Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Conhecer Macau: peixe salgado em San Má Lou

Avenida Almeda Ribeiro, em Macau.  A denominação em chinês: San Má Lou.  Foi em 1993, e a mercearia Soi Cheong ainda existia na esquina do lado direito  (anúncio em verde)

Avenida Almeda Ribeiro, em Macau. A denominação em chinês: San Má Lou. Foi em 1993, e a mercearia Soi Cheong ainda existia na esquina do lado direito (anúncio em verde)

Nesta postagem mais uma atração da Cidade do Nome de Deus que divulga o livreto da Direcção dos Serviços de Turismo de Macau – 50 Maneiras de Conhecer Macau – editado em 1991, ainda na administração portuguesa, é o peixe salgado vendido na região da Avenida Almeida Ribeiro, ou em chinês: “San Má Lou”, que não é a tradução literal, nem parecida, da denominação em português.

As fotos foram feitas por mim em 1993 (salvo de outra autoria atribuída), com muita saudade, por ocasião do 1º Encontro das Comunidades Macaenses, quando retornei pela primeira vez à minha terra natal, após tê-la deixado em 1967.  A Mia, brasileira, também pela primeira vez conhecia Macau, e foi amor à primeira vista, tendo retornado várias vezes, em todos os Encontros, menos o de 2001.

O livreto relata em poucas palavras:

Bancas de venda de peixe salgado em rua lateral da Av.Almeida Ribeiro ou San á Lou

Bancas de venda de peixe salgado em rua lateral da Av.Almeida Ribeiro ou San Má Lou

Compre PEIXE SALGADO

em SAN MÁ LOU

A Avenida Almeida Ribeiro (perpendicular à Rua da Praia Grande e ao Porto Interior) é mais conhecida localmente pela sua designação chinesa de San Má Lou.

Ao longo desta popular artéria encontrará variadíssimas lojas, desde joalharias e boutiques a farmácias ocidentais e de medicina chinesa tradicional.

Mas, para os visitantes de Hong Kong, o maior atractivo de San Má Lou são as lojas de venda de peixe seco que, em sua opinião, é o melhor de toda a Ásia.

Facilmente as descobrirá ao fundo da Avenida, pois os comerciantes penduram os peixes (completamente envoltos em papel, à excepção da cabeça) mesmo à entrada das lojas em jeito de cortinas.

A Mia, brasileira, pela primeira vez em Macau, foi conhecer uma loja de peixe salgado no Porto Interior

A Mia, brasileira, pela primeira vez em Macau, foi conhecer uma loja de peixe salgado no Porto Interior

Os peixes salgados no chão para tomar sol.

Defronte à loja, alimentos secos são deixados no chão para tomar sol, talvez para secar melhor (?),

Av. Almeida Ribeiro ou San Má Lou

Av. Almeida Ribeiro ou San Má Lou

Av. Almeida Ribeiro ou San Má Lou

Av. Almeida Ribeiro ou San Má Lou

Outra banca de venda de peixo salgado, só que, pelo olhar do vendedor chinês, ele não estava nada gostando de ser fotografado.  Isto em 1993, quando ainda certa restrição de chineses em serem fotografados por receio que isso tirasse a alma dele (ou coisa assim)

Outra banca de venda de peixo salgado, só que, pelo olhar do vendedor chinês, ele não estava nada gostando de ser fotografado. Isto em 1993, quando ainda havia certa restrição de alguns chineses em serem fotografados por receio que isso tirasse a alma dele (ou coisa assim).  Costumes antigos da velha China.

A avenida em imagem do livreto em questão

A avenida em imagem do livreto em questão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 851.969 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

%d blogueiros gostam disto: