Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

A banda da PSP de Macau

Procissão de Cristo Morto em Macau, na Semana Santa de 2014. Foto de M.V.Basílio

Procissão de Cristo Morto em Macau, na Semana Santa de 2014. Foto de M.V.Basílio. Ao fundo, a banda da PSP de Macau.

É louvável ainda ver a participação da banda do corpo da Polícia de Segurança Pública de Macau-PSP nas procissões que se realizam na Região Administrativa Especial de Macau-RAEM, mesmo após a transição de soberania de Portugal para a China que ocorreu há mais de 14 anos.

A sua mais recente participação foi na procissão de Cristo Morto na Semana Santa de 2014.  Pelas fotos enviadas pelo amigo M.V. Basílio de  Macau, podia-se ver a banda da PSP a tocar músicas apropriadas ao espírito fúnebre da procissão, o que duplamente dá uma satisfação a ver que a tradição está mantida.

Na procissão anterior de Nosso Senhor dos Passos causou certa preocupação, inclusive comentada na rede social Facebook, a ausência da banda da procissão de retorno da imagem de Cristo da Sé Catedral para a Igreja de Santo Agostinho. Contudo foi esclarecido que a ausência se deveu à data coincidir com uma festa da corporação, o que impediu a sua participação.

Também é oportuno divulgar um texto que a Revista Macau publicou há 20 anos atrás, na edição de Julho de 1994, inserido no artigo “Músicos de Macau” de autoria de Isabel Menezes, que dá um pequeno histórico de fundação da banda da PSP até aquela data:

Banda da PSP no Festival de Artes, Macau 1994 (?). Foto da Revista Macau

Banda da PSP no Festival de Artes, Macau 1994 (?). Foto da Revista Macau

BANDA DA PSP: MÚSICA PARA DURAR

um texto de Isabel Menezes inserido no artigo Músicos de Macau – Revista Macau Julho 1994

A banda de música do corpo da Polícia de Segurança Pública de Macau tem já um tempo de existência suficiente para que continue a afirmar-se na vida cultural do território. Desde 1958, passou a fazer parte de várias actividades, para além das cerimónias oficiais,

A banda da PSP foi oficialmente criada em 1951 e até hoje ( em 1994) já teve 7 orientadores artísticos. O padre César Brianza foi quem ocupou este lugar durante mais tempo, entre 1966 e 1980. Seguiu-se depois o sargento-ajudante músico do exército Pinto de Sá, que dirigiu a banda no mesmo período em que foi criado o quadro de músicos com as respectivas graduações dentro da especialidade, o que permitiu o incentivo para muitos elementos que ambicionavam fazer a sua carreira como instrumentistas. Em 1985, chegou ao território o sargento-chefe Abel Teixeira Mendes, que deu à banda um novo impulso. Agraciada com a medalha de Mérito Cultural, a banda da PSP já actuou por duas vezes em Hong Kong e participou, em Portugal, no 13º festival de bandas militares.

Em 1989, o alargamento do quadro de pessoal e a criação dos quadros de chefe e director da banda vieram reforçar as possibilidades para que a banda da PSP se mantenha no futuro.

Major Mário Marques. Publicada na Revista Macau Julho 1994 com o texto: ensino da música em Macau já saiu da "fase infantil".

Major Mário Marques. Publicada na Revista Macau Julho 1994 com o texto: ensino da música em Macau já saiu da “fase infantil”.

* Henrique Manhão complementa com mais informações sobre a Banda da PSP de Macau:

“A banda da polícia foi formada com músicos do Colégio D.Bosco e do Orfanato da Imaculada Conceiçâo.
O primeiro maestro foi um marinheiro , casado com uma senhora Bento. Depois, o Sr, Hydmand de Shanhgai, Padre Smitd, PadreÁureo. Mais tarde foi encarregado o Chefe Achiam e agente policial chinês.
Participava nas procissões religiosas e dava concertos, semanalmente no Jardim de Sâo Francisco.”
O padre César Brianza foi quem ocupou o cargo de orientador artístico durante mais tempo, entre 1966 e 1980. Foto publicada no Jornal Tribuna de Macau.

Padre César Brianza foi quem ocupou o cargo de orientador artístico durante mais tempo, entre 1966 e 1980. Foto publicada no Jornal Tribuna de Macau.

Outra foto de M.V. Basílio (Macau) da procissão de Cristo Morto com a participação da banda da PSP de Macau. Abril de 2014.

Outra foto de M.V. Basílio (Macau) da procissão de Cristo Morto com a participação da banda da PSP de Macau. Abril de 2014.

* Veja dois vídeos publicados na página da Sé Cathedral Macau no Facebook com imagens da Procissão de Cristo Morto e a participação da Banda da PSP de Macau. Clicar nos links abaixo:

https://www.facebook.com/photo.php?v=857325920948136&set=vb.163562430324492&

https://www.facebook.com/photo.php?v=857329527614442&set=vb.163562430324492&

Imagem capturada do vídeo publicado na página da Sé Cathedral Macau no Facebook

Imagem capturada do vídeo publicado na página da Sé Cathedral Macau no Facebook

* Sobre a Procissão de Cristo Morto, veja noticiário no Jornal Tribuna de Macau neste link: http://jtm.com.mo/local/manifestacao-de-fe-renovada-juntou-centenas/

Anúncios

Um comentário em “A banda da PSP de Macau

  1. Rui Francisco
    22/04/2014

    Pois é, a banda da P.S.P. sempre foi destacável em Macau nas procissões e até incentive umas pessoas porque pode acompanhar a procissão ao som dos rufares dos tambores como tem acontecido muitas das vezes.Sempre foi uma mais valia qualquer procissão com a banda da P.S.P. que apenas faltou na última procissão do Senhor dos Passos talvez por causa dalgum imprevisto ou por motive de força maior! Mas foi sempre uma mais valia em qualquer procissão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 21/04/2014 por em Banda da PSP e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 972.180 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Concurso de Cozinha Macaense no Encontro das Comunidades de 2019 repete iniciativa da edição de 2004

Após 15 anos, o Concurso de Cozinha Macaense do Encontro das Comunidades Macaenses de 2019, a ser realizado entre 23 a 29 de Novembro, repete iniciativa da edição de 2004. Na época a dupla vencedora foi da Casa de Macau de São Paulo, formada por Isabel Pedruco e Isabel Airosa. A cerimónia de entrega dos […]

Em Macau, a Procissão da Morte de Cristo é novamente realizada em 2019

Em Macau, a Procissão da Morte de Cristo é novamente realizada em 2019

PROCISSÃO DA MORTE DE CRISTO EM MACAU – 2019 Texto e fotos de Manuel V. Basílio (Macau) Integrado no programa religioso da Semana Santa, realizou-se na sexta-feira do passado dia 19 de Abril, a Procissão da Morte de Cristo, também designada por Procissão do Enterro do Senhor.  Naquele dia, o tempo estava instável, com períodos […]

O ‘Dia do Patuá’ festejado pela Comunidade Macaense dos EUA

O ‘Dia do Patuá’ festejado pela Comunidade Macaense dos EUA

‘A promoção do ‘Dia do Patuá’ é um esforço para preservar o dialecto na Comunidade Macaense da Califórnia, nos Estados Unidos da América do Norte’ é o que define Henrique Manhão da Casa de Macau dos EUA. Diz, conciliando com o pensamento de outros membros da comunidade presente, ‘enquanto houver apoio de Macau, o patuá não […]

%d blogueiros gostam disto: