Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Sainte-Chapelle uma bela capela gótica de 1248 em Paris

Os vitrais da capela superior são os prncipais atrativos da capela gótica do Século 13.

Os vitrais da capela superior são os principais atrativos da capela gótica Sainte-Chapelle do Século 13. As paredes são substituídas por vitrais

A Île (Ilha) de la Cité em Paris rodeada pelas águas do Rio Sena  e onde se encontra a famosa Catedral de Notre-Dame, tem uma bela capela gótica, Sainte-Chapelle, considerada uma das mais belas da França pelos seus monumentais vitrais.

Reservei o meu último dia dos três da curta estadia em Paris para visitar a Ilha, em agosto de 2008. Retornava de Macau via Air France e não podia dispensar um passeio nesta bela cidade de sonhos.  O avião, por sorte, partia à noite para São Paulo, permitindo total aproveitamento do dia.

Peguei o metrô perto do hotel, o melhor meio de transporte para conhecer rápido Paris, e desci na estação Cité apenas com uma baldeação. Fácil.  Logo na saída que dá para uma bela praça, já se tem uma visão da capela atrás do imponente Palácio de Justiça.

Veja as fotos explicativas e o histórico da capela Saine-Chapelle conforme a Wikipedia:

(fotografias de/photos by Rogério P.D. Luz)

O frontal e a entrada para a capela

O frontal e a entrada para a capela de dois pisos, a inferior e superior

A capela ao lado do atual Palácio de Justiça

A capela ao lado do atual Palácio de Justiça

(Clicar nas fotos menores para ampliar)

SAINTE-CHAPELLE

fonte: Wikipedia

A Sainte-Chapelle é uma capela gótica situada na Ilha de la Cité em Paris, construída no século XIII por Luís IX (São Luís). Foi projetada em 1241, iniciada em 1246 e concluída muito rapidamente, sendo consagrada em Abril de 1248. O seu patrono foi o devoto rei francês Luís IX, que a construiu para servir de capela do palácio real. O restante do palácio desapareceu completamente, sendo substituído pelo atual Palácio da Justiça.

Depois de terminada, a Sainte-Chapelle carecia de santificação pela presença de relíquias apropriadas e, assim, obteve-se a coroa de espinhos de Cristo, obtidas do imperador latino de Constantinopla, Balduíno II, pela exorbitante soma de 135.000 libras. Para ter uma ideia de relatividade, a construção de toda a capela custou 45.000 libras. Além de outras relíquias, acrescentou-se ainda um fragmento da Vera Cruz e, desta forma, o edifício tornou-se um precioso relicário.

Consiste de duas capelas sobrepostas, a inferior reservada aos funcionários e moradores do palácio, e a superior para a família real. A ideia de uma capela palaciana se baseou na Igreja da Virgem de Pharos, anexa ao Grande Palácio de Constantinopla, onde estavam as relíquias saqueadas pelo Império Latino durante a ocupação da capital do Império Bizantino (1204 – 1261).

A capela inferior do 1º andar com loja de venda de souvenirs

A capela inferior do 1º andar com loja de venda de souvenirs

Os aspectos mais belos e notáveis da construção, considerados os melhores do seu gênero em todo o mundo, são os seus vitrais emoldurados por um delicado trabalho em pedra, com rosáceas acrescentadas à capela superior no século XV. Não existe nenhuma menção direta ao arquiteto, mas o nome de Pierre de Montreuil, que reconstruiu a abside da Abadia Real de Saint-Denis e completou a fachada de Notre Dame, é por vezes associado ao projeto.

Durante a Revolução Francesa a capela foi transformada em escritório administrativo e os vitrais foram tapados com enormes armários. A sua beleza oculta foi assim inadvertidamente preservada do vandalismo que sofreu em outras partes, tendo sido destruídos os assentos do coro e o painel do altar principal, o pináculo do teto deitado abaixo e muitas das suas relíquias dispersas. No século XIX Viollet-le-Duc restaurou a Sainte-Chapelle, e o pináculo atual é obra sua.

Capela inferior

A Capela inferior era reservada aos funcionários e moradores do palácio

Um estreita escada em caracol conduz à capela superior

Um estreita escada em caracol conduz à capela superior

A Capela superior era reservada à família real e onde estão os famosos vitrais e rosáceas.  Na foto a Tribuna das Reíquias ao fundo

A Capela superior ou alta era reservada à família real e onde estão os famosos vitrais e rosáceas. Na foto a Tribuna das Relíquias ao fundo

paris3.eglise.16

Nas fotos abaixo as esculturas dos doze Apóstolos.

Medalhões decoram as paredes da capela

Medalhões decoram as paredes da capela

A capela superior tem 20,50 metros de altura sem contar a abóboda

A capela superior tem 20,50 metros de altura sem contar a abóboda

Para chegar à Ilha pegue a Linha 4 do Metrô e desça na estação Cité (foto). Ao sair dela já se vê a capela.

Para chegar à Ilha pegue a Linha 4 do Metrô e desça na estação Cité (foto). Ao sair dela já se vê a capela.

Ilha de la Cité com vista da Catedral de Notre Dame

Ilha de la Cité com vista da Catedral de Notre Dame

* Fonte de consulta complementar à Wikipedia: blog Direto de Paris

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 06/02/2014 por em Capela Sainte-Chapelle e marcado , , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.492.002 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: