Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Xilogravura chinesa

Coleção particular de Chan Wai Hang

O Boletim Informativo da Câmara Municipal das Ilhas – Macau “Taipa e Coloane”, na sua edição de Março de 1999, que na época o seu Presidente era Joaquim Ribeiro Madeira de Carvalho, anunciava a exposição de xilogravuras intitulada “A Esperança nasce na Primavera” no Parque de Seac Pai Van, em Coloane. Informava:

“Trata-se de um conjunto de 76 trabalhos alusivos ao Ano Novo Chinês, provenientes das cinco principais regiões chinesas produtoras de xilogravuras, onde são retratadas divindades mitológicas, costumes folclóricos e cenas de ópera chinesa, entre outros temas.

Esta mostra só se tornou possível graças à gentileza de Chan Wai Hang, cuja colecção particular totaliza mais de mil peças.

A existência das xilogravuras chinesas remonta à Dinastia Choi. Lok Sam, no seu livro “Ho Fan In Han Lok”, falou sobre a gravação em madeira dos registos daquela Dinastia: “No 8° dia do 12° mês do 12° ano (ano 593) do reinado do Imperador Choi Hoi, foi ordenado a gravação em madeira de obras literárias e de gravuras clássicas”. Esta é a primeira referência por escrito às xilogravuras chinesas.

Com o desenvolvimento da técnica de impressão, as xilogravuras populares surgiram na Dinastia Tong. As xilogravuras alusivas ao Ano Novo Chinês ganharam maior popularidade nas Dinastias Un e Meng. Actualmente, é uma arte que continua a ser muito apreciada.”

Coleção particular de Chan Wai Hang

O que é xilogravura?

Sua técnica consiste em realizar impressão a partir de pedaços de madeira com desenhos em relevo. A técnica da xilogravura é extremamente antiga e de origens desconhecidas. A primeira informação acerca  de sua utilização é  na China no ano de 868. Chegando ao ocidente provavelmente no final do século XIV. A técnica consiste na escolha de  um bloco de madeira cuja superfície fosse lisa e plana. A partir daí, com um instrumento pontiagudo, semelhante a uma faca, esculpia-se em madeira o que deveria aparecer em branco no produto final, deixando saliente o que deveria aparecer em preto, num conjunto de arestas muito finas, como se fosse o efeito contrário do alto relevo.

Para imprimir no papel a superfície da placa deveria ser coberta com tinta antes de comprimida contra o papel. O resultado final sai ao contrário da figura original.

Extremamente rudimentar, a xilogravura não tardou em popularizar-se na Europa do século XV: seu uso ia desde cartas de jogar, a estampas humorísticas vendidas em feiras populares.

Após a invenção da imprensa de tipos móveis, por Gutenberg, passou-se a combinar textos impressos a ilustrações via xilogravuras. Tornava o processo de ilustração muito mais simples e barato.

Pintores como Gauguin, utilizaram bastante a técnica. Gauguin foi um dos responsáveis pelo seu renascimento e aceitação. Hoje em dia, ainda é considerada como uma das principais técnicas de artes gráficas.

* fonte: http://www.sobre.com.pt/xilogravura

Coleção particular de Chan Wai Hang

Coleção particular de Chan Wai Hang

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 19/06/2012 por em Arte, CHINA e marcado , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.125.937 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A foto da estátua Ferreira do Amaral, em Macau, foi objeto de indagação feita ao autor deste blog por MJ Raydor no Facebook, que queria saber da sua história. Por desconhecê-la, coube ao Carlos Dias dar a resposta abaixo com publicação de uma imagem: “Tratava-se da Comissão Organizadora das comemorações de 102º. aniversário da Tomada […]

Em Macau, celebração diferente do 13 de Maio Dia de Nossa Senhora de Fátima em 2020 devido à pandemia

Em Macau, celebração diferente do 13 de Maio Dia de Nossa Senhora de Fátima em 2020 devido à pandemia

Por medidas de precaução em função da pandemia do novo coronavírus Covid-19, a celebração do Dia de Nossa Senhora de Fátima, no dia 13 de Maio, foi diferente no mundo todo. Até que em Macau a celebração contou com a participação limitada de fiéis na missa realizada na Igreja de São Domingos, mais que no Santuário […]

Por detrás da foto oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019

Por detrás da foto oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019

A sessão fotográfica nas Ruínas de São Paulo é tradição já há vários Encontros das Comunidades Macaenses, e não foi exceção na edição Macau 2019. Aconteceu no dia 26 de Novembro, uma terça-feira, por volta das 16 horas. Ao que parece, uma tradição chinesa em Macau, a foto oficial reuniu os participantes do Encontro de […]

%d blogueiros gostam disto: