Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Conheça a nova Cúpula do Santuário de Nossa Senhora Aparecida e as pinturas dos 4 pilares

Inaugurada em 11 de outubro de 2017, no dia anterior à data que celebra os 300 Anos do Encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil, a Cúpula Central do Santuário foi aberta para visitação pública permitindo apreciar de perto o novo revestimento que tem no centro um grande pássaro que corresponde ao Espírito Santo.

Do alto, pode-se ver de outro ângulo as novas pinturas das quatro colunas centrais que sustentam a cúpula, cujo conjunto é chamado de baldaquino, que já tinha sido inaugurada por completo na missa da quarta-feira de cinzas em 1º de março de 2017.  A fauna brasileira está retratada no desenho colorido com pássaros, tal como a arara, e as aves representam a figura dos devotos que são acolhidos no Santuário.

De acordo com o site oficial do Santuário – A12: “a arte sacra desse espaço transmite Deus, que se reflete na própria natureza, primeiro elemento de santidade do mundo. “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.” (João 1, 3-4). A Árvore da Vida na Cúpula sob o Altar Central traz em sua arte, a representação do centro da fé dos cristãos, que é Jesus, por isso tem como extensão a cruz vazada, com 8 metros de altura, simbolizando o caule ou grande tronco dessa árvore”.

O projeto da obra é de autoria de Cláudio Pastro, falecido em 2016, que foi um dos maiores artistas sacro da atualidade. Ainda de acordo com o A12:Responsável pela preparação do maior Santuário mariano do mundo, Claudio Pastro esteve à frente da concepção artística, criação de painéis, vitrais e tantas obras da Basílica de Aparecida desde 1999. Entre tantas obras é autor do Nicho que abriga a imagem de Nossa Senhora Aparecida e da Medalha dos 300 anos”. Toda a obra só foi possível com a ajuda das contribuições dos devotos.

“Fotografia e edição de/photos by Rogério P D Luz (RPDLuz)”

Visita à Cúpula Central

O custo da obra girou em torno de R$ 6 milhões, e só foi possível, graças às doações dos devotos. A cúpula, de 123 toneladas e com 5 milhões de pastilhas, começou a ser construída em 2012. Os mosaicos foram produzidos em Veneza (ITA) com pássaros da fauna brasileira e uma árvore que representa a parábola da semente de Mostarda retratada no evangelho de Mateus.

No centro um pássaro que corresponde ao Espírito Santo

O acesso, pago, ao topo é feito por um elevador. Passa-se antes por um corredor com exposição dos 300 Anos, que tem entre os diversos itens, os mantos usados durante as visitas jubilares de Nossa Senhora Aparecida nos estados brasileiros, o carimbo comemorativo e os frascos com as terras de todas as capitais. Impressiona também ver a estrutura do teto de uma ala da basílica, uma obra monumental.

O custo da entrada inteira (há meia entrada) era de R$ 10,00 (em novembro/2017) que servem para auxiliar a pagar os custos e a manutenção do local. Entenda que a sua contribuição voluntária ajuda a manter e pagar os altos custos do Santuário e toda a sua infraestrutura que recebe milhões de peregrinos e devotos todos os anos. Por isso, se puder (a Igreja Católica não institui contribuição compulsiva sob qualquer título), participe da Campanha dos Devotos, faça sua doação, acessando o site oficial A12 neste link: http://www.a12.com/cadastro/faca-sua-doacao

(clicar nas fotos menores para ampliar)

O corredor circular em torno da cúpula para circulação dos visitantes é protegido por uma parede de vidro. Pode-se ver em três trechos da parede projetada para fora, o altar central da basílica. No momento da nossa visita era celebrada a missa das 16:00 horas de uma terça-feira de dia útil da semana. Não utilize “pau de selfie” que o celular/telemóvel pode cair do alto e machucar alguém lá embaixo, até o celebrante da missa. Você já é alertado na entrada.

 

Pastilhas que forram o corredor

A vista dos painéis do baldaquino. Nas colunas que sustentam a cúpula estão representadas a fauna, a flora e as etapas da vida humana.  Nesse conjunto artístico, o peregrino contempla o Paraíso que Deus criou para a humanidade habitar, local de tranquilidade e paz (A12.Com)

No Baldaquino, Pastro quis representar a rica biodiversidade brasileira e evidenciar a grande Criação, que se manifesta para adorar o Senhor no Altar da Consagração. O Baldaquino apresenta o ser vivente, os anjos, um vasto número de espécies de plantas, ipês e animais dos diversos biomas brasileiros, representados em diferentes fases de desenvolvimento. A arte sacra, representada no Baldaquino e na Cúpula Central, antecipa, no tempo presente, um vislumbre da Jerusalém Celeste. Sua temática está em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano, cujo tema é Biomas Brasileiros e defesa da vida e lema, Cultivar e guardar a criação. (Texto de: A12.Com)

Também pode-se apreciar os vitrais e outros desenhos da cúpula pouco visíveis do térreo

Painéis no corredor interno contam a história dos desenhos e do autor Cláudio Patro

Vistas do térreo da cúpula central e do baldaquino

  • Fontes de consultas e textos: A12-site oficial do Santuário / GaudiumPress / Jornal Cruzeiro
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 723,124 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

%d blogueiros gostam disto: