Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

O talento individual do Api e o reconhecimento necessário

Falar do Api (Rigoberto Rosário Jr.) é lembrar da canção-hino dos macaenses – Macau (terra minha). Foi sua composição.  E agora ele cria a versão instrumental, um trabalho só dele.  Os arranjos, a execução, a gravação, tudo !!!  Com muito orgulho divulguei esta última no PMM e agora no MacaenseBR, como música de boas-vindas aos sites.

Apesar do Api ser meu amigo, não seria por isso que falo dele, pois o mundo macaense reconhece e sabe do seu talento individual, não só musical, mas também da arte.  Suas pinturas impressionam além do seu trabalho manual, como a montagem de miniaturas alusivas aos costumes antigos de Macau, além de tantos outros trabalhos, e porque não, até da redação de artigos. Quem não se lembra das memórias dos seus velhos tempos de músico em Macau, publicados na Revista Macau?  Recentemente vim saber que soma a tudo isso, mais um talento, o de restaurador, pois contribuiu com a sua mão de obra gratuita, a restauração de imagens sacras da Igreja do Divino Espírito Santo, em São Paulo.

Sabia, já de algum tempo, que o Api possuía uma coleção de músicas sobre Macau e sua gente, genuinamente composições suas com direitos autorais reservados, em versões na língua portuguesa, inglesa, chinesa e em patuá.  Estavam “guardadas numa gaveta”.  “Assim não pode ficar” pensava eu, e ele também, tanto que, em comum acordo, tomamos iniciativas pensando num CD.  Um disco pessoal, do Api, pois seriam suas composições que seriam executadas por ele através de diversos equipamentos na sua residência, que, impressionante, parece uma orquestra de verdade tal a qualidade e perfeição. O Api é um perfeicionista dos mais exigentes. É só ouvir a versão instrumental de Macau, uma experiência inicial do trabalho, ainda possível de ser mais aperfeiçoada.  Outro exemplo claro da perfeição é a música-tema da peça teatral “Sabroso Nunca” do Dóci Papiaçám.  O fundo musical foi totalmente composto e executado por Api, ainda mais, com equipamentos não tão sofisticados, mais por falta de recursos para adquiri-los.

Seria um disco-solo do Api? Nada mais justo, pois é um trabalho totalmente pessoal, só dele.  A tecnologia de hoje permite isso. E quem vai apoiar, editar e divulgar o CD? Se for o caso, quando aconteceria a divulgação e a apresentação pessoal do Api? Bom, isto é um outro capítulo, se der certo, pois tem que dar certo o apoio a um macaense que criou o nosso hino. O hino dos macaenses !!! E além de tudo, um talento individual que carece de um reconhecimento necessário, mas somente à sua pessoa, exclusivamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 02/06/2010 por em Gente, MACAENSES, Músicos e marcado , , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.303.044 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Hércules António e suas filmagens dos anos 50 e 60

Foi graças a um dvd distribuído por um dos seus filhos, que possibilitou ao Projecto Memória Macaense – PMM montar diversos vídeos filmados por Hércules António que nos trazem velhas e memoráveis lembranças daquela Macau antiga que mora no coração dos macaenses e daqueles que tiveram vivência no território. Os vídeos publicados no YouTube nos […]

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

“Macau linda” música adaptada por J. J. Monteiro, foi interpretada por Rubye de Senna Fernandes

No livro “Meio Século em Macau” de J. J. Monteiro (José Joaquim Monteiro) composto por dois volumes, nas últimas páginas do Volume II estão as letras da canção “Macau (linda)”, que infelizmente não temos a gravação e nem se sabe se houve, talvez nos arquivos pessoais de algum macaense ou familiares. Trata-se de uma música […]

Brasão de Armas de Macau

Brasão de Armas de Macau

Os Brasões de Macau portuguesa são todos inspirados nos estilos heráldicos tradicionais da Europa. O primeiro brasão de armas de Macau foi usado até ao final do século XIX. É apenas constituído pelas armas de Portugal cercado pela inscrição Cidade do Nome de Deus, Não Há Outra Mais Leal. O segundo brasão de armas foi […]

%d blogueiros gostam disto: