Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Paris: Catedral de Saint-Louis-des-Invalides, onde Napoleão está enterrado

Hôtel des Invalides e a cúpula da Catedral

Hôtel des Invalides e a cúpula da Catedral

Paris é monumental e clássica. Para mim foi uma experiência fotográfica fantástica nos três dias que lá permaneci em 2008, no retorno de uma viagem a Macau.  Poderia até dizer que Paris é dos locais que visitei, que me proporcionou fotos que qualifico as melhores que fiz de paisagens urbanas.

Um dos seus importantes monumentos é o Hôtel National des Invalides, ou Palácio dos Inválidos, cuja construção foi ordenada por Luís XIV, em 1670, para dar abrigo aos inválidos dos seus exércitos. Hoje em dia, continua acolhendo os inválidos, mas é também uma necrópole militar e sede de vários museus.

paris2.dome02.652

Catedral de Saint-Louis-des-Invalides

Faz parte deste magnífico complexo, a Catedral de Saint-Louis-des-Invalides cuja construção durou cerca de 30 anos, só ficando concluída em  1706. Sob a bela cúpula dourada que se destaca na paisagem parisiense, estão os restos mortais de Napoleão Bonaparte e de seus irmãos, além de generais importantes da história da França.  Embora a pretensão de Luís XIV tenha sido de reservar o templo à sua família, o plano não se concretizou com a sua morte.  Assim em 1840, por ordem do Rei Luís Felipe, os restos mortais de Napoleão foram transferidos para a Catedral.

Vejamos o que a enciclopédia livre Wikipedia nos conta a respeito da Catedral:

paris2.dome07.673

Catedral de Saint-Louis-des-Invalides

A capela do Hôtel des Invalides, concebida para acolher os pensionistas dos Invalides, foi elevada à categoria de cathédrale. É a sede do Bispo Católico dos Exércitos.

A planta geral do edifício, criada por Jules Hardouin-Mansart, é simples: uma cruz grega inscrita num plano quadrado. Cada uma das fachadas é composta por duas ordens sobrepostas, sublinhadas por um pórtico encimado por um frontão triangular. A cúpula está colocada sobre um alto tambor, cujo segundo andar está ornado por altas janelas. É a este nível que o grande rigor clássico da arquitectura evolui sensivelmente: a parte baixa do tambor está rodeada por colunas geminadas cercadas por altas janelas com lintéis curvos. Estas colunas não estão dispostas regularmente nos pontos cardiais do edifício, uma vez que foram reagrupadas em grupos de dois por dois para assegurar a estabilidade da cúpula. Pela mesma razão, pequenas volutas, à imagem da Salute de Veneza, foram dispostas sobre esta coroa de colunas, na base da segunda parte do tambor.

A cúpula em forma oval, rodeada por potes de fogo, está recoberta de ricos motivos dourados de troféus e perfurada com óculos. Por fim, é encimado por um lanternim que não renegaria Boromini. Trata-se de um pequeno pavilhão quadrado, com corte enviesado em relação à fachada, com ângulos decorados por colunas sobre as quais foram dispostas estátuas. O conjunto é por fim coroado por um obelisco afilado terminado por uma cruz. Com uma base de estrutura quadrada encimada por frontões triangulares, passa insensivelmente às formas complexas onde as curvas dominam: tambor, cúpula, óculus, volutas…

Podem ver-se, suspensas na abóbada segundo uma tradição antiga, as bandeiras e estandartes tomadas ao inimigo.

paris2.dome13.613

O sarcófago de Napoleão Bonaparte.vista da abertura no centro da Catedral sob a cúpula dourada

A cúpula

Napoleão I repousa sob a cúpula, na companhia dos seus dois irmãos, Joseph e Jérome Bonaparte, e do seu filho, o “Filhote de Águia

Aspecto interno da cúpula dourada

Aspecto interno da cúpula dourada

paris2.dome16.617

Napoleão Bonaparte foi inumado no dia 15 de Dezembro de 1840, sob a Monarquia de Julho, cujos líderes procuravam reunir os partidários do Imperador defunto (ao mesmo tempo era, com efeito, terminado o Arco do Triunfo da Estrela). As cinzas de Napoleão foram colocadas num monumental sarcófago, ele próprio colocado numa cripta construída no centro da capela Saint-Louis.

O seu filho François Bonaparte (igualmente chamado de Napoleãon II, “o filhote de águia” ou Duque de Reichstadt) foi ali inumado, em 1940, como presente de Adolf Hitler à França.

José e Jerónimo Bonaparte, irmãos do Imperador, foram enterrados em duas alvovas laterais.

O sarcófago de Napoleão Bonaparte está rodeado pelos túmulos dos generais do Império Duroc e Bertrand.

paris2.dome31.643

O sarcófago de Napoleão Bonaparte.

paris2.dome17.618

paris2.dome20.621

A abertura central corresponde à cúpula dourada, sob a qual, estão os restos mortais de Napoleão Bonaparte

paris2.dome15.615

paris2.dome24.627

paris2.dome21.622

Aqui repousam os restos mortais de Henri de la Tour d’Auvergne, visconde de Turenne (Sedan, 11 de Setembro de 1611 — Salzbach, 27 de Julho de 1675), foi nomeado marechal de França em 1643. (Wikipedia)

paris2.dome28.635

Aqui repousa o coração de Sébastien Le Prestre, marquês de Vauban (1633 – 1707), também conhecido por Sébastien Le Prestre de Vauban, foi um arquitecto militar francês, introdutor do chamado estilo Vauban de fortificação. Especialista em poliorcética, diz-se que deu à França uma impenetrável cintura de aço. Foi nomeado Marechal de França por Luís XIV. (Wikipedia)

paris2.dome29.636

José e Jerónimo Bonaparte, irmãos do Imperador Napoleão, foram enterrados em duas alvovas laterais.

paris2.dome22.624

O uniforme de Napoleão Bonaparte

Catedral de Saint-Louis-des-Invalides

Catedral de Saint-Louis-des-Invalides

paris2.dome25.629

Aqui repousa Ferdinand Foch (2 de outubro de 1851, Tarbes, França – 20 de março de 1929) que foi um militar francês. Comandou as forças da Tríplice Entente ou dos Aliados em 1914 de uma forma decisiva, levando à vitória do Marne. Dirigiu com êxito operações na Flandres; como adjunto de Joseph Joffre, coordenou as operações dos exércitos franceses, belgas e britânicos (Wikipedia).

paris2.dome27.634

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30/03/2013 por em Catedral de Saint-Louis-des-Invalides, FRANÇA, Paris.

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 707,530 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

%d blogueiros gostam disto: