Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Interior do Santuário

Santuário de Nossa Senhora Aparecida – o seu Interior

(fotografias de Rogério P.D. Luz)

N.S. Aparecida

O interior da Basílica do Santuário de Nossa Senhora Aparecida

Na Basílica cabem cerca de 45 mil pessoas para as cerimonias religiosas.  O altar principal fica no centro da construção,  permitindo que todos os fiéis, situados em qualquer parte da basílica, possam acompanhar visualmente a missa.  Além disso, há vários aparelhos de televisão afixados nas suas colunas, que transmitem a cerimonia que está a se realizar.

As suas Capelas internas

Capela do Santíssimo

Iniciadas em 2006, as obras da parte interna da cúpula da Capela do Santíssimo foram concluídas no início do mês de maio de 2008. A cúpula foi toda revestida de pastilhas de porcelana banhadas a ouro, com um barrado de dois metros de altura.

A capela do Santíssimo fica à direita do altar central, em direção ao sul. a frase “Panis Angelorum Cibus Viatorum”, escrita no gradil de entrada, significa “pão dos anjos, alimento dos viandantes” nos remetendo à idéia de pão e alimento. É Deus que vem morar no pão.

O piso de granito é modulado em quadriculados, com peixes duplos; uma ala ou tapete central, desde a entrada até o altar, representa a água, símbolo do Espírito, da vida e da graça.

No retábulo existem cinco mosaicos italianos, presentes do Papa João Paulo II quando de sua primeira visita ao Brasil. Eles trazem a representação dos quatro evangelistas (Mateus, Marcos, Lucas e João) e, no centro, o Cordeiro Pascal.

Além disso a Capela possui duas esculturas, criadas pelo artista Adélio Sarro e representam cenas dos Lavapés e de Emaús.

Capela da Ressurreição: Espaço de Oração e Reflexão

Inaugurada ou em novembro de 2007, a Capela da Ressurreição, que abriga os restos mortais dos Bispos que atuaram na coordenação da Arquidiocese de Aparecida: Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, Dom Antônio Ferreira de Macedo e Dom Geraldo Maria de Moraes Penido.

O local é mais um espaço destinado à oração e reflexão na Casa da Mãe Aparecida. Segundo a administração, a Capela foi a forma de se prestar uma homenagem aos que consagraram suas vidas à Casa da Mãe Aparecida e por tudo que representaram na construção do Santuário Nacional.

A Capela fica na esplanada João Paulo II, próxima ao altar onde Papa Bento XVI presidiu a Santa Missa no dia 13 de maio deste ano.

 Capela São José

Cada detalhe da Capela tem um significado. O piso tem desenhos de lírios que se abrem e simbolizam a pureza e a sabedoria. No corredor central e na parte superior do painel central, estrelas de Davi lembram que São José é da descendência do Rei Davi.

O painel “Sonho de José” é uma obra do artista plástico Cláudio Pastro, que apresenta a passagem bíblica: “José, filho de Davi, não tenhas medo de acolher Maria como tua esposa, pois o que ela concebeu é obra do Espírito Santo…” (Mt 1,20-21).

José está deitado à sombra de uma tamareira, plantada junto às águas, lembrando o texto do Salmo 1, onde o justo é como a árvore, que sempre está cheia de vida porque está junto às águas. Também o cajado de José, brotando, retrata que o justo é aquele que vive sempre da Graça de Deus. Os pombos simbolizam a oferta dos pobres, tudo o que é ofertado com simplicidade de coração, pois este é um lugar de sacrifício agradável a Deus.

A grande cúpula da Capela é toda em tons de ouro: a luz, Cristo Luz, Pentecostes, a plenitude Pascal. Ela nos indica que Deus é a luz plena e que esse grande vazio é espaço para o invisível presente. “José é o justo, o silencioso, aquele que permite Deus ser”, como explica Cláudio Pastro.

a imagem de Nossa Senhora Aparecida é venerada na missa

* Veja também a postagem que mostra a vista externa da Basílica nova e a antiga clicar aqui

* Visite o site oficial do Santuário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.426.220 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: