Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Ópera chinesa nos bastidores, o olhar do Cardoso

Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Fotografia de/Photos by Manuel Cardoso (Macau)

Chinese Opera in the backstage

Quem é de Macau sabe que chamavamos a ópera chinesa de “tôc tôc tchéang”, que significa o som do bater numa madeira, de um instrumento musical de percurssão (tôc tôc – 2x) e dos pratos (tcheáng – 1x).  Muitos macaenses tinham até certo arrepio da ópera chinesa que não combinava com os nossos gostos ocidentais, em geral. Sinceramente nunca vi uma por completa, apenas um olhar rápido.  O som estridente das cantorias e dos instrumentos musicais não nos agradava.  Como estou fora da minha terra desde 1967, não saberia dizer como é a preferência nos dias de hoje, que duvido tenha mudado.  Até já não cai no gosto da nova geração chinesa. Segundos dados da Conselho de Ópera Cantonense de Hong Kong, em 1950 eram 2 milhões de fãs e em 2005 caíram para 300mil.  Mas, qual a diferença de ópera chinesa cantonense e de outras mais de 300 óperas chinesas? Isto, falo noutra postagem.

Hoje, penso que, por curiosidade e por estar fora da China há tanto tempo, poderia até assistir a uma peça teatral por completo.  Mas, principalmente, adoraria fotografar tanto os bastidores como a própria apresentação.  Isto fez um fotógrafo macaense, residente em Macau, o Manuel Cardoso, um profissional de longa data, experiente e vivido, e que possui uma excelente fotografia e olhar. Infiltrou-se nos bastidores de um teatro de ópera chinesa cantonense no Templo A-Ma e fez um belo ensaio fotográfico dos artistas a se maquiarem, bem como do precário e improvisado ambiente do camarim, a nos mostrar o seu colorido e a impressionante maquiagem/maquilhagem, até um retrato da mesma dramaticidade das peças teatrais. Numa outra postagem falo do talentoso fotógrafo Cardoso.

Noutras postagens, ainda irei mostrar mais imagens do Cardoso desses bastidores, as apresentações da ópera chinesa e o ambiente externo dos locais onde são apresentados em Macau, normalmente improvisados, com algum texto informativo.

* Obrigado Manuel Cardoso pela permissão para uso das suas fotos

Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa. Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa. Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Ópera chinesa, Fotografia de/Photo by Manuel Cardoso (Macau)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 891.315 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (02)

Imagens que trazem saudosas lembranças daquela Macau que não existe mais, mas que permanece viva na nossa memória e nas fotografias a seguir publicadas de forma aleatória, a procurar dar uma descrição a confirmar ou corrigir. O que vale mesmo é o que se diz – recordar é viver! As fotos são dos anos 50 […]

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

%d blogueiros gostam disto: