Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

O imponente Monumento a Vittorio Emanuele II em Roma, ou Il Vittoriano

O imponente monumento em honra a Vítor Emanuel II, primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana, também conhecido como Il Vittoriano, na história da Roma antiga, é recente pois foi construído entre 1885 a 1911. Localizada na Piazza Venezia, próximo ao Coliseu de onde caminhamos após a visita, é conhecida por ter feito parte do cenário de grandes discursos do ditador Benito Mussolini cujo escritório ficava defronte ao monumento, no edifício que abriga hoje o Museu Nacional do Palácio de Veneza (Museo Nazionale del Palazzo di Venezia) cuja construção durante o Renascimento foi iniciada em 1455.

(Fotografia de/photos by Rogério P D Luz na viagem em novembro de 2010)

Vejamos o que a Wikipédia nos conta a respeito do monumento:

Monumento Nacional a Vítor Emanuel II (em italiano: Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II ou Altare della Patria ou ainda Il Vittoriano) é um monumento em honra a Vítor Emanuel II da Itália, primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana. Situa-se em Roma entre a Piazza Venezia e o monte Capitolino tendo sido projetado por Giuseppe Sacconi em 1885. Foi inaugurado em 1911 e completado em 1935.[1]

Feito de puro mármore branco de Botticino, Bréscia, apresenta majestosa escadaria, colunas coríntias, fontes, uma enorme estátua equestre de Vítor Emanuel e duas estátuas da deusa Vitória em quadrigas. A estrutura tem 135 m de largura e 70 m de altura, mas se as quadrigas e as vitórias aladas forem incluídas, a altura passa a ser de 81 m. A base do monumento abriga o museu da Unificação Italiana. Em 2007, um elevador panorâmico foi instalado, permitindo aos visitantes ir ao teto e ter uma visão 360° de Roma.

Controvérsia

O monumento é controverso desde sua construção pois significou destruir uma grande área do monte Capitolino, a qual guardava vestígios medievais no local. A construção em si é frequentemente considerada pomposa e demasiado grande. É facilmente visível da maior parte de Roma, apesar de ter um formato de caixa e de não possuir um domo ou uma torre. O prédio é também muito branco, chamando muito à atenção no meio dos edifícios marrons que o rodeiam, fazendo com que tenha vários apelidos. Os estrangeiros por vezes referem-se a este monumento como “bolo de casamento”, e os romanos apelidaram-no de “máquina de escrever”. Apesar de todo esse criticismo, o monumento ainda atrai um grande número de visitantes. O ex-presidente italiano Carlo Azeglio Ciampi promoveu a abertura do Vittoriano como um fórum público e mirador do centro da cidade. Essa nova acessibilidade permitiu aos turistas tornarem-se familiares com este marco histórico, possibilitando assim o crescimento da sua reputação entre os populares e até entre os seus críticos. (Wikipédia)

“… Os estrangeiros por vezes referem-se a este monumento como “bolo de casamento”, e os romanos apelidaram-no de “máquina de escrever””

” … a enorme estátua equestre de Vítor Emanuel”

” … a enorme estátua equestre de Vítor Emanuel”

A troca de guarda no Túmulo ao Soldado Desconhecido

Por sorte, ao chegarmos ao monumento que abria as portas logo em seguida, pudemos assistir à troca de guarda no Túmulo ao Soldado Desconhecido que passou a abrigar em 1921. Foi um belo espetáculo.

Vista Panorâmica de Roma do alto do Monumento

Piazza (praça) Venezia

O primeiro prédio da esquerda é o Museu Nacional do Palácio de Veneza (Museo Nazionale del Palazzo di Venezia) cuja construção, durante o Renascimento, foi iniciada em 1455. Foi escritório de Benito Mussolini que discursava da sacada para multidões na II Guerra Mundial.

A Piazza Venezia em 10 de junho de 1940. Foto extraída da Google Imagens

Mais detalhes do Monumento Il Vittoriano:

Vídeo histórico do canal de CinecittaLuce exibindo “impressionante manifestação de Mussolini na Piazza Venezia pelo 13º aniversário da revolução“.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 775,661 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

%d blogueiros gostam disto: