Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Recordações do Encontro de 1993

Saudades … 1993 foi muito significativo para mim.  Após deixar Macau rumo ao Brasil em Dezembro de 1967, nunca mais lá voltei.  Após 26 anos, naquele ano, em Novembro, pisei de novo na minha terra natal, ainda portuguesa.  Só não beijei o chão, pois estava atordoado, meio fora de si, tomado de muita emoção.  Não acreditava que estava lá de novo, beneficiado pelo subsídio dado pelo Governo português de Macau que possibilitou a viagem para o 1º Encontro das Comunidades Macaenses.  Até lá, por questões financeiras mesmo, não era possível ensaiar uma viagem a Macau.  Lembrava com saudades que em 1967, despedia dos meus pais, os meus cachorros/cães, do Bobby, da casa, dos irmãos, amigos, da Calçada do Tronco Velho … e, num táxi que desceu a Avenida Almeida Ribeiro, contemplava aquela avenida, a pensar, quando voltarei a vê-la e a minha terra? Do navio Fat- San, rumo a Hong Kong para apanhar o navio holandês Tchitchalenka, numa viagem de 3 horas, via Macau aos poucos a desaparecer do horizonte.  Foram 49 dias de viagem marítima para o Brasil, com muitas saudades.

Também em Novembro, ontem, dia 30, a folhear a Revista Macau de Dezembro de 1993, vi o artigo da Cecília Jorge e Beltrão Coelho a respeito deste Encontro. Foi o 1º que teve sequência, mesmo após a transição de Macau para a China, completando a 7ª edição em 2010.  Que me perdõem, mas para mim, 2010 foi o 7º Encontro das Comunidades Macaenses, embora, seja politicamente correto dizer que foi o 4º realizado “sob os auspícios da RAEM”, pois afinal de contas a 3ª edição em 1999, antes da transição, poderia ter sido a última, como se aventava na ocasião, mas felizmente, não se confirmou. Obrigado RAEM!!!

Assim, para matarem as saudades do 1º Encontro, eis algumas fotos do evento:  Você está lá? E, depois leiam outra postagem – “Cecília Jorge, eu fiz a minha parte” – para comentar sobre a mensagem que a Cecília escreveu para o Encontro, assim como o fizeram, outras personalidades e dirigentes das Casas de Macau.  Espero poder publicar uma matéria completa no site Projecto Memória Macaense a respeito deste 1º Encontro.

Nota: Para quem não saiba, os Encontros das Comunidades Macaenses são realizados em Macau reunindo as comunidades da diáspora principalmente localizadas na Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Hong Kong e Portugal.  O Governo português realizou 3 edições patrocinando parcialmente as passagens aéreas e a promoção de atividades, como almoços/jantares, passeios etc.  Após a transição de Macau para a China, esperava-se que os Encontros acabariam, mas o novo Governo chinês decidiu continuar com o apoio, embora discreto no início, mas mais abrangente ultimamente.  Já está programado novo Encontro em 2013, normalmente realizado no fim do mês de Novembro com duração de 9 dias. Veja no site Projecto Memória Macaense como foram os últimos Encontros, bem como neste blog a respeito da edição de 2010.

Fotos da Revista Macau (clicar para aumentar): não estranhem que todos estão “irreconhecíveis“.  Olha aí o Henrique Manhão, o Delano Pereira, Lourenço Conceição, um dos principais mentores deste Encontro, o Gilberto Silva (até que não mudou muito, passado tanto tempo: não sei como!!!???) e tantos outros.  Afinal já se passaram 18 anos e envelhecemos … rsrs

Nesta última foto, as 2 primeiras são do grupo instrumental e o coral da Casa de Macau de São Paulo (que não é o mesmo que você tem visto nos 2 últimos Encontros)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.222.217 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Foi graças a um dvd distribuído por um dos seus filhos, que possibilitou ao Projecto Memória Macaense – PMM montar diversos vídeos filmados por Hércules António que nos trazem velhas e memoráveis lembranças daquela Macau antiga que mora no coração dos macaenses e daqueles que tiveram vivência no território. Os vídeos publicados no YouTube nos […]

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

No livro “Meio Século em Macau” de J. J. Monteiro (José Joaquim Monteiro) composto por dois volumes, nas últimas páginas do Volume II estão as letras da canção “Macau (linda)”, que infelizmente não temos a gravação e nem se sabe se houve, talvez nos arquivos pessoais de algum macaense ou familiares. Trata-se de uma música […]

Brasão de Armas de Macau

Brasão de Armas de Macau

Os Brasões de Macau portuguesa são todos inspirados nos estilos heráldicos tradicionais da Europa. O primeiro brasão de armas de Macau foi usado até ao final do século XIX. É apenas constituído pelas armas de Portugal cercado pela inscrição Cidade do Nome de Deus, Não Há Outra Mais Leal. O segundo brasão de armas foi […]

%d blogueiros gostam disto: