Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Mariana MG: Igreja Nossa Senhora do Carmo

Praça Minas Gerais: à direita, a Igreja Nossa Senhora do Carmo, e à esquerda, a Igreja São Fracisco de Assis.

Praça Minas Gerais: à direita, a Igreja Nossa Senhora do Carmo, e à esquerda, a Igreja São Fracisco de Assis.

Localizada na Praça Minas Gerais da cidade histórica de Mariana no estado de Minas Gerais, Brasil, a Igreja Nossa Senhora do Carmo, considerada um dos mais belos templos rococó mineiro, é vizinha da Igreja de São Francisco de Assis, formando um belíssimo cenário da cidade.

As suas obras de construções iniciaram-se em 1783 ou 1784, conforme as fontes consultadas, e igualmente tiveram o seu término em 1814 ou 1835. Não deu para apurar uma data conclusiva, pois podem ter determinada a data numa etapa da obra considerada concluída.

Visitei as duas igrejas num domingo, período da tarde, quando estavam com as portas fechadas, uma pena, pois poderia certificar melhor os estragos do incêndio de 1999, que quase destruiu a igreja por completo. O teto pintado pelo mestre Francisco Xavier Carneiro desabou, no entanto salvou-se o altar-mor e outras partes do prédio puderam ser recuperadas.

Mariana MG (28)

 

(Fotografias de/photos by Rogério P.D. Luz, salvo as atribuídas à Wikimedia Commons)

A Igreja Nossa Senhora do Carmo de acordo com a Wikipédia

A Igreja de Nossa Senhora do Carmo é uma igreja rococó em Mariana, Brasil.

Depois de se alojar na primitiva Capela de Nossa Senhora do Carmo (atual Capela Santo Antônio) e na Capela São Gonçalo (hoje inexistente), a Ordem Terceira do Carmo obteve permissão por carta régia, datada de 1784, para erguer seu templo definitivo. As obras iniciaram em 1784, tendo como encarregado o mestre pedreiro português Domingos Moreira de Oliveira, cujos sucessores terminaram o templo em 1835. Para o reconhecido historiador e crítico de arte Germain Bazin, é um dos mais belos templos rococó de Minas.

Embora tenha planta retangular, com capela única, apresenta traços de originalidade: as torres cilíndricas, modelo recentemente introduzido em Minas, são implantadas em recuo em relação à fachada. A capela-mor tem forro abobadado, com uma rosácea de arremate. O altar-mor tem refinada talha dourada rococó, com projeto do padre Félix Antônio Lisboa, meio‐irmão de Aleijadinho, e erguido entre 1797 e 1819, mas só recebeu o dourado em 1826 por Francisco Xavier Carneiro. Sua também era a grande pintura que decorava o forro da nave, perdida em um incêndio em 1999, quando a igreja estava sendo restaurada, ocasião em que foram perdidos também os dois altares do arco cruzeiro. Depois eles foram reconstruídos de maneira esquemática, para assinalar sua antiga presença e receber estatuária devocional. Restos carbonizados dos altares foram preservados e estão em exposição.

Mariana MG (41)

Na foto acima, enfeitando a fachada o escudo com três estrelas, a representar grandes santos carmelitas: Teresa D’Ávila, profeta Elias e o nobre Simão Stock que teve como missão espalhar a devoção à Virgem do Carmo pelo mundo ocidental (fonte: http://www.mariana.org.br).

Mariana MG (44)

A Igreja Nossa Senhora do Carmo é considerada um dos mais belos templos rococó de Minas Gerais. Mas, o que é rococó? Rococó é um estilo artístico que se desenvolveu na Europa no século XVIII. Surgiu em 1700, na cidade de Paris, buscando a sutileza em contraposição aos excessos e suntuosidades do Barroco. Espalhou-se pela Europa no século XVIII e chegou à América em meados deste século. Esteve presente na pintura, arquitetura, música e escultura. A palavra rococó tem origem no termo francês “rocaille” que é um tipo de decoração de jardim em formato de conchas.

Principais características:

– Uso de cores luminosas e suaves, em contraposição às cores fortes do Barroco;

– Estilo artístico marcado pelo uso de linhas leves, sutis e delicadas;

– Utilização de linhas curvas;

– Uso de temas da natureza: pássaros, flores delicadas, plantas, rochas, cascatas de águas;

– Uso de temas relacionados a vida cotidiana e relações humanas;

– Representação da vida profana da aristocracia;

– Arte sem influência de temas religiosos (exceção do Brasil);

– Busca refletir o que é refinado, agradável, sensual e exótico. (fonte: http://www.suapesquisa.com)

Mariana MG (43)

Mariana MG (44.1)

Mariana MG (39)

A igreja vista da vizinha Casa da Câmera e Cadeira

Mariana MG (30)

Nas fotos acima e abaixo, o pelourinho construído em 1970 em substituição ao que foi construído em 1750 por José Moreira Matos e demolido em 1871. No alto, o globo português representando as conquistas marítimas de Portugal. Dos dois braços, um segura uma balança que simboliza a justiça e noutro, uma espada a simbolizar a punição. Ao centro, o brasão português (fonte: http://www.mariana.org.br).

Mariana MG (32)

Mariana MG (44.2)

Fotos do interior da Igreja Nossa Senhora do Carmo extraídas da Wikimedia Commons:

Fonte: Wikimedia Commons

Fonte: Wikimedia Commons

O altar-mor que sobreviveu ao incêndio de 1999

O altar-mor que sobreviveu ao incêndio de 1999 (Wikimedia Commons)

Talha do altar-mor

Talha do altar-mor (Wikimedia Commons)

Anúncios

Um comentário em “Mariana MG: Igreja Nossa Senhora do Carmo

  1. Pingback: Mariana, a primeira cidade da capitania de Minas Gerais | Crônicas Macaenses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 724,120 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

%d blogueiros gostam disto: