das Pessoas Heróis, de 38 metros, com inspiração do presidente Mao Tsé-Tung, onde está escrito ‘os heróis do povo são imortais‘. A leste e oeste foram construídos importantes edifícios de estilo soviético. A avenida é usada para desfiles do governo da China, tendo a praça também o Mausoléu de Mao Tsé-Tung. Para os chineses a praça é conhecida como o coração simbólico do país.

Mapa da Praça Tian’anmen, a Praça da Paz Celestial (clicar para aumentar)

Início do passeio

Optamos por ir de metrô (subway) já que tinha uma estação próxima ao hotel, e só com uma baldeação, rapidinho, chegamos na estação Qianmen.

A estação de metrô fica ao lado de uma das duas torres de Qianmen (Portão da Frente), a Zhengyanmen. Antigamente o Portão dividia os domínios imperiais de Pequim na Cidade Proibida da “cidade chinesa”, onde vivia a população. Isso durante a dinastia Qing manchu. Nessa torre está instalado um museu com dioramas (é um modo de apresentação artística tridimensional, de maneira muito realista, de cenas da vida real) dos antigos muros da cidade e fotografias das velhas ruas da capital da China.

A Praça Tian’anmen é toda cercada por barreiras e o acesso controlado por forças de segurança. Após transitar da estação do metrô por uma alameda arborizada, você tem que passar por fiscalização com detector de metais.

Barreiras cercam a praça

Na saída da estação de metrô, pode-se visualizar, a torre Jin Lou ou Portão da Flecha que fica noutro lado da rua, e que compõe com a torre Zhengyangmen, o Portão de Frente Qianmen.

Ao fundo, no lado direito, a torre Jin Lou

Também pode-se visualizar (foto abaixo) a antiga estação de trem de Beijing (Old Beijing Railway Station) que hoje abriga um museu.

Alameda arborizada conduz ao posto de fiscalização, com detector de metais, para aceder à Praça Tian’anmen. Perde-se um tempo razoável pela multidão de turistas da própria China que gostam de fazer turismo pelo país.

A primeira vista após passar pela fiscalização
Museu Nacional da China

MUSEU NACIONAL DA CHINA

Construído em 1959, o museu passou a abrigar as obras que eram do Museu da História Chinesa e o Museu da Revolução. Entre os museus do mundo, possui a maior área construtiva com 200 mil m2. Fica à direita da Praça Tian’anmen sentido Cidade Proibida.

Museu Nacional da China
Grande Salão do Povo

GRANDE SALÃO DO POVO

O Grande Salão do Povo é utilizado pelo Poder Legislativo e para efetuar cerimônias e atividades pela República Popular da China e pelo Partido Comunista Chinês. Funciona como o edifício parlamentar da China. Foi inaugurado em Setembro de 1959 e teve a missão de ser uma das “Dez Grandes Construções” no 10º aniversário do República Popular da China, tendo sido construída em 10 meses por voluntários. Olhando no sentido da Cidade Proibida, fica à esquerda da Praça.

Grande Salão do Povo
Grande Salão do Povo
Grande Salão do Povo
Mausoléu de Mao Tsé-Tung

MAUSOLÉU DE MAO TSÉ TUNG

O Salão e Memorial do Presidente Mao, vulgarmente conhecido como o Mausoléu de Mao Tsé-Tung, é o edifício em que se encontra o corpo do Presidente da República Popular da China Mao Tsé-Tung e que recebe centenas de visitas todos os dias. Embora Mao desejasse ser cremado, seu corpo foi embalsamado, e foi construído um mausoléu para abrigá-lo pouco depois de sua morte. Esta atração muito popular está localizada no centro da Praça Tian’namen, em Pequim. O corpo de Mao está em um caixão de cristal para exibição pública. O mausoléu foi construído logo após a morte de Mao (9 de setembro de 1976). A cerimônia teve lugar em 24 de novembro de 1976, e o mausoléu foi concluído em 24 de maio de 1977.

Mausoléu de Mao Tsé-Tung
Mausoléu de Mao Tsé-Tung e o Monumento aos Heróis do Povo

MONUMENTO AOS HERÓIS DO POVO

Construído em 1958, o monumento de granito de 38 metros é decorado com baixo-relevo de episódios da história revolucionária da China e com a caligrafia de Mao Tsé-Tung e Chou Heng Lai. Também chamado de Monumento das Pessoas Heróis com inspiração do presidente Mao Tsé-Tung, tem a inscrição “os heróis do povo são imortais“.

Monumento aos Heróis do Povo
Monumento aos Heróis do Povo
Monumento aos Heróis do Povo
Monumento aos Heróis do Povo

A caminho do fim da Praça Tian’anmen com vista da Porta de Tian’anmen ou Porta da Paz Celestial e o espaço para hasteamento da bandeira nacional da China.

A bandeira nacional da República Popular da China, todos os dias com cerimonial, é hasteada ao amanhecer e recolhida ao anoitecer.

Travessia subterrânea da avenida Chang’an Jie, da praça para a Porta de Tian’anmen ou Porta da Paz Celestial. Só há o sentido de ida, não sendo permitido o retorno após passar pelas forças de segurança na saída.

PORTA DE TIAN’ANMEN OU PORTA DA PAZ CELESTIAL

A Porta de Tian’anmen ou Porta da Paz Celestial, é amplamente utilizada como um símbolo nacional. Primeiramente construída durante a dinastia Ming em 1420, Tian’an’en é muitas vezes referida como a porta de entrada para a Cidade Proibida. No entanto, o Portão Meridiano é a primeira entrada para a Cidade Proibida, enquanto Tian’anmen era a entrada para a Cidade Imperial, dentro da qual está localizada a Cidade Proibida. Ostenta um enorme retrato de Mao Tsé-Tung pois é onde ele proclamou a fundação da República Popular da China em 1º de outubro de 1949.

Vista geral da Praça da Paz Celestial do outro lado da avenida.

A placa abaixo, conta que a coluna da foto acima foi construída em 1420 na Dinastia Ming. Com uma altura de 9,57 metros e pesando cerca de 20.000 kg, foram esculpidos em mármore branco. Um par de colunas enfeita a parte diante da Porta da Paz Celestial e outro par na traseira.

A parte traseira da Porta da Paz Celestial
Mapa da Praça Tian’anmen à esquerda, em seguida a Porta Tian’anmen (com a foto de Mao Tsé-Tung, depois Porta da Torre de Vigia Duanmen, e por fim, o Portão Meridiano que é a entrada para a Cidade Proibida à direita (clicar para aumentar).

A passagem pela Porta da Paz Celestial conduz ao pátio da Cidade Imperial onde está a Torre de Vigia Duanmen construída no ano 18 de Ming Yongle (1420). É principalmente o local onde estão armazenados os suprimentos cerimoniais do imperador e antecede o Portão Meridiano, que é o portão sul e principal da própria Cidade Proibida.

Pátio da Cidade Imperial e a Torre de Vigia Duanmen
Torre de Vigia Duanmen
Detalhes do telhado de Duanmen

Na extremidade do telhado pode-se ver nove figuras chamadas de Guardiões do Telhado. O número ímpar dessas figuras, associadas à água, deveria proteger a construção de incêndios. Na ponta do telhado está uma figura de um homem montado num fênix que lidera outras nove.

Os Guardiões do Telhado na ponta.

Após a passagem por dentro da Torre de Vigia Duanmen, fica o pátio externo da Cidade Proibida com o Portão Meridiano, que é o acesso à Cidade Proibida.

Esta construção tem uma loja de souvenirs
Os chineses residentes na China formam a maioria dos turistas do país.
As forças de segurança da Cidade Proibida

PORTÃO MERIDIANO

Também conhecido por Porta Meridiana, ou em inglês, Meridien Gate, é o maior portão ao sul da Cidade Proibida em Pequim, China. Ao contrário dos outros portões da Cidade Proibida, o Portão Meridiano tem dois braços salientes em cada lado, derivados de antigas torres tradicionalmente usadas para decorar as entradas principais de palácios, templos e tumbas. O portão tem cinco arcos. Os três arcos centrais estão juntos na seção central principal; os dois arcos flanqueadores estão mais afastados dos três arcos centrais e estão localizados entre a seção central e os braços salientes. O arco central foi anteriormente reservado apenas para o imperador; as exceções eram a Imperatriz, que só podia entrar uma vez no dia de seu casamento, e os três primeiros bolsistas dos concursos trienais do serviço público, que saíam das provas pelo arco central. Todos os outros funcionários e servos tiveram que usar os quatro arcos laterais.
Uma série de edifícios formam a superestrutura do portão. O central é um pavilhão de nove vãos de largura, com beiral duplo. Em cada um dos lados salientes, um edifício de 13 vãos com um único beiral, conecta os dois pavilhões de telhado piramidal que representavam as torres.
Sua superestrutura também é chamada de “Cinco Torres Fênix” porque é composta por cinco edifícios. executados aqui na China Imperial; na realidade, apenas o castigo corporal foi realmente executado.

Nestes balcões laterais, o imperador podia passar as tropas em revista e realizar cerimônias.

Mural conta, em inglês, a história do Palácio Museu (Gugong) que é a denominação oficial do complexo que compreende as edificações da Cidade Proibida.

Fila para compra de ingressos
Passagem pelo Portão Meridiano para aceder a Cidade Proibida

Enfim, após passar pela passagem – a Cidade Proibida – com vista da construção – Porta da Suprema Harmonia.

Passeio pela Cidade Proibida vai estar em outra postagem neste blog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.236.568 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Foi graças a um dvd distribuído por um dos seus filhos, que possibilitou ao Projecto Memória Macaense – PMM montar diversos vídeos filmados por Hércules António que nos trazem velhas e memoráveis lembranças daquela Macau antiga que mora no coração dos macaenses e daqueles que tiveram vivência no território. Os vídeos publicados no YouTube nos […]

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

No livro “Meio Século em Macau” de J. J. Monteiro (José Joaquim Monteiro) composto por dois volumes, nas últimas páginas do Volume II estão as letras da canção “Macau (linda)”, que infelizmente não temos a gravação e nem se sabe se houve, talvez nos arquivos pessoais de algum macaense ou familiares. Trata-se de uma música […]

Brasão de Armas de Macau

Brasão de Armas de Macau

Os Brasões de Macau portuguesa são todos inspirados nos estilos heráldicos tradicionais da Europa. O primeiro brasão de armas de Macau foi usado até ao final do século XIX. É apenas constituído pelas armas de Portugal cercado pela inscrição Cidade do Nome de Deus, Não Há Outra Mais Leal. O segundo brasão de armas foi […]

%d blogueiros gostam disto: