Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Pedro Almeida discorre sobre o Minchi e o que é Macaense e Macaísta

Pedro Almeida

Na comemoração do Dia de Macau em São Paulo, no último dia 23, o macaense Pedro Almeida veio especialmente do Rio de Janeiro, para colaborar com a Mariazinha Carvalho numa apresentação em patuá, e ao final, pessoalmente, discorreu sobre dois temas: “a distinção entre o Macaense e o Macaísta”, e o prato de “preferência nacional macaense”: o Minchi.

O Pedro, ciente da visita do Prefeito de Macau – Kerginaldo Pinto, do Rio Grande do Norte, Brasil, teve a especial atenção de oferecer ao ilustre visitante camisetas (camisolas-Portugal) com o símbolo da Casa de Macau do Rio de Janeiro, ato que mereceu um agradecimento especial e a alegre surpresa que lá na  cidade maravilhosa tinha uma associação com o nome da sua terra natal.  O Prefeito até mostrou interesse em visitar a Casa do Rio para conviver com a comunidade macaense , o que certamente terá uma boa acolhida por parte da Direção e dos associados, o que é peculiar dos bons amigos e conterrâneos cariocas.

Vamos então ao que o Pedro Almeida discorreu sobre os assuntos em tópico:

MACAENSE    X    MACAÍSTA 

Para maior esclarecimento, quero frisar que não estou falando da NACIONALIDADE e sim sobre  ETNIA.

Literalmente falando, sob o ponto de vista gramatical, o sufixo “ ENSE ”  designa aquilo que é oriundo de…. ou natural de….ou seja nascido em…. ex:

CANADÁ = Canadense (PT Brasil)

NICARÁGUA = Nicaraguense

PARÁ = Paraense

PARIS = Parisiense

FRIBURGO = Friburguense

MACAU = Macaense

Por outro, lado o sufixo  “ ISTA”  designa tudo o que esteja relacionado a …ou que se identifique com …ou abrace a causa …..   ex:

ESPORTE = Esportista

MACHO = Machista

JORNAL  =  Jornalista

FUTEBOL  = Futebolista

TÊNIS = Tenista

MOTOR  =   Motorista

Para os mais ERUDITOS, vou aprofundar a minha explicação:

Sob a ótica chinesa, em Cantonês, a definição  “ TÔU – SAN – CHAI ” é explicita. Não deixa dúvidas.

A maioria das pessoas entendem por TOU (BARRIGA) SAN (NASCER) CHAI (FILHO) ou  seja  “FILHO PARRIDO DA BARRIGA”.

Porém o idiograma TOU deriva de TEI-TOU (MAPA GEOGRÁFICA LOCAL), o que literalmente traduz o significado correto para “ O FILHO NATO DA TERRA LOCAL” .

Tem mais, os chineses chamam o MAQUISTA-CHAPADO de  HÁM-HA-TCHÁM !

Infelizmente nem TODO MACAENSE é Macaísta (pois existem macaenses que são do contra, falam mal e desprezam tudo mais que esteja relacionado a esta comunidade).

Portanto, existe uma grande diferença entre Macaense e Macaísta.

E é exactamente o grupo citado pela Mariazinha de brasileiras ou estrangeiras que frequentam e colaboram com esta CASA que, por definição e com muito orgulho, chamamos de Macaístas.

Pois TODO MACAÍSTA tem um “coração macaense” batendo forte no seu peito e espero que permaneça batendo firme enquanto viver, levando adiante nossa bela EXPRESSÃO CULTURAL

Ficarei à disposição, mais tarde para quem tiver perguntas ou queira aprofundar a sua pesquisa na raiz macaense… logicamente, regado a uma geladinha porque ninguém é de ferro !  Tá certo ou nunca, Mariazinha ?

Nota do editor: para os amigos da Macau-RN-Brasil, pela explicativa acima, seriam Macauenses os nascidos na terra e Macauístas os não nascidos mas que têm “coração macauense” e lá residem.

A  ORIGEM DO MINCHI

Depois de tanta COMIZAINA e da pança que está cheia, não devemos esquecer de alimentar o nosso espírito também , através do conhecimento !

Tenho certeza que vocês já estão carecas de saborear o Minchi de tudo quanto é jeito.

Mas, por acaso você conhece a origem da palavra MINCHI ?

Vem do Inglês  “ MINCED – MEAT ”  .

Meat = carne + Minced = triturado, moído.

MINCED-MEAT ou MINCHI =  é a velha conhecida e famosa CARNE-MOÍDA.

O prato original veio dos Anglo-Saxões e Germanos (antigos povos do Velho Mundo – a Europa).

Mas, você já comeu MINCHI na Inglaterra, França ou Alemanha? Será que ele consta dos MENUS dos Restaurantes Europeus? NÀO ! PORQUE ?

A bem da verdade, eles usavam a carne moída para fazer ALMÔNDEGAS, HAMBURGERS, BOLOS DE CARNE e outros recheios…

Nem os mais famosos CHEFS-DE-CUISINE sonhavam em preparar um MINCHI.

Só as nossas avós (exímias cozinheiras) que devido à escassez da carne bovina em Macau, começaram a misturar a carne de porco (que era mais popular na China) melhorando o  sabor desse prato e apresentaram ao mundo o famoso Minchi – carne moída mista temperada e frita, junto com batatinha em cubinhos e um ovo por cima. Pronto ! Sem mistérios, mas mui sabroso !

Se fosse inventado no Brasil, seria conhecido como “CARNE MOIDA À CAVALO” !

O que ficaria SEM XISTE !!

Como vê, MINCHI também é cultura ! VIVA A CULTURA MACAENSE !

Pedro discorre sobre seus temas, observado pela Mariazinha

Pedro discorre sobre seus temas, observado pela Mariazinha

Pedro Almeida oferece ao Prefeito de Macau Kerginaldo Pinto, do Rio Grande do Norte, Brasil, camiseta (camisola-Portugal) com o símbolo da Casa de Macau do Rio de Janeiro

Pedro Almeida oferece ao Prefeito de Macau Kerginaldo Pinto, do Rio Grande do Norte, Brasil, camiseta (camisola-Portugal) com o símbolo da Casa de Macau do Rio de Janeiro

Pedro Almeida recebe do Prefeito de Macau Kerginaldo Pinto, do Rio Grande do Norte, Brasil, camiseta (camisola-Portugal) com a imagem da Macau brasileira.

Pedro Almeida recebe do Prefeito de Macau Kerginaldo Pinto, do Rio Grande do Norte, Brasil, camiseta (camisola-Portugal) com a imagem da Macau brasileira.

Pedro de Almeida colaborou com a Mariazinha Lopes Carvalho na apresentação em patuá de Macau

Pedro de Almeida colaborou com a Mariazinha Lopes Carvalho na apresentação em patuá de Macau

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25/06/2013 por em Gente, Pedro Almeida e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 806,322 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

%d blogueiros gostam disto: