Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

“Bastiana” uma canção tradicional macaense cantada pelo Coral Dinamene

Coral Dinamene

Coral Dinamene

“Conselhos a uma jovem macaense, conhecida por Bastiana:  não deve brincar com o amor, deve retribuir o amor testemunhado (pelo autor das quadras), que entretanto se contenta com ser amado, sem mais exigências, e finalmente deve amar alguém da sua idade, deixando de parte algum pretendente velho (embora talvez rico!)“.  Esta é a apresentação desta canção tradicional de Macau cantada no dialecto macaense – patuá, que consta do livreto do CD de Isabel Tello Mexia – Goa, Macau, Timor (da TRADISOM), que também a gravou.

Porém, nesta postagem vou apresentar a vocês a versão cantada pelo Coral Dinamene, que foi fundado em Outubro de 1988 pelo Maestro António José Cruz Carvalho.  Era composto por cerca de 40 integrantes, na sua maioria ligados à Direcção dos Serviços de Educação e Juventude do ex-Governo Português de Macau.  Não saberia dizer se o Coral ainda existe em Macau, ou noutro lugar.

Esta canção traz muitas saudades dos meus tempos de infância em Macau. Tenho leve recordação que a ouvia, talvez timidamente cantada pela minha mãe.  Tempos antigos em que tudo era simples, porém belo!

A canção consta do repertório musical do belo CD do Coral Dinamene – MEUS OLHOS VAN PER LO MAR, gravado nos estúdios da Rádio Macau no mês de Abril de 1993. É uma edição e produção de José Moças, da TRADISOM (www.tradisom.com), a quem agradeço a permissão para divulgação da sua coleção musical. Creio ser possível ainda encontrar um exemplar ou outro em Macau, onde comprei na Livraria Portuguesa, ou então com a editora.

Clique na seta para ouvir a bela canção, e acompanhe-a com as letras publicadas abaixo:

BASTIANA
Quin quêrê amôr, Bastiana,
Prêcisa considérá
Amôr nunca sam brinco, Bastiana,
Pêgá torná largá
Quin quêrê pâ iôo, Bastiana,
Tánto ancusa lôgo dá
Apa, mútchi, côco, Bastiana
Pipis, cátuapá
Iôo quêrê pâ vôs, Bastiana,
Vôs quêrê pâ ôtro;
Dêus lôgo cástigá, Bastiana,
Fazê vosso ôlo tôrto.
Arvrê di papaia, Bastiana,
Pê já nàcê rabo,
Vêlo, velo olá rapariga, Bastiana
Boca còrê babo
o CD

o CD

Coral Dinamene (03)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 695,172 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

%d blogueiros gostam disto: