Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

A Moda das Dinastias da China nas passarelas em Macau

Publicação da Revista de Macau na edição de Março de 1994 conta sobre os trajes de cinco dinastias da China milenar. Conheça e veja 5 fotos o desfile que se realizou em Macau naquele ano.

A MODA DAS DINASTIAS DA CHINA

Texto sem autoria atribuída com fotos de Agnelo Vieira – Revista Macau de Março de 1994

China Moda das dinastias (01)

Realizou-se em Macau, em 1994, um desfile de “moda” pouco vulgar. Nas passerelles montadas no Fórum, desfilaram trajes tradicionais da China, mais exactamente, modelos das vestes usadas nas cortes de cinco dinastias imperiais.

A China imperial ou o “Reino dos Trajes”, como historicamente chegou a ser conhecida, mostrou a sua “moda” em Macau através do desfile de trajes de cinco dinastias: Tang, Song, Yuan (mongol ). Ming e Qing (manchu). Naqueles trajes, onde pontificam a cor e o fausto, contemplam-se 1294 anos da história chinesa: de 618 a 1912.

A Dinastia Tang representou um período próspero da sociedade feudal cujo regime de uso de trajes e adornos provém da Dinastia Sui. Os homens, nessas dinastias, usavam uma toga com colarinho redondo (…). Nos anos mais prósperos desta dinastia, as modas sofreram grandes alterações, tornando-se as mangas mais largas e os colarinhos quadrados. redondos ou triangulares: havia mesmo um colarinho tão aberto que se podia ver o peito da mulher que não usava camisa interior, moda que despertou o maior entusiasmo nos poetas.

No entanto, na Dinastia Song (960-1279), os trajes voltaram a ser mais pudicos e conservadores, com um aspecto de simplicidade (…). Naquela época, as imperatrizes também usavam trajes para rituais, bem como uma coroa de fénix, meias e sapatos negros.

A Dinastia Yuan teve um regime político instaurado pelos mongóis nómadas que viviam no norte da China. Os homens usavam mantos compridos com mangas largas. A nobreza ou a posição hierárquica era definida pela cor do vestuário. As mulheres mongóis também usavam mantos grandes. A rainha ou concubina usava uma coroa especial com dois pés de altura, feita com madeira de vidoeiro e coberta de seda vermelha para mostrar a sua nobreza.

Logo após a sua proclamação, a Dinastia Ming denunciou o regime da Dinastia Yuan e. seguindo o costume da nacionalidade Han (chinesa). actualizou o uso dos trajes, tendo, para tal, consultado as Dinastias Zhou. Han e Tang, até à Dinastia Song. A reforma vigorou por mais de 20 anos e o regime foi definido no 26º ano do reinado de Hong Wu. Os imperadores da Dinastia Ming usavam uma túnica amarela, feita com tecido de seda leve e brilhante, com configuração oblíqua e bordada com figuras de dragão e doze desenhos simbólicos e decorativos. As imperatrizes, por seu turno, usavam uma coroa de fénix e um manto de aurora.

A Dinastia Qing foi instaurada pela etnia Manchu. Após a reunificação do país. os Manchus obrigaram os chineses a adoptar o seu regime de uso dos trajes. Os homens tinham de cortar uma parte dos cabelos e usar uma trança comprida. Os dominantes da Dinastia Qing sistematizaram e ritualizaram esse costume. A posição social e a identificação do homem eram definidas segundo o desenho, a qualidade e a cor do vestuário. O traje ritual do imperador era composto por uma túnica uma coroa e um par de botas, que eram a insígnia do poder máximo. .As peças eram confeccionadas por alfaiates escolhidos a dedo e confeccionadas com o melhor tecido de seda pele de animais e decorada com ouro, pérolas, diamantes e outros materias preciosos.

O conjunto de trajes de imperatriz também era usado por ocasião de cerimónias importantes.

China Moda das dinastias (2)

foto de Agnelo Vieira

 

Os trajes das cinco dinastias foram concebidos por uma conceituada desenhadora cénica da República Popular da China. Zhao Ru-Hua dedica-se há 32 anos ao desenho de vestuário para teatro e cinema e foi já distinguida com alguns dos mais altos galardões do país. no domínio artístico.

Ao longo da sua carreira Ru-Hua concebeu o guarda-roupa de mais de vinte filmes e telenovelas históricas de grande audiência e popularidade. Foi ela também que desenhou os uniformes da cerimónia inaugural da décima primeira edição dos Jogos Asiáticos, recentemente realizados em Pequim. O Desfile das Cinco Dinastias foi realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisa do Traje da China e veio a Macau por iniciativa do Leal Senado.

China Moda das dinastias (3)

foto de Agnelo Vieira

 

China Moda das dinastias (4)

foto de Agnelo Vieira

China Moda das dinastias (5)

foto de Agnelo Vieira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 17/03/2015 por em Moda das Dinastias e marcado , , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.465.755 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: