Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Comer, comer, em Macau

Macau, ex-território português na China, é um dos lugares mais “deliciosos” do Oriente.  Lá, além de boa comida chinesa, a cantonense, você pode se deliciar, com fartura e grande variedade de restaurantes, a comida macaense-portuguesa, uma mistura de sabores oriental e ocidental. Só que, vá de coração aberto, nada de “ai e ai”, com medo e restrições a este ou aquele sabor, ou então com horror à comida adocicada que é uma característica oriental.

Neste domingo, para encerrar a semana, fui procurar umas fotos de comidas tiradas nas minhas viagens de saudades à terra natal, e achei estas de 2010.  São imagens que dispensam muitas palavras, pois para dizer a verdade, sou melhor em garfo e faca, ou melhor dizendo, de “fái chi” (pauzinhos para comer comida chinesa), do que de dar nomes a pratos ou seus detalhes, sou ruim nisso e me perdõe os erros, ou até não sou daqueles homens “mestres de cozinha”, mais especialista em fazer comida para não passar fome, se assim for preciso, mas felizmente, não é preciso.

Macau gastronomia 2010 (01)

Este porco assado com a pele bem torradinha foi servido num dos jantares do Encontro das Comunidades Macaenses.  Trazido para as mesas num cerimonial com desfile de garçonetes e garcons é o primeiro a ser servido.  Difícil é ver sobrar na mesa, pois é muito muito delicioso.  É o melhor porco assado do mundo.  A carne é macia, ao contrário de muitos porcos assados ocidentais.

Ah, esses camarões que só chineses sabem fazer.

Ah, esses camarões que só chineses sabem fazer.

Macau gastronomia 2010 (03)

???

Peixe? Os chineses sabem fazer muito bem, e é uma delícia! A garçonete reparte o peixe para você se servir melhor.

Peixe? Os chineses sabem fazer muito bem, e é uma delícia! A garçonete reparte o peixe para você se servir melhor.

Frango assado chinês ... (?)

Frango assado chinês … (?)

Cháu fán pu risoto misto.  Tenho que reclamar que mesmo em Macau, não se fazem mais cháu fán como antigamente, nos meus tempos dos anos 60.  Esse arroz para ser bom tem que ter cheiro de "queimado".

Cháu fán ou risoto misto. Tenho que reclamar que mesmo em Macau, não se faz mais chau fán como antigamente, nos meus tempos dos anos 60. Esse arroz para ser bom tem que ter cheiro de “fumaça” ou queimado no wók.

Min (macarrão chinês) com van tân com camarrão.

Min (macarrão chinês) com van tân com camarrão. O min é obrigatório em jantares festivos chineses, significa longa vida.

caldo de ... ???

caldo de … ???

Tchi chéong fân ou enrrolados de massa branca.  Adoro com tim cheóng e chi má chéong

Tchi chéong fân ou enrolados de massa branca. Adoro com tim cheóng (molho preto adocicado), chi má chéong (molho de gergelim) e chi má (gergelim), é quase como uma ladainha exigir esses acompanhamentos.  Assim mergulhado neles, ainda melhor, como na foto.

É obrigatório para mim e para a Mia.  Ir a Macau e não comer “cáp peang” (waffer chinês) lá perto da Sé Catedral, faltou algo … Antigamente nos anos 60, os recheios eram melhores, mas tudo bem, na falta vai assim mesmo com o que tiver, mas para mim, sem leite condensado.  Esta banca tradicional passou de pai para filha, e como ela é competente.  Deu continuidade, digamos, politicamente certo dizer que é um caso dos jovens darem continuidade às tradições.  Duvido que haja outro lugar na China que tenha cáp peang como este.

Macau gastronomia 2010 (11)

Macau gastronomia 2010 (12)

Impossível encontrar a banca do cáp peang sem freguesia

O Lai Kei ficou na vontade.  Fiquei de parar lá na volta do passeio a Tap Seac, mas acabei tomando um ônibus/autocarro na volta. É tradicional, existia desde os meus tempos antigos dos anos 60. Não saberia dizer como estão os sorvetes hoje

O Lai Kei ficou na vontade e na saudade. Fiquei de parar lá na volta do passeio a Tap Seac, mas acabei tomando um ônibus/autocarro na volta. É tradicional, existia desde os meus tempos antigos dos anos 50/60. Não saberia dizer como estão os sorvetes hoje. Fica para a próxima!

Abaixo, nas estreitas e apertadas ruelas do entorno do Mercado Vermelho há um comércio abundante de alimentos diversos. Bancas vendendo de tudo, e lá fomos comprar os nossos petiscos …

Macau gastronomia 2010 (14)

E foi nessa banca abaixo que compramos uma variedade de petiscos para comer no hotel (o Sintra).  Era chá siu, siu háp (pato), porco assado etc.

Mesmo tendo tido um delicioso jantar na APOMAC (vide abaixo), não acreditavamos que conseguiriamos ainda cear destas delícias, mas, estavamos enganados. Comemos tudo …. huummm, uma delícia.  Macau é uma tentação para a gente engordar, e sempre se volta para o Brasil com alguns quilos a mais.  Daí vai um regime para emagrecer de novo!!!

Macau gastronomia 2010 (16)

Veja esta outra banca ... huummm

Veja esta outra banca … huummm. O chinês tem uma habilidade danada para fatiar as carnes e as aves.  Rapidinho que até parece que vai cortar o dedo também!

Macau gastronomia 2010 (15)

Esta já vende pato salmurado (láp há peang), bacon chinês, chouriço china etc., delícias que engordam e são gordurosos mas não há como resistir.

Antes de comer as delícias acima, fomos jantar na APOMAC, sempre um ambiente familiar e amigo.

Antes de comer as delícias acima, fomos jantar na APOMAC, sempre um ambiente familiar e amigo. Especialista em comida macaense e portuguesa. Muito bom!

Macau gastronomia 2010 (21)Comi um pato a cabidela e a Mia um pou kók kãi (frango à moda portuguesa).  Muito bom, uma delícia! Deu saudades da minha casa nos anos 60 em Macau. Antes a Mia tomou um caldo verde.

Macau gastronomia 2010 (22)

Não, infelizmente não, fica para uma outra viagem a Macau, não comi estas casquinhas de siri, que gentilmente me emprestaram para tirar uma foto.  Dizem que é um dos pratos preferidos do Chefe do Executivo de Macau.  Imagine se não vou pedir um prato desse só pra mim!!! Até que 6 é pouco … mas deve ser uma super delícia.

Este é um bacalhau que não lembro o nome ... mas pela cara, deve ser outra delícia.

Este é um bacalhau que não lembro o nome … mas pela cara, deve ser outra delícia.

O "Átcho" e a esposa comandante da cozinha

O “Átcho” e a esposa comandante da cozinha

A APOMAC, associação de aposentados e pensionistas de Macau, com seu dirigente Francisco Macau, a Mia, e me desculpe, não tenho o nome do colega que estudou no Seminário (?), o primeiro à esquerda.

A APOMAC, associação de aposentados e pensionistas de Macau, com seu dirigente Francisco Manhão, a Mia, e me desculpe, não tenho o nome do colega que estudou no Seminário (?), o primeiro à esquerda.

Viajar para Macau e não voltar com uns quilinhos a mais … é impossível! Apesar da alta de preços, ainda em relação ao Brasil, está barato.  O grande problema, mas um grande problema, é não ter tempo para comer tudo o que quer em uma semana ou dez dias, nossa média de estadia.  Não dá tempo para sentir fome, pois só se come … e a comida oriental parece que não enche, sempre quer mais … huummm!!! Depois na volta, dá aquela raiva que não comeu isso ou aquilo! Mas como? só se tomar dez refeições num dia …

Anúncios

2 comentários em “Comer, comer, em Macau

  1. Amigo Rogério, desculpe este tratamento carinhoso, mas depois de ver e ler sobre estas iguarias, que me deixaram com a saliva a escorrer pelo canto da boca, sinceramente não sei o que dizer… simplesmente OBRIGADO por nos levar tambem nesta viagem!!! BEM HAJA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 864.336 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

%d blogueiros gostam disto: