Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

A Bienal de São Paulo na mostra “30 x Bienal”

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (51.1)

Para registrar as 30 edições da Bienal Internacional de Arte de São Paulo que teve início em 1951, sendo a última em 2012 e que neste ano se realizará a 31ª, foi realizada a mostra encerrada em dezembro de 2013 – “30 x Bienal”.  Reunindo 250 obras de 111 artistas brasileiros, com a curadoria de Paulo Venancio Filho, serviu para mostrar “as transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição”.

O prédio do Pavilhão da Bienal, projetado por Oscar Niemeyer, é por si uma autêntica obra de arte. Além disso, a disposição das obras artísticas conciliadas com o ambiente e a sua arquitetura faz a festa de qualquer aficionado fotógrafo, como eu. O visitante, apreciador da arte, também contribui para tornar a foto mais interessante e completa. Não perdi esta mostra comemorativa do ciclo das 30 edições, enquanto aguardo a deste ano de 2014, e fiz o meu ensaio fotográfico que aqui mostro dezenas de fotos. Antes leiam a apresentação dessa mostra conforme o texto do seu site:

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (50)

30 × Bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição

De 21 de setembro a 08 de dezembro, a Fundação Bienal de São Paulo sedia 30 × bienal – Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição. Com curadoria de Paulo Venancio Filho, a mostra, com uma seleção de 111 artistas e cerca de 250 obras, contempla a representação brasileira nas bienais de São Paulo a partir da primeira, realizada em 1951, até a  última, em 2012.

Segundo Venancio Filho, nestes 30 anos, participaram mais de 5.000 artistas nacionais, sendo a própria Bienal, ao longo de tempo, um dos elementos estruturantes da arte brasileira da segunda metade do século XX. “Portanto não pode ser outro, creio, senão a relação vis a vis entre história da arte brasileira e a trajetória da Bienal o elemento determinante na escolha dos artistas e obras”, explica o curador.

Integra também a exposição o rico acervo do Arquivo Histórico Wanda Svevo – por meio de registros expográficos e documentais. “Esta é uma oportunidade de o público entrar em contato com um material raro pertencente à Fundação Bienal, que tem entre suas importantes tarefas a de preservar e dar continuidade a este precioso arquivo”, afirma o presidente Luis Terepins. O Arquivo Bienal é o mais importante acervo documental latinoamericano no que se refere às artes moderna e contemporânea. Criado em 1955, foi tombado pelo Condephaat em 1993, seu acervo reúne 780 metros lineares de documentos como catálogos de arte, livros, revistas, cartazes, registros históricos, dossiês de artistas, vídeos e fotografias. É aberto a estudantes e pesquisadores do Brasil e exterior.

O pensamento curatorial da 30 × bienal se constrói na busca de verificar na atualidade a presença desta tradição histórica da qual a Bienal de São Paulo – a segunda, surgida depois da Bienal de Veneza -, é parte fundamental. “Daí nossa intenção de propor uma orientação não-cronológica, flexível, que possa ultrapassar tempo e espaço, sem, entretanto, deixar de observar a continuidade histórica de seis décadas”, explica Venancio Filho.

Fonte: site oficial no http://www.30xbienal.org.br/single/79

(Fotografia de/photos by Rogério P.D. Luz – clicar nas fotos menores para ampliar)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (47)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (01)

Em 1878, na cidade de Santa Fé (EUA), um carpinteiro não identificado realizou uma obra impossível: construiu uma escada de madeira em caracol, com duas voltas completas de 360º, sem usar um único prego. O milagre, atribuído à São José por todos os que visitam a Escola de Nossa Senhora da Luz (Loreto) até hoje, serviu de inspiração para Regina Silveira intitular sua Escada Inexplicável (1999), obra que remonta para a ocasião de 30 × Bienal.

Em 1878, na cidade de Santa Fé (EUA), um carpinteiro não identificado realizou uma obra impossível: construiu uma escada de madeira em caracol, com duas voltas completas de 360º, sem usar um único prego. O milagre, atribuído à São José por todos os que visitam a Escola de Nossa Senhora da Luz (Loreto) até hoje, serviu de inspiração para Regina Silveira intitular sua Escada Inexplicável (1999), obra que remonta para a ocasião de 30 × Bienal. (texto do site)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (61)

 

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (12)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (14.1)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (20)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (30)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (33)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (36)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (39)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (44)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (45)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (56)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (63)

Bienal 30 anos S. Paulo 2013 (66)

Ciao, até 31ª Bienal de 2014

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.463.916 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: