Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

As poesias de Eugénio de Andrade e os desenhos de Carlos Marreiros

As poesias de Eugénio de Andrade e os desenhos de Carlos Marreiros

“Pequeno Caderno do Oriente”

Encarte da Revista de Cultura nº 18 de 1994, uma edição do Instituto Cultural de Macau, a título de “Pequeno Caderno do Oriente” traz a seguinte apresentação:

“As poesias, apontamentos e prosas poéticas deste “Pequeno Caderno do Oriente” foram escritos em Macau pelo poeta Eugénio de Andrade, durante uma visita de alguns dias a Macau e à China, m Outubro de 1990.  Carlos Marreiros fez as ilustrações para a edição deste “Caderno” especial da RC, em Novembro de 1993.”

JARDIM DE LOU LIM IEOC

Deste jardim o que levo comigo

é um ramo de bambu para servir

de espelho ao resto dos meus dias.

Desenho de Carlos Marreiros

Desenho de Carlos Marreiros

PEDRA PROFUNDA

No ar imóvel a pedra começa.

Sou-lhe fiel pelo seu aroma.

Vim de longe para tocar o fogo

da sua geometria sem fronteiras.

Pedra ferida. pedra acariciada.

Pedra profunda. Subindo alto.

Desenho de Carlos Marreiros

Desenho de Carlos Marreiros

TEMPLO DA BARRA

O verde dos bambus mais altos é azul

ou então é o céu que pousa nos seus ramos.

Desenho de Carlos Marreiros

Desenho de Carlos Marreiros

BALANÇA

No prato da balança um verso basta

para pesar no outro a minha vida.

Desenho de Carlos Marreiros

Desenho de Carlos Marreiros

EUGÉNIO DE ANDRADE

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas GOSE • GCM (Póvoa de Atalaia, 19 de Janeiro de 1923 — Porto, 13 de Junho de Eugénio_de_Andrade2005) foi um poeta português.

Biografia

O poeta nasceu na freguesia de Póvoa de Atalaia (Fundão) em 19 de Janeiro de 1923. Fixou-se em Lisboa aos dez anos, com a mãe, que entretanto se separara do pai.2

Frequentou o Liceu Passos Manuel e a Escola Técnica Machado de Castro, tendo escrito os seus primeiros poemas em 1936, o primeiro dos quais, intitulado Narciso, publicou três anos mais tarde.

Em 1943 mudou-se para Coimbra, onde regressa depois de cumprido o serviço militar convivendo com Miguel Torga e Eduardo Lourenço. Tornou-se funcionário público em 1947, exercendo durante 35 anos as funções de Inspector Administrativo do Ministério da Saúde. Uma transferência de serviço levá-lo-ia a instalar-se no Porto em 1950, numa casa que só deixou mais de quatro décadas depois, quando se mudou para o edifício da extinta Fundação Eugénio de Andrade, na Foz do Douro.

Durante os anos que se seguem até hoje, o poeta fez diversas viagens, foi convidado para participar em vários eventos e travou amizades com muitas personalidades da cultura portuguesa e estrangeira, como Joel Serrão, Miguel Torga, Afonso Duarte, Carlos Oliveira, Eduardo Lourenço, Joaquim Namorado, Sophia de Mello Breyner Andresen, Teixeira de Pascoaes, Vitorino Nemésio, Jorge de Sena, Mário Cesariny, José Luís Cano, Ángel Crespo, Luis Cernuda, Jaime Montestrela, Marguerite Yourcenar, Herberto Helder, Joaquim Manuel Magalhães, João Miguel Fernandes Jorge, Óscar Lopes, e muitos outros.

Apesar do seu enorme prestígio nacional e internacional, Eugénio de Andrade sempre viveu distanciado da chamada vida social, literária ou mundana, tendo o próprio justificado as suas raras aparições públicas com «essa debilidade do coração que é a amizade».

Recebeu um sem número de distinções, entre as quais o Prémio da Associação Internacional de Críticos Literários (1986), Prémio D. Dinis da Fundação Casa de Mateus (1988), Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1989) e Prémio Camões (2001). A 8 de Julho de 1982 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada e a 4 de Fevereiro de 1989 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito.

Faleceu a 13 de Junho de 2005, no Porto, após uma doença neurológica prolongada.

(Fonte: Wikipedia – Imagem: Wikimedia Commons)

CARLOS MARREIROS

Carlos Alberto dos Santos Marreiros, nascido em Macau no ano de 1957, é arquitecto estabelecido por conta própria, professor Carlos Marreirosuniversitário, artista plástico e autor de três livros e inúmeros artigos e ensaios publicados em língua portuguesa, chinesa e inglesa. Regressou a Macau em 1983 e embora nunca tivesse sido functionário público de carreira serviu, em comissão de serviço, a Administração do Território como técnico superíor (1983-1986) e como Presidente do Instituto Cultural do Governo de Macau (1989-1992).

(Fonte: http://www.macauart.net/Artist/ContentP.asp?cid=200&id=93)

Carlos Marreiros is an award winning architect, urban planner, designer and artist with his cutting-edge creations widely recognized and internationally published. Born in Macau, he studied in Macau, Portugal, Germany and Sweden, before returning to Macau in 1983.

He is regularly invited to exhibit and lecture at galleries and Universities in Europe, America and Asia. He is also an university professor and community leader, serving in many non-governmental organizations and governmental committees. He was bestowed with honorific decorations by Macau SAR Government’s Chief Executive, by two former Governors of Macau and by the President of the Republic of Portugal. Carlos Marreiros is the founder and partner of MAA – Marreiros Arquitectos Associados, E&W-DP Ltd and Albergue SCM – Creative Space.

(Fonte: http://www.macaucreations.com/artists/view/carlos-marreiros)

*Agradecimentos ao Instituto Cultural de Macau e Carlos Marreiros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.158.104 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

A primeira atividade oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 ocorreu no dia 23 de Novembro de 2019, num sábado, nas dependências do Jardim Infância D. José da Costa Nunes, como já vem acontecendo nos Encontros anteriores. No último Encontro que participei em 2010, o evento foi mais descontraído com apresentação de músicos tanto […]

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Em 2007, visitei o Museu do Grande Prémio de Macau e lá fiz várias fotos. Nesta postagem, o assunto é o piloto Rodolfo Ávila. Venha conhecê-lo melhor. Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz Texto extraído da enciclopédia livre – Wikipédia Rodolfo Freitas Silvério de Abreu Ávila nasceu em Lisboa no dia 19 […]

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A foto da estátua Ferreira do Amaral, em Macau, foi objeto de indagação feita ao autor deste blog por MJ Raydor no Facebook, que queria saber da sua história. Por desconhecê-la, coube ao Carlos Dias dar a resposta abaixo com publicação de uma imagem: “Tratava-se da Comissão Organizadora das comemorações de 102º. aniversário da Tomada […]

%d blogueiros gostam disto: