Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Periódico português escrito à mão por macaenses de Hong Kong em 1859

‘Um esforço para plantar na China um Periódico Português livre de censura’ era o que o editor do “Echo do Povo”  apregova no primeiro número do jornal escrito à mão e litografado.

Publicado por macaenses de Hong Kong, o primeiro número datava do dia 3 de Abril de 1859, um domingo. Já na 1ª linha comunicava o óbito da ‘Sra. Leopoldina’, porém o periódico teve somente dois números publicados.

Em nota suplementar do livro Bibliografia Macaense, edição do Instituto Cultural de Macau em 1987, aliás, uma reedição da publicação de 1973, o autor Luís Gonzaga Gomes escreve ” … Estamos cônscios de que uma Bibliografia Macaense não servirá completamente o seu fim, se se abstiver de se citarem nela as publicações chinesas saídas dos prelos desta província ou que sobre ela se imprimiram noutros países do Oriente, cujo contributo, embora escasso, é de nós desconhecido, não existindo, em Macau nenhuma apreciável colecção, por onde possamos colher os necessários elementos para complementarmos este trabalho. Entretanto, o estudioso interessado em periódicos publicados, em Macau e outros portos do Extremo-Oriente, terá de compulsar o desenvolvido trabalho «A Imprensa Periódica Portuguesa no Extremo-Oriente», pelo Pe. Manuel Teixeira, Macau, 1965. Ora, o amor ao jornalismo era tão grande entre os macaenses expatriados que, em Hongkong, chegou a circular, pelo menos dois números escritos à mão e litografados dum periódico, denominado «O Echo do Povo», do qual reproduzimos, em fac-simile, um raríssimo exemplar do primeiro número”.

Veja então o primeiro número em 4 páginas desta histórica publicação, não tão fácil de leitura pela caligrafia, embora bonita:

(clicar na imagem para ampliar, e depois clicar por seguidas vezes com a lupa em sinal de (+) até o limite da ampliação)

Página 1

Página 2

Página 3

Página4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 15/03/2017 por em Jornal escrito à mão 1859 e marcado , , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.075.954 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Missa e Te-Deum no Encontro das Comunidades Macaenses-Macau 2019

Missa e Te-Deum no Encontro das Comunidades Macaenses-Macau 2019

Como já vem acontecendo nos Encontros das Comunidades Macaenses realizadas em Macau, o programa de 2019 incluía uma missa e Te-Deum na Sé Catedral que foi celebrada no dia 26 de Novembro às 18:00 horas pelo Bispo de Macau, D. Stephen Lee Bun-sang. Uma celebração religiosa e ação de graças para agradecer por mais uma […]

O hotel em Macau que é uma galeria de arte

O hotel em Macau que é uma galeria de arte

O Hotel Casino (Cassino) Lisboa, de Macau, inaugurado em 3 de Fevereiro de 1970, seis anos após o início das obras em 1964, o primeiro dos tempos modernos do outrora território português na China por cerca de 440 anos, e devolvido para a China em 1999, é por excelência uma galeria de arte com peças […]

Num período de 52 anos, três encontros de amigos macaenses

Num período de 52 anos, três encontros de amigos macaenses

O macaense Carlos Cordeiro, hoje residente no Canadá, enviou ao autor deste blog, três fotos que espelham bem o convívio dele com dois amigos macaenses: Fernando Placé e José (Zé) Cabral, num período de 52 anos, de 1967 a 2019. Interessante ver o cuidado de fotografar o momento na mesma posição da foto original de […]

%d blogueiros gostam disto: