Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Receita: Camalengada ou Doce Camalenga

Recente publicação do site Projecto Memória Macaense traz um texto da série Tacho do Diabo da Cecília Jorge, “a Doce Camalenga“, com 3 receitas e uma boa explicação sobre a camalenga, ou tung-kuá, em chinês, ou no Brasil, jerimu ou jirimu.  A Cecília é especialista no assunto, uma pena que esta série foi de curta duração.  Foi publicada na Revista Macau no ano de 1993 e 1994. Aliás a Cecília quando se mete a fazer uma coisa, faz muito bem!

Fica assim o convite para visitarem o PMM e constatar que o site tem 20 páginas publicadas sobre a Gastronomia Macaense, com diversas receitas da Celestina, Comunidade Macaense de S.Paulo e Rio, esta série da Cecília, etc. Ainda há muito para se publicar, assim que puder. Na página de entrada você verá o link para a Página Guia da Gastronomia, onde poderão ver o que o site tem a respeito.  Estes Guias, além do Mapa do Site,  que procurei criar no PMM, servem para orientar e auxiliar você na busca de assuntos que o site dispõe.  Estou a revisar todas as páginas, pois algumas  se desconfiguraram após a publicação, coisa que se espera que o provedor Tripod resolva.

Sobre o Doce Camalenga, a minha mãe Marcelina da Luz, o fazia muito bem.  Lembro-me dos tempos de infância em Macau que gostava passá-lo no pão (min páu), especialmente quando ainda estava meio quente, após o preparo.  Saudades da minha mãe que cozinhava muito bem, tanto comida como doces ou salgados.

CAMALENGADA

Abóbora camalenga (ralada) – 3 kgs

Açúcar em pedra – 1 kg

folhas de figueira – 6

Lava-se e descasca-se a abóbora, ralando-a em fios longos. Envolve-se a polpa ralada num pano limpo e espreme-se bem para retirar todo o líquido.

Branqueia-se a abóbora (i.e. escaldar rapidamente em água a ferver) e volta-se a espremer, guardando o líquido. Junta-se a esse líquido um litro de água e fervem-se as folhas de figueira (previamente lavadas, esfregadas com uma escovinha, limpas de nervuras e partidas em bocados), durante cerca de meia hora. Retiram-se as folhas de figueira e coloca-se o açúcar, que deve ficar em ponto de espadana. Junta-se então a abóbora ralada e coze-se, mexendo sempre, até o doce se soltar do fundo do tacho. Guarda-se de preferência em frascos fechados ou em potes de barro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.019.745 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

A relembrar a aula de gastronomia realizada na Casa de Macau de São Paulo em 24/02/2008, ministrada pelos chefs João Bosco Quevedo da Silva e Herculano Alexandre (Alex) Airosa, seguem as fotos e receitas de camarões grandes recheados com ervas à moda de João Bosco Quevedo da Silva e pimenta recheada à moda do Alex Airosa. Na época, a coordenação das aulas e elaboração das […]

Procissão do Corpo de Deus em Macau

Procissão do Corpo de Deus em Macau

PROCISSÃO DO CORPO DE DEUS EM MACAU Texto, fotografias e legendas de Manuel V. Basílio (Macau) As cerimónias do Corpo de Deus, ou Corpus Christi, ou mais precisamente, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, decorrem habitualmente na quinta-feira seguinte a Domingo de Pentecostes, 60 dias depois da Páscoa, tendo este ano ocorrido no […]

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

Não há como não se emocionar ao ouvir a bela canção Adeus Macau, seja qual for o/a intérprete. Possivelmente uma lágrima ou outra poderá escorrer no seu rosto. Alguns associam a canção à transição de soberania de Macau para a China, que em 2019 completa 20 anos. Pode até servir, se quisermos considerar o adeus […]

%d blogueiros gostam disto: