Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 1996, recordações (2)

Sessão solene de abertura do Encontro.  O painel das Ruínas de S.Paulo foi doado para a Casa de Macau de S.Paulo ainda no governo do Rocha Vieira.  Na verdade fui eu que o apanhei no Consulado de Portugal em S.Paulo, para onde Macau o enviou.  Costuma decorar o ginásio da Casa por ocasião das festas.

Alguns detalhes do Encontro:

fotografias de Cheong Io Tong da Revista Macau

– Esta edição contou com o dobro dos participantes em relação ao I Encontro.  Foram 1.200 pessoas de todos os continentes.  O sentimento de saudades da terra ainda era bem forte, pois muitos vieram pela 1ª vez;

– A procissão foi de N.S. do Rosário que não saia há 40 anos, desde os meados da década de 50, quando foi substituída pela de N.S. de Fátima.  O percurso foi das Ruínas de S.Paulo até a Sé Catedral. O bispo de Macau era Dom Domingos Lam.


– O Museu de Arte Sacra das Ruínas de São Paulo foi inaugurado por ocasião do Encontro.

– Nesta época a TAP voava de Portugal para Macau e eu fui um dos seus passageiros.

– Jorge Forjaz lançou o livro Famílias Macaenses em 3 volumes.  Através do seu trabalho, o meu primo que reside na Suiça e natural de Angola, Luís Gonzaga da Luz de Sousa, veio ao Encontro para encontrar seus familiares que desconhecia, e nos encontrou, eu e as minhas irmãs Cíntia e Yolanda.  Foi uma alegria só!

A Fundação Oriente ofereceu uma recepção na Casa Garden, ao lado do Jardim de Camões, onde está instalada até hoje.

O pessoal da Casa de Macau de São Paulo chamava atenção para a origem da sua associação com bandeirinhas do Brasil.

Foram realizadas competições de hockey e futebol entre equipas de Macau e os visitantes

Houve as habituais trocas de presentes e na época, Luís Sales Marques, à direita, era mais jovem

As Casas de Macau trouxeram as suas atrações musicais, e na foto acima, São Paulo apresentou o seu New York New York

.

São Paulo também apresentou uma peça teatral em patoá. Da esq. Neco Badaraco, Natércia Luís, Mariazinha Carvalho e o saudoso JC-José Cândido Remédios.  A bandeira do Leal Senado representava oficialmente a cidade de Macau.

Diversos conjuntos musicais de Macau e da Diáspora apresentaram-se no Encontro, tais como, The Rockers, Os Veteranos, The Young Generation, The Flipsiders, The Young Ones, etc.  Também participei de um grupo musical de S.Paulo, a tocar viola com o meu sobrinho Luis Ramos, a Stela Colaço e esposo Beto Mingroni nos vocais.

Parte dos membros da tuna acima são objeto de assunto de postagem – Carnaval em Macau, no Passado

Numa futura postagem vou publicar mais fotos, inclusive as que tirei.

Um comentário em “Encontro das Comunidades Macaenses Macau 1996, recordações (2)

  1. Jorge Robarts
    02/12/2016

    O tempo passou depressa e, pelas fotos noto que muitas pessoas estão hoje + envelhecidas e algumas até já faleceram. Mas, é sempre bom ver e recordar os bons momentos desse Encontro de 1996.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.442.424 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: