Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Fortificações de Macau: Bateria de Coloane

Macau podia ser pequena, mas era bem protegida por várias fortificações. Uma delas, em Coloane, que tinha a função, acabou voltando contra aqueles a quem deveria proteger na sua primeira ação. Veja como aconteceu:

Macau fortificações Macau bateria coloane (01)

Foto de Jorge Graça

BATERIA DE COLOANE

do livro de autoria de Jorge Graça – Fortificações de Macau, Concepção e História – uma edição do Instituto Cultural de Macau em 1985

Localização: Esta Bateria localiza-se na costa ocidental da ilha de Coloane, perto do Templo Chinês e voltada para a Ilha da Montanha.

Objectivo: A Bateria vigiava e controlava a navegação no canal entre as ilhas de Coloane e da Montanha. Era uma fortificação costeira e defendia também a aldeia piscatória de Coloane de qualquer tentativa de um inimigo potencial desembarcar na sua costa.

Desenho: Esta fortificação, com um desenho muito simples, é uma esplanada meio hexagonal, com um parapeito de 90 cm de altura e uma plataforma para a única arma com que estava apetrechada. Tem uma guarita e um depósito de munições enterrado. O acesso à plataforma era feito por 6 pequenos degraus de pedra.

História: Esta Bateria foi construída cm Dezembro de 1884. Em 1810 Coloane não era mais do que um local de encontro e base para bandos de piratas que actuavam fora das águas de Macau. A autoridade portuguesa estava representada por um único cabo aposentado e um «Tipu» (oficial local responsável pela manutenção da paz nesta área). O Governador, ao tempo, Eduardo Marques, decidiu ocupar militarmente a Ilha. A 12 de Julho de 1910 um pequeno corpo de tropas desembarcou em Coloane. Os piratas tentaram opor-se ao desembarque ocupando a Bateria e disparando o seu único canhão. (Por ironia do destino ou negligência das autoridades, a única vez que a Bateria entrou em acção foi contra aqueles que era suposta proteger). Contudo, não foram bem sucedidos e, como resultado, fugiram para as montanhas. As operações de «limpeza» continuaram até 19 do mesmo mês. Cerca de 26 crianças, raptadas pelos piratas, foram libertadas. Posteriormente, o Governador tornou permanente a ocupação da Ilha, não só construindo um Quartel e concentrando aí tropas e polícia, como desenvolvendo o comércio e as comunicações com a Ilha da Taipa e Macau.

* Nota: conforme informação complementar de Arnaldo Pereira (Macau), “este fortim ainda é conhecido em Coloane como Pau (canhão) Toi (mesa) Chai (filho ou pequeno). Fica naquela subida por detrás do pagode. Não era só uma. São duas guaritas que ainda sobrevivem hoje em dia. Um perto do restaurante ‘O Manel’ e o outro por detrás da escola da Taipa ao pé do pedregulho”.

foto de Tang Hn Hei, 1985

foto de Tang Hn Hei, 1985

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.426.216 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: