Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

A origem das calçadas portuguesas em Macau

MACAU E A SUA ‘CALÇADINHA’

Fonte; Revista Macau

Fonte; Revista Macau

Contam os registos históricos que nos séculos XVIII e XIX os navios que seguiam para Macau vinham quase vazios e precisavam de peso para navegarem em condições. A solução foi carregar os porões com pedras da calçada – sobretudo calcário e basalto – à partida de Portugal.

As pedras eram descarregadas em Macau e os navios voltavam cheios de mercadoria. Sem lugar para amontoarem mais pedras, jesuítas e militares começaram a aplicá-las nas ruas que se iam abrindo pouco e pouco pelo território. “A ‘calçadinha’ era mais redonda, pequena e branca. Gravuras antigas comprovam a sua existência em Macau no século XIX e início do século XX. Com a invasão dos automóveis nos anos 1950, a ‘calçadinha’ foi desaparecendo”, aponta o arquitecto Francisco Vizeu Pinheiro.

Até ao início dos anos 1980, era possível encontrar alguns vestígios da calçada portuguesa na zona do Leal Senado. Os passeios estreitos da Avenida Almeida Ribeiro e a fonte no centro da praça estavam pavimentados com as pedras branca e preta em formas geométricas, mas acabaram por desaparecer com obras que abriram mais espaço para a circulação de veículos.

*Excerto do artigo “Calçada Portuguesa – Da pedra fez-se mar” de Vanessa Amaro publicado na Revista Macau, edição de Outubro 2014, que fala da volta das calçadas portuguesas em Macau nos anos 90: “A calçada portuguesa ganhou proporções inesperadas e faz parte do cartão postal da cidade”.

As calçadas portuguesas na região da Igreja de Sano Agostinho em 2007

As calçadas portuguesas na região da Igreja de Sano Agostinho em 2007

macau largo Santo Agostinho 1.jpg

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 23/04/2015 por em Calçadas portuguesas e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 867.207 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

%d blogueiros gostam disto: