Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Cheong Sam, a cabaia e a sensualidade chinesa

Ao jantar, pôs de parte as ricas roupagens características de cetim encarnado bordado a oiro, de complicadas saias e faixas, para envergar uma cabaia elegante, de cetim preto com ramagens de várias cores, estilizada, a delinear graciosamente os contornos sedutores do seu corpo sinuoso. Estava tão radiosamente bela que, à sua entrada, se ouviram exclamações de pasmo.” … este é um trecho do conto Cheong-Sam A Cabaia do livro de mesmo nome da Deolinda da Conceição, a referir-se à bela e elegante Chan Nui. Um parágrafo traduziu bem o que é o cheong-sam, cuja tradução literal deste chinês-cantonense* é: vestido (roupa) comprido.

No e-mail que o Luís Garcia (Macau) repassou-me com o PPS “Cheong Sam ladies”, o autor original desconhecido exclamava em inglês: “those were the days, my friends, I thought they will never end……and came back!” (aqueles foram os dias, meus amigos, pensei que nunca acabariam … e voltaram).

Coloquei-me a pensar: quantos metropolitanos em Macau deixaram de voltar para Portugal por um cheong sam, ou quantos estrangeiros em Hong Kong por lá ficaram também pelo mesmo motivo? Algum homem resistiria a não voltar os olhos para ver uma bela chinesa vestida de cheong sam a expor os contornos sedutores do seu corpo sinuoso? Ou mesmo a despertar a curiosidade de outras mulheres? O cheong sam enaltece a feminilidade da chinesa, que lhe é característico e notório entre os estrangeiros.

Assim, para “celebrar” a volta do cheong sam como bem o faz aquele autor desconhecido do e-mail, embora penso que nunca deixou de ser usada, publico umas fotos do PPS e convido os leitores para vê-lo por completo no link abaixo, cuja autoria desconheço por estar escrito totalmente em chinês:

CHEONGSAM LADIES

Este é curto mas o decote lateral é igual na cabaia longa até os pés. O ponto alto da sensualidade da cabaia.

Tal como descrevi na foto anterior

o charme e a feminilidade da chinesa

À leitora brasileira, se quiser comprar o seu cheong sam e se estiver em São Paulo, poderá achar diversos modelos, estampas e cores nas lojas chinesas dos mini-shoppings na Praça da Liberdade, exemplo, ao lado do Mc.Donald e ao longo da extensão da mesma calçada. Não são caros e negocie o preço com a chinesa: “mais balato“.  Aproveite e delicie-se com a comida chinesa nos restaurantes do outro lado da praça.  Vai se surpreender com os preços em relação ao prato generoso.  Aliás, volta e meia, vemos nas colunas sociais dos jornais e revistas que diversas brasileiras já aderiram ao traje nas recepções.

*Cantonense é o dialecto chinês falado na região do sul da China, principalmente em Macau, Hong Kong, Cantão e outras cidades da região.  O mandarim é a língua oficial porém é completamente diferente do cantonense.  O chinês que fala somente o cantonense não entende o outro a falar o mandarim. Neste caso, acabam usando o inglês, isto é, se o conhecer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.408.214 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

Macau em 1997 – entrevista com Anabela Ritchie sobre a transição da soberania em 1999

Macau em 1997 – entrevista com Anabela Ritchie sobre a transição da soberania em 1999

A recordar os tempos que antecederam a transição da soberania de Macau para a República Popular da China que ocorreu em 20 de Dezembro de 1999, transcrevemos em três postagens, as entrevistas concedidas ao Diário de Notícias em 1997 e que foram publicadas no antigo website A-Ma Gau – Ecos de Macau. Nesta postagem, a […]

%d blogueiros gostam disto: