Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Macau: a história da imagem de Nosso Senhor dos Passos e a procissão que não houve!

Macau imagem Nosso Senhor dos Passos (05)

Imagem de Nosso Senhor dos Passos na Igreja de São Domingos em Macau (1996). Foto: Rogério P.D. Luz

Quem visitou o Museu de Arte Sacra de Macau instalado nas dependências da Igreja de São Domingos, decerto deve ter estranhado a exposição de duas mãos e dois pés cortados ao lado do rosto de Jesus Cristo. Também os vi nas minhas romarias à terra natal, mas na época não procurei saber o motivo e a origem dos fatos.

Acostumados a acompanhar as procissões de Nosso Senhor dos Passos, talvez muitos ignoram a história da imagem ligada a essas peças sacras naquele museu.

Publicação do amigo M.V. Basílio (de Macau) no grupo do Facebook dos Antigos Alunos do Seminário de São José que, no próximo dia 19 terão seu encontro anual em Macau, veio esclarecer os fatos e contar a história da imagem de Nosso Senhor dos Passos localizada na Igreja de Santo Agostinho.

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Basílio assim conta: “a imagem do Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos já não é a original. No século XIX, a que era usada para a procissão, foi enviada para Timor para aí cumprir a sua função, sendo substituída por outra, que o Conde Bernardino de Senna Fernandes, tesoureiro da Confraria de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos, mandou vir de Paris.

Essa imagem oferecida pelo Conde de Senna Fernandes, em 1876, foi levada em procissão, pelas ruas de Macau, durante 34 anos (1876-1910). Mas, no ano seguinte à implantação da República Portuguesa, talvez por influência de novas ideologias republicanas ou falta de forças físicas por parte de alguns Irmãos mais idosos, alegaram que a imagem era demasiado pesada, recusando-se a levar na procissão e arrumaram-na na sala das sessões da Confraria.

Ali esteve durante muitos anos, até que um dia o Pe. Júlio César da Rosa, Capelão da Confraria, a mandou serrar. Da imagem antiga que em 1911 os Irmãos se recusaram a levar na procissão, por ser muito pesada, restam pedaços — o rosto, as mãos e os pés, que presentemente estão expostos no Museu de Arte Sacra (ou Tesouro de Arte Sacra), instalado na Igreja de S. Domingos.”

Fotos de M.V. Basílio em Março/2015 no Museu de Arte Sacra da Igreja de São Domingos, em Macau

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

PROCISSÃO DE NOSSO SENHOR BOM JESUS DOS PASSOS DE 2015

A procissão de Nosso Senhor dos Passos que habitualmente se realiza no mês de Fevereiro em Macau consiste de duas etapas: a primeira é a ida à Sé Catedral, e a segunda, a procissão de retorno à sua residência na Igreja de Santo Agostinho.

Neste ano, a data da procissão de retorno coincidia com o 4º dia de comemoração do Ano Novo Chinês. Programada para as 16 horas, houve por bem, diante de grande número de turistas e habitantes que normalmente congestionam as estreitas ruas e calçadas de Macau nesta importante época festiva para os chineses, atrasar a saída em mais de uma hora. A procissão teria que percorrer pelo congestionado (de gente, a andar uns empurrando os outros) centro da cidade.

Assim relata M.V. Basílio sobre as condições do tempo no domingo da procissão de retorno: “na manhã desse domingo, o tempo estava nublado, mas sem chuva. À tarde, ainda fui dar um passeio a pé. Só por volta das 16h00 é que senti uns chuviscos e a partir das 16h30 a chuva gradualmente aumentou de intensidade, impedindo a realização da procissão”. 

Diante do cancelamento da procissão, a cerimónia religiosa acabou sendo realizada dentro da Sé Catedral. Boas línguas, segundo o Basílio, comentam que “a chuva “travou” a procissão do Senhor dos Passos. Ou será por providência divina?” De fato, há que se admitir que a procissão teria um bocado de dificuldade para “abrir caminho” no meio da imensa multidão nas ruas de Macau, que é de assustar a ver pelas fotos publicadas pelos residentes na rede social. Talvez tivesse sido melhor assim, e a “chuva providencial” veio “resolver” a polémica.

Basílio que na sua publicação no Facebook juntou fotos tiradas pelo nosso comum antigo colega do Seminário, Pedro Chung, aqui publicadas, faz um breve relato da história da célebre procissão: “De acordo com os registos históricos, o culto da Paixão de Cristo foi introduzido, em Macau, pelos Agostinhos espanhóis, vindos das Filipinas, em 1586. Com a expulsão dos Agostinhos para Goa, em 1717, a procissão deixou de se realizar. Consta-se que, devido à escassez e carestia de alimentos nos anos seguintes, a população chinesa atribuiu isso ao facto de não se realizar a procissão e solicitou ao Procurador do Senado “que fizesse andar pelas ruas aquele homem de pau às costas”. Assim, em 1721, o Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos voltou a sair e a falta de alimentos terminou.”

Fotos da cerimónia religiosa na Sé Catedral  de autoria de Pedro Chung

Macau procissão Nosso Senhor Passos  2015 foto Pedro Chung (09)

Foto Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Macau procissão Nosso Senhor Passos  2015 foto Pedro Chung (10)

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Foto: Pedro Chung

Macau procissão Nosso Senhor Passos  2015 foto Pedro Chung (08)

Foto: Pedro Chung

* Para os amigos brasileiros e países de língua portuguesa, caso desconheçam, a igreja católica de Macau, apesar de ser hoje parte integrante da China, segue a Igreja Apostólica Romana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 641,576 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

As estórias de Margarida Ribeiro ambientadas em Macau e na China

As estórias de Margarida Ribeiro ambientadas em Macau e na China

Acompanhada do macaense Delfino Ribeiro, a escritora madeirense Margarida Ribeiro em 29 de dezembro de 2005  visitou a Casa de Macau de São Paulo no dia da festa de Natal. Na ocasião, quis presentear a comunidade macaense com o seu livro de estórias “A Mui” ambientado na China e em Macau “terra maravilhosa onde a vida tantas vezes confunde […]

%d blogueiros gostam disto: