Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Carros dos GPs de Macau – Ferrari 500 Mondial 1955

Grid/grelha de largada do GP de Macau de 1955, com a Ferrari 500 Mondial largando na 3ª posição, ao lado em 2º a Mercedes Benz 190SL de Doug Steane e na pole position,  Robert Ritchie com a sua Austin Healey 100.  Na 2ª fila, em 4º  Neville Fullford no Triumph TR2 e 5º Ron Hardwick no Triumph TR2.  Já no 2º GP foi abolida a largada do estilo Le Mans na qual os pilotos enfileirados correm para os seus carros, o que apresentava risco de acidentes.

A Ferrari 500 Mondial Scaglietti Spyder fez a sua estréia nos GPs de Macau (GPM) em 1955.  Mário Lopes da Costa, genro do então Governador de Macau, Joaquim Marques Esparteiro, que não conseguiu participar do 1º GPM devido a um acidente nos treinos, em sociedade com Fernando de Macedo Pinto, de Macau, rumaram para Itália para comprar o carro.  Esta Ferrari já tinha conquistado a sua 1a. vitória nas 12 Horas de Casablanca de 1953, nas mãos do famoso Alberto Ascari e de Luigi Villoresi.

Para alegria da torcida de Macau, o piloto local Lopes da Costa conseguiu o feito de obter a 3ª posição nos treinos.  Estava combinado com o Macedo Pinto que ele seria o 2º piloto na longa corrida prevista em 4 horas.  Dada a largada, Costa pulou na frente e por 6 voltas liderou a corrida, com a gente de Macau a festejar a cada passagem, até que na 7ª acabou colidindo contra os antigos “guard-rails” que eram sacos de areia.  O resultado disso é que danificou o radiador, tendo que abandonar a competição.  Coitado do Macedo Pinto, que estava morrendo de vontade de assumir a pilotagem do carro no revezamento de pilotos, ficou a “ver navios“.  Paciência, só que não ia ficar para a próxima, pois no 3º GPM, só o Costa pilotou o carro e o Macedo competiu com a sua MGA, terminando em 3º atrás da Ferrari.

*Veja outras imagens da UltimateCarPage desta bela Ferrari de 2 litros (2.0) e 4 cilindros (não é o carro do Costa)

GP de Macau de 1956 – Abaixo o texto de Manuel Taboada do blog Ferrari em Portugal, sobre a performance da Ferrari no GP seguinte na pilotagem do português Mário Lopes da Costa:

Já na largada do 3º GPM, Lopes da Costa assumia a liderança

Participaram neste III Grande Prémio de Macau, 18 automóveis, e para além de Mário Lopes da Costa no Ferrari 500 Mondial #0528MD de cor vermelha, de salientar a presença de Douglas Steane num Mercedes 190 SL, Robert Ritchie num Austin Healey M, G. Baker com um Triumph TR2, N. Fullford com um Warrior-Bristol, Fernando Macedo Pinto com um MG A, Teddy Yip com um Jaguar XK 120 e Eduardo Noronha com um Fencar Special, entre outros.A corrida consistiu em 77 voltas ao Circuito da Guia num total de 483,175Km, presenciada por cerca de cinquenta mil pessoas.Na partida, Lopes da Costa passou rapidamente para a frente (foto), logo seguido pelo Mercedes de Steane, tendo o piloto do Ferrari mantido o comando da prova durante 16 voltas, altura em que, quer Lopes da Costa quer Steane tiveram que efectuar paragens nas boxes para efectuarem algumas reparações nos seus automóveis depois de alguns ligeiros toques, devido ao estado extremamente escorregadio da pista em virtude da chuva que caiu insistentemente a partir de determinada altura. No final, Steane triunfou, completando as 77 voltas no tempo de 5 horas, 24′, 18,8” a uma média de 90 Km/h, Lopes da Costa foi segundo a duas voltas do piloto do Mercedes. No 3º lugar terminou o MG A de Fernando Macedo Pinto.

Foto: Revista ACP/Colecção Manuel Taboada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.021.510 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

A relembrar a aula de gastronomia realizada na Casa de Macau de São Paulo em 24/02/2008, ministrada pelos chefs João Bosco Quevedo da Silva e Herculano Alexandre (Alex) Airosa, seguem as fotos e receitas de camarões grandes recheados com ervas à moda de João Bosco Quevedo da Silva e pimenta recheada à moda do Alex Airosa. Na época, a coordenação das aulas e elaboração das […]

Procissão do Corpo de Deus em Macau

Procissão do Corpo de Deus em Macau

PROCISSÃO DO CORPO DE DEUS EM MACAU Texto, fotografias e legendas de Manuel V. Basílio (Macau) As cerimónias do Corpo de Deus, ou Corpus Christi, ou mais precisamente, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, decorrem habitualmente na quinta-feira seguinte a Domingo de Pentecostes, 60 dias depois da Páscoa, tendo este ano ocorrido no […]

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

Não há como não se emocionar ao ouvir a bela canção Adeus Macau, seja qual for o/a intérprete. Possivelmente uma lágrima ou outra poderá escorrer no seu rosto. Alguns associam a canção à transição de soberania de Macau para a China, que em 2019 completa 20 anos. Pode até servir, se quisermos considerar o adeus […]

%d blogueiros gostam disto: