Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Na Macau de 2019, a procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos preservada

Mais um ano, em 2019, e novamente a procissão de Nosso Senhor dos Passos é realizada! A expectativa que esta tradição continue por longos anos. O comentário deste editor, um macaense residente no exterior há muito tempo, que se repete anualmente com postagens da procissão, é de satisfação pelo cumprimento do acordo que criou a Região Administrativa Especial de Macau-RAEM em 1999, no aspecto da liberdade religiosa, num território hoje pertencente à China, após a devolução pelos portugueses, que tem suas próprias leis sobre práticas religiosas e esta manifestação há que se ver se seria autorizada no continente. Soma-se a isto, a participação da gloriosa P.S.P. Polícia de Segurança Pública, de novo, com a sua banda a prestigiar a procissão. Bem haja todas as pessoas de boa vontade e que respeitam o ‘statu quo’ de Macau como uma região especial da China. Vejamos a seguir, texto descritivo de como ocorreu a procissão com fotos de colaboradores nomeados, pelo que se agradece (Rogério P D Luz).

PROCISSÃO DE NOSSO SENHOR BOM JESUS DOS PASSOS

Texto de Manuel V. Basílio (Macau)

Fotografias de/photos by Manuel V. Basílio e António Alves (Macau)

“…na véspera da procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos, a conhecida Procissão da Cruz, que este ano voltou a sair da igreja de Santo Agostinho”. Foto: Manuel V. Basílio

Realizou-se no dia 10 de Março de 2019, a procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos, uma tradição multisecular, que remonta a finais do século XVI, e cujo culto tinha sido aqui introduzido por frades agostinianos.

É uma procissão de data móvel, visto que, anualmente, não se realiza na mesma data. Em Macau, esta manifestação religiosa marca o início da Quaresma, enquanto que em outras terras ou comunidades religiosas, é celebrada em data diferente, nomeadamente na 3ª semana da Quaresma, para evocar a paixão e morte de Jesus Cristo.

É também tradicional, em Macau, realizar-se na véspera da procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos, a conhecida Procissão da Cruz, que este ano voltou a sair da igreja de Santo Agostinho, reaberta recentemente, após ter estado encerrada por mais de dois anos, devido a obras de restauro da cobertura. A Procissão da Cruz é breve, pois destina-se essencialmente a levar a imagem de Nosso Senhor dos Passos, coberta por uma caia, da igreja de Santo Agostinho para a Sé Catedral.

No início da noite de sábado, enquanto decorriam as cerimónias dentro da igreja de Santo Agostinho, lá fora a chuva caía incessantemente e, junto à porta da igreja, uns perguntavam a outros se a procissão iria ser cancelada. Entretanto, a Banda da P.S.P. abandonou o local de espera, visto que não iria tocar debaixo da chuva.  Mas por volta das 19:00 horas, a chuva abrandou, tendo então sido anunciado que, se a chuva amainar, a Procissão iria sair. A Divina Providência ditou que a procissão se realizasse e, assim, sob chuvisco, a Procissão da Cruz saiu cerca das 19:15 horas da igreja de Sto. Agostinho para a Sé Catedral, naquela noite de sábado, 9 de Março de 2019.

“… após o Sermão do Pretório em língua chinesa, saiu da Sé Catedral, por volta das 16:30 horas, a Procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos presidida pelo bispo da Diocese de Macau, D. Stephen Lee, com destino à igreja de Santo Agostinho”. Foto: António Alves

Na tarde de domingo do dia 10 de Março, após o Sermão do Pretório em língua chinesa, saiu da Sé Catedral, por volta das 16:30 horas, a Procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos, presidida pelo bispo da Diocese de Macau, D. Stephen Lee, com destino à igreja de Santo Agostinho, tendo percorrido o Largo e Rua da Sé, Travessa do Roquete, Largo do Senado, Largo de S. Domingos, Rua de S. Domingos, Rua de Pedro Nolasco da Silva, Rua do Campo, Avenida da Praia Grande, subindo mais adiante pela Travessa do Padre Narciso, contornando em seguida para a Rua de S. Lourenço e, ali, continuando pela Rua Central até subir pela Calçada do Teatro para se chegar ao Largo de Santo Agostinho. Retomou-se, por conseguinte, o tradicional itinerário, visto que, nos últimos dois anos em que a igreja de Santo Agostinho esteve encerrada por motivo de obras, a imagem de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos saía da igreja de S. Domingos, para a realização da Procissão da Cruz, e voltava para esta igreja, no dia seguinte.

” ,,, a procissão foi acompanhada por muitos fiéis, atrás da Banda do Corpo de Polícia de Segurança Pública”, Foto: Manuel V. Basílio

“Retomou-se, por conseguinte, o tradicional itinerário, visto que, nos últimos dois anos em que a igreja de Santo Agostinho esteve encerrada por motivo de obras …”. Foto: António Alves

Durante todo o percurso, a procissão foi acompanhada por muitos fiéis, atrás da Banda do Corpo de Polícia de Segurança Pública, e também seguida por centenas de turistas, curiosos com o cortejo.  Mantiveram-se as 7 estações da “via sacra, seis das quais na via pública, e em cada estação, a procissão parava para a Verónica entoar o responsório “O Vos Omnes”, em latim, e enquanto entoava o canto, desenrolava e exibia a estampa da face de Jesus para, em seguida, os fiéis que acompanhavam a procissão responderem com o cântico: “Parce, Domine, parce populo tuo: ne in aeternum irascaris nobis”.

“… em cada estação, a procissão parava para a Verónica entoar o responsório “O Vos Omnes”, em latim, e enquanto entoava o canto, desenrolava e exibia a estampa da face de Jesus”. Foto: Manuel V. Basílio

Eram cerca das 19:00 horas, quando a Procissão chegou ao Largo de Santo Agostinho, onde, mesmo em frente à fachada da igreja, a Verónica entoou o canto pela última vez, para, em seguida, a imagem de Senhor Bom Jesus dos Passos voltar ao interior da igreja de Santo Agostinho e dar por finda a procissão. (Manuel V. Basílio)

A Procissão por etapas

O início de uma clássica e organizada procissão que Macau bem sabe fazer. Foto: Manuel V. Basílio

Na tarde de domingo do dia 10 de Março, após o Sermão do Pretório em língua chinesa, saiu da Sé Catedral, por volta das 16:30 horas, a Procissão de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos, presidida pelo bispo da Diocese de Macau, D. Stephen Lee, com destino à igreja de Santo Agostinho …”

Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

O público de fiéis, curiosos locais e turistas especialmente aqueles vindos do continente da China, uma grande novidade para eles. Foto: Manuel V. Basílio

A banda da PSP Polícia de Segurança Pública. Foto: Manuel V. Basílio

Foto: António Alves

Pela Travessa do Roquete … Largo do Senado. Foto Manuel V. Basílio

Pelo Largo do Senado. Foto: António Alves

Diante da Igreja de São Domingos, uma das estações da via sacra com Verónica a entoar o responsório “O Vos Omnes”, em latim . Foto: Manuel V. Basílio

Pela Rua do Campo. Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

Foto: António Alves

Foto: Manuel V. Basílio

Parada numa das 7 estações da “via sacra” diante do antigo Secretariado dos Serviços Diocesanos de Assistência Social (antigo Centro Católico), uma tradição mantida por muitos e muitos anos. Foto: Manuel V. Basílio

” ,,, para a Verónica entoar o responsório “O Vos Omnes”, em latim, e enquanto entoava o canto, desenrolava e exibia a estampa da face de Jesus …”. Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

Foto: Manuel V. Basílio

Pela Av. das Praia Grande. Foto: Manuel V. Basílio

Av. da Praia Grande no cruzamento com a Av. Almeida Ribeiro. Foto: António Alves

No cruzamento da Av. da Praia Grande com a Av. Almeida Ribeiro, o prédio cor-de-rosa do Banco Nacional Ultramarino. Foto: Manuel V. Basílio

Pela Rua Central até subir a Calçada do Teatro. Foto Manuel V. Basílio

Foto: António Alves

Foto: António Alves

Subindo a Calçada do Teatro. Foto: António Alves

Subindo a Calçada do Teatro. Foto: Manuel V. Basílio

Última das sete estações da “via sacra”, no Teatro Dom Pedro, Largo de Santo Agostinho e defronte à Igreja de Santo Agostinho. Foto: Manuel V. Basílio

A imagem de Nosso Senhor dos Passos diante da Igreja de Santo Agostinho, retorna à sua “casa”. Foto Manuel V. Basílio

  • Agradecimentos ao Manuel V. Basílio e ao António Alves (ambos de Macau)

Memória

Verónica, representada por Ilda Espírito Santo, na época residente no bairro de Santo António, numa procissão de Nosso Senhor dos Passos em Macau nos anos 60.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 972.010 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Em Macau, a Procissão da Morte de Cristo é novamente realizada em 2019

Em Macau, a Procissão da Morte de Cristo é novamente realizada em 2019

PROCISSÃO DA MORTE DE CRISTO EM MACAU – 2019 Texto e fotos de Manuel V. Basílio (Macau) Integrado no programa religioso da Semana Santa, realizou-se na sexta-feira do passado dia 19 de Abril, a Procissão da Morte de Cristo, também designada por Procissão do Enterro do Senhor.  Naquele dia, o tempo estava instável, com períodos […]

O ‘Dia do Patuá’ festejado pela Comunidade Macaense dos EUA

O ‘Dia do Patuá’ festejado pela Comunidade Macaense dos EUA

‘A promoção do ‘Dia do Patuá’ é um esforço para preservar o dialecto na Comunidade Macaense da Califórnia, nos Estados Unidos da América do Norte’ é o que define Henrique Manhão da Casa de Macau dos EUA. Diz, conciliando com o pensamento de outros membros da comunidade presente, ‘enquanto houver apoio de Macau, o patuá não […]

Recordação de uma festa na Macau de 1953

Recordação de uma festa na Macau de 1953

Jorge Giga Robarts, macaense residente em Portugal, atendendo ao pedido de um conterrâneo, identifica as pessoas que estão numa fotografia enviada, informando ter sido tirada em Dezembro de 1953 em Macau. A 2ª imagem com legenda e que lista as pessoas da foto, foi editada para apenas mostrar o que escreveu quanto à identificação, excluindo […]

%d blogueiros gostam disto: