Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Aviões militares do Museu TAM, no Brasil

Na postagem anterior, falei sobre este belo Museu TAM de aviação localizado no município de São Carlos, no Estado de São Paulo. Veja neste link: https://cronicasmacaenses.com/2013/11/21/museu-tam-um-belo-museu-de-aviacao-do-brasil/

Nesta, vou lhes mostrar as fotos da aviação militar, que inclui tanto aviões de combate, como de treinamento e observação, procurando dar seus detalhes técnicos.  Desde a juventude tenho especial interesse por este segmento e por tudo que se relaciona à máquina de guerra.

(fotogafia de/photos by Rogério P.D. Luz

Fonte de dados/informações técnicas: Museu TAM e Wikipedia)

Museu TAM aviação militar (45)

Fotos acima e abaixo: VOUGHT F4u-1 CORSAIR – Caça-bombardeiro americano da II Guerra, com asas dobraveis, embarcado em porta-aviões, foi criado em 1942 para enfrentar os aviões japonenses A6M Zero. Com velocidade máxima de 684 km/h, a sua produção foi encerrada em 1952.

(clicar nas fotos menores para ampliar)

Museu TAM aviação militar (41)

Acima e abaixo: MESSERSCHMITT BF 109 g-4 TROP – principal caça alemão da II Guerra entrou em serviço no ano de 1936. Este exemplar fabricado em 1943 voou no Esquadrão JG27 no Norte de África, do qual fez parte o famoso piloto Hans Joachim Marseille. A velocidade máxima era de 690 m/h e o motor da Daimler-Benz AG.

Museu TAM aviação militar (32)

Acima e abaixo: LOCKHEED T-33 “SHOOTING STAR” – avião a jato norte-americano voou pela primeira vez em 1948.  Servia de treinamento para os pilotos americanos da USAF.  O Brasil comprou 58 exemplares e estiveram a serviço da Força Aérea brasileira – FAB de 1956 a 1975. A velocidade máxima era de 970 km/h e o motor da GE.

Museu TAM aviação militar (33)

Museu TAM aviação militar (36)

Acima e abaixo: REPUBLIC P-47 THUNDERBOLT – avião criado pela Força Aérea norte-americana USAF na II Guerra para combater os japonenses e alemães.  O primeiro protótipo voou em 1941, porém logo em 1945 a sua produção foi encerrada. O caça foi utilizado pelo 1º Grupo de Aviação de Caça (GAvCa) da Força Aérea Brasileira-FAB e serviu às forças de combate brasileiras na Campanha de Itália.  Este avião exposto foi pintado para homenagear o tenente aviador brasileiro Fernando Corrêa Rocha. A sua velocidade máxima era de 690 km/h e o motor da Pratt & Whitney Co.

Museu TAM aviação militar (23)

Acima e abaixo: SUPERMARINE SPITFIR MK.IX – caça britânico mais famoso fabricado entre 1936 a 1948 combatendo na II Guerra Mundial. Foi capaz de enfrentar os melhores caças alemães na Batalha da Inglaterra.  Este exemplar serviu na Europa, inclusive na decisiva invasão de Normandia no Dia D.  A velocidade máxima era de 650 km/h o motor da Rolls Royce.

Museu TAM aviação militar (27)

Acima e abaixo: GLOSTER “METEOR” F-8 – primeiro caça a jato britânico, voou pela primeira vez em 1943 e foi utilizado pelos Aliados no final da II Guerra.  O Brasil importou 60 exemplares em 1953 sendo seu primeiro caça a jato.  Serviu na FAB até 1974.  Voava até 941 km/h e o motor era da Rolls Royce.

Museu TAM aviação militar (22)

Acima e abaixo: MYKOYAN-GUREVICH MIG 21 “FISHBED” – caça supersônico soviético, começou a ser fabricado em 1959. Foi o caça mais produzido em toda a história, sendo fabricados mais de 10 mil exemplares. Serviu em mais países e guerras do que qualquer outro caça a jato.  O avião exposto pertenceu à Força Aérea polonesa e foi fabricado em Moscou em 1973. Voava a 2.195 km/h e o motor era da Tumansky OKB.

Museu TAM aviação militar (21)

Museu TAM aviação militar (20)

Acima e abaixo: MYKOYAN-GUREVICH MIG-17 “FRESCO” – caça da Rússia com produção iniciada em 1952, sendo o primeiro avião soviético a possuir pós-combustão.  Este exemplar pertenceu à Força Aérea polonesa e foi pintado com as suas cores. A velocidade máxima era de 1.114 km/h e o motor da Klimov Co.

Museu TAM aviação militar (19)

Museu TAM aviação militar (16)

Acima e abaixoMYKOYAN-GUREVICH MIG-15 UTI – caça soviético, voou pela primeira vez em 1947 e começou a ser fabricado em 1949.  Deu trabalho aos norte-americanos na Guerra da Coréia pois era superior aos caças da Força Aérea da USAF, enfrentando os valentes Sabres.  Este modelo foi fabricado sob licença em 1956 na Checolosváquia.  Continua provavelmente em atividade em alguns países e talvez até na China.  A velocidade máxima é de 1.042km/h.

Museu TAM aviação militar (14)

Acima e abaixo: DASSAULT MIRAGE III D – É um dos mais bem sucedidos caças supersônicos já construídos. Desenvolvido pela Dassault Aviation da França na década de 1950, foi o primeiro avião de combate europeu capaz de voar a uma velocidade de Mach 2. O Mirage III foi produzido em diversas versões e adquirido pelas forças aéreas de vinte países num total de 1.422 unidades construídas.

Devido a possuir como característica ser um caça simples e confiável e por possuir um bom desempenho, o Mirage foi por muito tempo o principal avião de defesa da Força Aérea Francesa. Também obteve grande sucesso durante a Guerra dos Seis Dias quando a Força Aérea Israelense o utilizaram amplamente com sucesso em combate contra as Forças Aéreas do Egito, Síria e Jordania.

Também foi empregado na guerra do Paquistão em Dezembro de 1971 onde obteve 8 vitórias sobre a Força Aérea Indiana. Em 1982 foram utilizados pela Força Aérea da Argentina nas Guerra das Malvinas contra a Inglaterra.

Dados técnicos: Velocidade máxima – 2.112 km/h. Alcance – 1.200 km. Teto – 17.000m. Armamento – metralhadoras 2x DEFA 552 de 30 mm com 250 Obuses. Mísseis/bombas – Matra R550 Magic, Matra R530, Matra JL-100, AM-39 Exocet, AIM-9 Sidewinders. (Wikipedia)

NA FORÇA AÉREA BRASILEIRA – FAB: Em maio de 1970 o Brasil encomendou 17 caças, sendo 13 do modelo Mirage IIIEBR e 4 do modelo IIIDBR que foram entregues para a Força Aérea Brasileira entre Outubro de 1972 a Maio de 1973, recebendo a denominação de F-103. Os caças Mirage III pertenciam ao 1o. Grupo de Defesa Aérea (1o. GDA), localizados na base de Anápolis em Goiás.

Estes caças foram submetidos ao primeiro programa de modernização no final da década de 80 e novamente em 1997. Permaneceram em operação até Dezembro de 2005, quando já contavam com mais de 67.000 horas de voo e 33 anos de operação, sendo estes substituídos pelos caças Mirage 2000. (Wikipedia)

MODELO EXPOSTO: O exemplar, da versão D e número de série 4908, é um biplace e traz uma curiosidade: foi nele que o piloto de Fórmula 1 Ayrton Senna voou na década de 1990 (veja a inscrição na foto abaixo).

Museu TAM aviação militar (09.1)

Acima e abaixo: EMBRAER EMB-326 GB (XAVANTE) – treinador a jato brasileiro fabricado a partir de 1970 pela EMBRAER sob licença da Aeromacchi italiana. Foram produzidos 166 exemplares e operavam como jato de treino e de ataque leve. A velocidade máxima era de 870 km/h e o motor da Rolls Royce.

Museu TAM aviação militar (06)

Acima: SIRORSKY SH-3 SEA KING – helicóptero fabricado a partir da década de 50, era destinado ao transporte, missões de guerra anti-submarino e anti-superfície, de salvamento e resgate. Este exemplar pertenceu à Marinha brasileira. A velocidade máxima era de 267 km/h e o motor da GE.

Museu TAM aviação militar (01)

Acima e abaixo à esquerdaMESSERSCHMITT BF 109 – outro exemplar exposto, suspenso, na recepção do museu.

Acima à direita e abaixo: CONSOLIDATED – VULTEE BT-13A – avião de treinamento na II Guerra de 1942. Foram fabricados mais de 11 mil exemplares e a velocidade máxima era de 267 km/h.

Museu TAM aviação militar (04)

Museu TAM aviação militar (10)

Acima e abaixo: DE HAVILLAND DHC-5 BUFFALO – aeronave de transporte do Canadá, ideal para pistas curtas e não preparadas.  O primeiro voo foi em 1961 e começou a ser vendida a partir de 1965. Operou na Força Aérea Brasileira – FAB até 2002. A velocidade máxima era de 435 km/h e o motor do fabricante De Havilland Canada.

Museu TAM aviação militar (29)

Acima e abaixo à esquerda: GRUMMAN P-16E TRACKER – aeronave norte-americana fabricada entre 1954 a 1977, para guerra submarina e embarcado em porta-aviões.  Serviu por duas décadas na Marinha dos EUA para vigiar os silenciosos submarinos soviéticos durante a Guerra Fria. Na Marinha brasileira serviu entre 1961 a 1996 no porta-aviões Minas Gerais. Voava até 405 km/h e o motor era da Wright Aeronautical USA.

Museu TAM aviação militar (34)

Acima: BOEING PT-17 STEARMAN 75 – avião de treinamento militar primário dos EUA fez o 1º voo em 1933. Velocidade máxima de 200 km/h

Museu TAM aviação militar (35)

Museu TAM aviação militar (39)

Acima: FLEET II – Utilizado pela Força Aérea do Canadá para treinamento dos seus pilotos, foi fabricado entre 1931 a 1938. Voa até 180 km/h.

Museu TAM aviação militar (40)

Acima: FOCKE-WULF FW-44J STIEGLITZ – avião alemão de treinamento projetado em 1932, foi produzido em mais de 30 países.  No Brasil foi fabricado sob licença pela Marinha. O modelo acima foi fabricado na Argentina e veio voando para o Brasil em 1998 pilotado por João Amaro.

CESSNA 305a BIRD DOG - monomotor de 1950 dos EUA servia para o trabalho de ligação e observação do Exército e Marinha norte-americana. Velocidade máxima: 288 km/h

CESSNA 305a BIRD DOG – monomotor de 1950 dos EUA servia para o trabalho de ligação e observação do Exército e Marinha norte-americana. Velocidade máxima: 288 km/h

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 683,999 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: