Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Igreja do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo em Salvador, que foi cenário de filme premiado em 1962

A Igreja do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo e a sua famosa escadaria onde foi rodado o premiado filme O Pagador de Promessas

Restaurada e reaberta em 5 de fevereiro de 2018, após passar fechada por 18 anos e cerca de quatro anos em obras de restauração,  a Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo (ou Rua do Passo), construída em 1736 no bairro de Pelourinho na cidade de Salvador, em Bahia, no Brasil, ficou mundialmente conhecida pelo filme “O Pagador de Promessas”, de 1962,  que até a data de publicação desta postagem foi o único filme brasileiro e sul-americano a conquistar a Palma de Ouro do Festival de Cannes, na França.

Localizada na estreita Rua do Passo, a poucos metros do Largo do Carmo onde estão a Igreja de Nossa Senhora do Carmo e a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, por estar a menos de 10 minutos de caminhada do largo do Pelourinho, merece uma visita e percorrer a escadaria onde foram filmadas cenas do filme premiado.

Cartaz e cena do filme em 1962 (imagens divulgadas no Google Imagens)

Fotografias de/photos by Rogério P D Luz

IGREJA DE SANTÍSSIMO SACRAMENTO DA RUA DO PASSO (OU DO PASSO)

(Fonte: Wikipédia)

A edificação da Igreja do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo, ou apenas Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo, localizada no Pelourinho, região do Centro Histórico da cidade de Salvador, capital do estado da Bahia, foi catalogada e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1938 junto com seu acervo de mobiliário e arte, e ao lado da Igreja, está a casa onde morou Castro Alves.

A estreita Rua do Passo fica ao lado do Largo do Carmo, tradicionalmente é o caminho da procissão dos sete passos de Jesus realizada pelos Carmelitas durante a semana Santa, na sexta-feira da paixão. O primeiro passo simbólico dos sete passos de reflexões de Jesus até o calvário é feito em frente à igreja.

História

A Igreja foi erguida no século XVIII, mais precisamente no ano de 1736, para ser matriz da freguesia do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo, fundada em 1718 durante o governo de D. Sebastião Monteiro da Vide. Em 1737, por outorga de ordem real, foi subsidiada a construção da capela-mor.

Entre os anos de 1820 e 1890 o templo passou por diversas reformas e remodelações. Algumas das mais importantes foram as que ocorreram entre os anos de 1848 e 1851. Nessa época, mais precisamente em 1848, a capela-mor ganhou novo retábulo e as antigas tribunas foram substituídas por duas varandas, além disso, trabalhos de acabamento realizados por Joaquim Francisco de Matos Roseira e Cipriano Francisco de Souza foram feitos em duas portas laterais e no forro. Logo depois, em 1850, foram feitos os altares do arco de cruzeiro e dois altares laterais, então, um ano depois, foram construídos 2 púlpitos, 6 tribunas e mais 2 altares laterais, além da abertura de mais 4 portas no interior da igreja.

Em 1998 o forro e o telhado da igreja caíram sobre o altar e o retábulo devido a grande infestação de cupins que debilitou as estruturas em madeira do templo, fazendo com que a igreja fosse fechada após o incidente.

Em 2014, após 18 anos do fechamento da edificação, o então superintendente do IPHAN na Bahia, Carlos Amorim, assinou a ordem de serviço para a restauração do templo religioso, obra possibilitada pelos recursos advindos do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas (PAC).

Após as obras de restauro, concluídas e entregues em 5 de fevereiro de 2018, a Arquidiocese de Salvador designou a Igreja do Passo como Sede Arquidiocesana do Apostolado da Oração e Movimento Eucarístico Jovem. A missa de reabertura da Igreja foi realizada no dia 27 de outubro do mesmo ano, presidida pelo Arcebispo de Salvador Dom Murilo Krieger, e contou com a participação de aproximadamente mil e trezentas pessoas, entre membros do Apostolado da Oração e MEJ, autoridades locais e moradores do bairro do Santo Antônio. Na oportunidade o Arcebispo deu ao Apostolado da Oração e MEJ. Atualmente a Igreja está vinculada a Paróquia Santo Antônio Além do Carmo.

Características

O edifício é em alvenaria de pedra e tijolos, a fachada é típica de igrejas da época, com corpo central emancipado por frontão e abertura de acesso do tipo arco do triunfo, em ambas as laterais há uma torre terminada em frontão curvo e cobertura piramidal revestida de azulejaria portuguesa.

A planta também é típica dos templos religiosos baianos do século XVIII, com corredores laterais recobertos por tribunas e sacristia transversal. Devido o declive do terreno, no pavimento térreo se encontra a capela-mor e a sacristia, que dá acesso ao ossuário no subsolo, no primeiro pavimento ficam as tribunas e o coro. No teto há uma pintura ilusionista barroca de autoria controversa.

Em frente à igreja está situada uma grande escadaria de 55 degraus que faz a ligação entre a Rua do Passo (acima) e a Rua do Carmo (abaixo).

Ao lado da Igreja está a casa onde morou Castro Alves (1847-1871), grande poeta brasileiro da Terceira Geração Romântica no Brasil. Tombada pelo Iphan em 1938, a vizinhança inclui várias casas e sobrados dos século 18 e 19.

A Igreja foi erguida como um monumento de afirmação da presença de Cristo na eucaristia. O altar-mor é de autoria do baiano Vitoriano dos Anjos.

O teto da nave, com pintura de perspectiva ilusionista barroca, é atribuído a Antônio Pinto e Antônio Dias, porém a confirmar.

A Igreja do Passo não é de Santa Bárbara como ficou conhecida no filme. Em vista e pela relação, a produção do filme doou uma imagem de Santa Bárbara, que foi colocada na lateral do altar, e no segundo andar da Igreja está exposta a câmera original usada nas filmagens e entre outros objetos, a cadeira do Diretor, Anselmo Duarte.

Como em muitas igrejas de Salvador, no seu interior estão diversas sepulturas antigas e existe um ossuário no subsolo.

Azulejos portugueses de cerca de 1750.

A SACRISTIA

Vista panorâmica da Baía de Todos-Os-Santos e a torre onde ficam os sinos, foi aberta ao público com vista panorâmica do centro histórico e igrejas.

Vista do Bairro do Comércio

Fonte de textos e consultas: Wikipédia, salvadordabahia.com e bahia-turismo.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.425.521 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: