Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Coronel Mesquita, breve biografia

Dando sequência às duas postagens anteriores a respeito do coronel Vicente Nicolau Mesquita (vide), penso que muitos ou alguns macaenses tenham apenas a visão dele como o herói da batalha do Passaleão, que justificava a estátua que ficava no Largo do Senado, mas não conheciam o outro lado escuro da sua vida. Pois, infelizmente, também foi um criminoso.  Assassinou a esposa e a filha, e depois suicidou-se.  Leiam esta breve biografia do Coronel Mesquita, que consta do artigo “O Guardião da Necrópole” de autoria de Amadeu Gomes de Araújo (Revista Macau-Fevereiro 1997)  e conheçam esta triste história:

Realia

À sombra de São Lourenço

A família de Vicente Nicolau de Mesquita fixou-se em Macau, na freguesia de S. Lourenço, na primeira metade do século XVIII. Ali nasceu o seu bisavô, José da Cruz de Mesquita, em 14 de Outubro de 1744; o avô, João de Mesquita, e o pai, Frederico Albino, advogado no auditório de Macau. Ele próprio, Vicente Nicolau, nasceu em S. Lourenço, a 9 de Julho de 1818, ali foi baptizado, viveu, casou e morreu.

Em 9 de Junho de 1835 assentou praça como voluntário no Batalhão do Príncipe Regente. Tinha então 16 anos. Aos 17 casou com a crioula Balbina Maria da Silveira, de quem teve cinco filhas, três das quais faleceram no mês de Maio de 1842, com intervalos de uma semana.

Em 25 de Agosto de 1849, com 31 anos de idade, comandou o assalto ao forte chinês de Passaleão, transformando-se numa figura heróica, prestigiada, da sociedade macaense.

Quando enviuvou, após 24 anos de casamento, desposou Carolina Maria Josefa da Silveira, irmã da primeira mulher, mas 11 anos mais nova. Meses depois, falecia a quarta filha.

Crises de ciúmes e outros graves problemas familiares envolvendo dois dos filhos do segundo casamento, associados a invejas e questiúnculas do pequeno mundo macaense, fizeram de Mesquita um homem atormentado e perturbaram- lhe a mente.

Desnorteado, mas apercebendo-se da aproximação de uma tragédia, procurou o apoio do bispo, D. Manuel Bernardo de Sousa Enes, e do Governador, Joaquim José da Graça. Ambos lhe recusaram a ajuda solicitada. Já sem controlo, pretendendo salvar o que, no seu perturbado código de valores, considerava a honra de pai e de militar, num ataque de loucura, assassinou a esposa e uma filha, suicidando-se em seguida. Era Dia do Pai, S. José — 19 de Março de 1880.

A sociedade recusou-lhe uma campa cristã e lançou-o na terra anônima dos réprobos. Proscrito, aguardaria 30 anos pela reabilitação. Quando, em 14 de Outubro de 1937, falecia no asilo da Misericórdia, com 95 anos de idade, solteira, Leopoldina Rosa, última dos seus oito filhos, extinguia-se a secular geração dos Mesquita.

À sombra de S. Lourenço, cumpriu-se uma triste sina…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.021.543 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

Receitas de camarões e pimentas recheadas da gastronomia de Macau com Bosco Silva e Alex Airosa

A relembrar a aula de gastronomia realizada na Casa de Macau de São Paulo em 24/02/2008, ministrada pelos chefs João Bosco Quevedo da Silva e Herculano Alexandre (Alex) Airosa, seguem as fotos e receitas de camarões grandes recheados com ervas à moda de João Bosco Quevedo da Silva e pimenta recheada à moda do Alex Airosa. Na época, a coordenação das aulas e elaboração das […]

Procissão do Corpo de Deus em Macau

Procissão do Corpo de Deus em Macau

PROCISSÃO DO CORPO DE DEUS EM MACAU Texto, fotografias e legendas de Manuel V. Basílio (Macau) As cerimónias do Corpo de Deus, ou Corpus Christi, ou mais precisamente, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, decorrem habitualmente na quinta-feira seguinte a Domingo de Pentecostes, 60 dias depois da Páscoa, tendo este ano ocorrido no […]

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

“Adeus Macau” na voz de Isa Manhão no Encontro das Comunidades Macaenses de 2010

Não há como não se emocionar ao ouvir a bela canção Adeus Macau, seja qual for o/a intérprete. Possivelmente uma lágrima ou outra poderá escorrer no seu rosto. Alguns associam a canção à transição de soberania de Macau para a China, que em 2019 completa 20 anos. Pode até servir, se quisermos considerar o adeus […]

%d blogueiros gostam disto: