Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

A (coitada) estátua do Gov. Ferreira do Amaral

Em 2009, publiquei uma foto do local estava instalada  a estátua do Governador Ferreira do Amaral.  Foi um contributo do internauta José Manuel.  A foto foi tirada de perto, não dando a dimensão de como estava instalada.

Nesses dias, descobri por acaso o blog Macau Passado (http://macaupassado.blogs.sapo.pt/) do João Eduardo Severino, que foi do jornal Macau Hoje e do semanário Vector “o 1º jornal independente de Macau” como bem diz, e num dos seus posts trazia 2 fotos actualizadas da (coitada) estátua. Aparentemente, comparando com a de 2009 (pelas casas ao fundo), a estátua está no mesmo lugar, porém “de frente para os fundos” de uma escola, que não sei se já lá existia naquele ano.

Qual a tristeza minha, a estátua está literalmente “abandonada” num sítio com a grama/mato para cortar.  O Severino no seu post escreve “a estátua está vergonhosamente colocada no chão, sem dignidade nenhuma no Bairro da Encarnação, em Lisboa, nas traseiras de uma escola (?), virada para uns taipais. Simplesmente inacreditável…”, conforme a foto enviada por um leitor, Pedro Pinto.

Lembro-me daqueles velhos tempos, quando ainda morava em Macau nos anos 60,  sentiamos orgulhosos a ver aquela estátua, imponente, na Praia Grande, que servia até de fundo para fotografia de recordações. Até ficava aliviado que não fora derrubada nos tumultos do “1,2,3”.

A propósito, numa conversa reservada com uma personalidade, comentei sobre a estátua, do porque ela não estar num lugar digno, digamos um museu etc.  Ouvi que poderia ser devido ao seu tamanho.  Mas se você ler ou souber a história do Governador Ferreira do Amaral, verá que a estátua “incomoda” nas relações actuais, assim como a do Coronel Mesquita que foi derrubada no “1, 2, 3”.  Como sou português, nada posso comentar sobre o sentimento do outro lado.  Até penso que se fosse uma estátua de um mandarim que derrotou as tropas portuguesas num eventual conflito de outrora, o que pensariamos a respeito?

No entanto, acho que nada justifica o abandono.  Antes ficasse numa praça,  mesmo sem aquele monumental pedestal, ao alcance da mão, do que ficar nos fundos de uma escola, praticamente num estacionamento de carros, ainda por cima, “olhando” para a parede da escola.  “Isto é uma vergonha” como diz o jornalista Boris Casoy da tv brasileira. Mesmo que a “estátua” incomodasse, o que só suponho, espero que não, não se pode faltar ao respeito com quem serviu bem a Pátria nos tempos coloniais de Portugal. Na postagem seguinte, leia o que o Wikipédia conta a respeito do ilustre Governador Ferreira do Amaral.

foto de Harry Redl – livro “Macao” de 1963

foto de 2009

abaixo, de 2011

Um comentário em “A (coitada) estátua do Gov. Ferreira do Amaral

  1. Antonio Robarts
    30/05/2011

    É uma vergonha não honrar o valor deste homem que deu tanto para a sua terra natal. A estátua nem devia ter sair de Macau. A história não deve ser cega de um olho. Temos que assumir a história, nos bons e maus momentos. O Homem integral e uma nação que se preze, não devem vergar sob nenhuma potência política, económica e financeira. Eu nào me considero um verme da sociedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 12/04/2011 por em MACAU, Macau-memórias e marcado , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.463.342 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: