Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

“The Winner Takes It All” do ABBA foi escrita em momento de verdadeira tristeza

ABBA

ABBA – da esquerda: Benny Andersson, Anni-Frid Lyngstad, Agnetha Fältskog e Björn Ulvaeus.

A letra da canção de sucesso “The Winner Takes It All” foi inspirada na separação do casal Agnetha Fältskog e Björn Ulvaeus do conjunto musical ABBA no Natal de 1978. O autor Björn revelou que foi escrita num momento de tristeza, com uma garrafa de whisky em cima da mesa.

O que me inspirou a fazer esta postagem e contar um pouco do que pesquisei desta bela e sensível canção, foi rever o filme “Mamma Mia” pela quarta vez na TV.  É incrível mas o filme não consegue enjoar a gente pois nos envolve com a movimentação e lindas canções do ABBA.  Poderia assisti-lo pela quinta vez, se for o caso.

“Mamma Mia” também traz belas recordações da nossa viagem a Londres, quando estávamos a caminho de Macau para o Encontro das Comunidades Macaenses de 2007.  Na companhia da Mia, Yolanda, Manuel, Dulce, Sonny, Edite e Armando ficamos na cidade londrina por três dias, e mesmo com chuva fizemos os nossos molhados tours. Um programa noturno foi assistir esta peça teatral no Prince of Wales Theatre na região de Piccadilly Circus.  Os únicos assentos que sobravam eram os da primeira fila e foi ótimo assistir o espetáculo tão perto. Foi emocionante!

Eis o que a Wikipedia nos conta sobre a canção:

A cantora Agnetha Fältskog

A cantora Agnetha Fältskog nascida em 05/04/1950

The Winner Takes It All é um single do grupo ABBA. É o segundo single mais conhecido do grupo, atrás apenas de Dancing Queen (1976). The Winner Takes it All conta uma separação dolorosa onde o “vencedor leva tudo”. O vocal fica com Agnetha Fältskog. Em uma de suas entrevistas, Björn Ulvaeus revelou abertamente que a letra foi inspirada na sua separação com Agnetha que havia ocorrido no natal em 1978. Ele revelou também que a música foi escrita em uma hora com uma garrafa de uísque em cima da mesa. Mesmo o single sendo o de número dois, foi o carro chefe do então álbum Super Trouper que foi lançado em 1980. Por causa da música, houve grande expectativa do lançamento do disco se tornando um dos mais esperados da banda e do ano. Foram vendidas cerca de dois milhões de cópias na pré-venda. A música alavancou a venda do álbum e conseguiu grande promoção. O clipe foi lançado em 1980 e dirigido (como tanto outros videos do ABBA) pelo então cineasta Lasse Hallström. O clipe mostra uma mulher abandonada e solitária, interpretada por Agnetha. As gravações ocorreram na cidade de Marstrand, na costa oeste da Suécia onde o diretor estava dirigindo uma comédia na época.

O grupo ABBA tem Estocolmo, na Suécia, como origem e durou 10 anos,  entre 1972-1982. Seus integrantes eram Anni-Frid Lyngstad, Benny Andersson, Agnetha Fältskog e Björn Ulvaeus.

Veja o vídeo-clip do ABBA, do canal da AbbaVEVO, com a triste fisionomia de Agnetha Fältskog, que até julgo ser autêntica pela tristeza da separação, e acompanhe com as letras em inglês mais abaixo:

– I don’t wanna talk   

About the things we’ve gone through 

Though it’s hurting me

Now it’s history

I’ve played all my cards

And that’s what you’ve done too

Nothing more to say

No more ace to play

– The winner takes it all

The loser standing small

Beside the victory

That’s a destiny

– I was in your arms

Thinking I belonged there

I figured it made sense

Building me a fence

Building me a home

Thinking I’d be strong there

But I was a fool

Playing by the rules

– The gods may throw a dice

Their minds as cold as ice

And someone way down here

Loses someone dear

The winner takes it all.

The loser has to fall

It’s simple and it’s plain.

Why should I complain.

– But tell me does she kiss

Like I used to kiss you?

Does it feel the same

When she calls your name?

Somewhere deep inside

You must know I miss you

But what can I say

Rules must be obeyed

– The judges will decide

The likes of me abide

Spectators of the show

Always staying low

The game is on again

A lover or a friend

A big thing or a small

The winner takes it all

– I don’t wanna talk

If it makes you feel sad

And I understand

You’ve come to shake my hand

I apologize

If it makes you feel bad

Seeing me so tense

No self-confidence

But you see

The winner takes it all

The winner takes it all…

– Someone dear…

Takes it all…

The loser …

Has to fall…

Throw a dice…

As cold as ice…

Someone way down here…

Someone dear…

Takes it all…

Premiére do filme Mamma Mia! em 2008 na cidade de Estocolmo. A partir da esquerda: Benny Andersson, Pierce Brosnan, Amanda Seyfried, Meryl Streep, Agnetha Fältskog, Anni-Frid Lyngstad, Christine Baranski, Colin Firth, Catherine Johnson, Phyllida Lloyd, Judy Craymer, Björn Ulvaeus e Dominic Cooper. (Wikipedia)

Premiére do filme Mamma Mia! em 2008 na cidade de Estocolmo. A partir da esquerda: Benny Andersson, Pierce Brosnan, Amanda Seyfried, Meryl Streep, Agnetha Fältskog, Anni-Frid Lyngstad, Christine Baranski, Colin Firth, Catherine Johnson, Phyllida Lloyd, Judy Craymer, Björn Ulvaeus e Dominic Cooper. (Wikipedia)

A canção também foi destaque no filme “Mamma Mia” na cena em que Donna Sheridan (Meryl Streep) lamenta com Sam Carmichael (Pierce Brosnan) o romance mal resolvido do casal. O filme musical produzido em 2008 foi baseada na peça teatral criada uma década antes e foi rodado na ilha grega de Skopelos, nas Espórades. Tanto o filme como o musical foram baseados nas canções do grupo pop sueco ABBA. Apesar de ter ganho muitos prêmios como o do National Movie Awards 2009 e do Globo de Ouro 2009, não foi indicado para o Oscar de 2009 e nem a bela interpretação de Meryl Streep rendeu qualquer indicação. Veja o vídeo-clip do canal de Maryla S. no You Tube:

Abba Mamma Mia folder (1.2)

Abba Mamma Mia folder (1.1)

Região de Piccadilly Circus

Região de Piccadilly Circus e fotos abaixo

Dim Sum na Chinatown de Londres entre Leicester Square e Piccadilly Circus. Da esquerda: Dulce, Sonny, Manuel, Yolanda, Armando, Edite, Mia e eu atrás da máquina fotográfica

Dim Sum na Chinatown de Londres entre Leicester Square e Piccadilly Circus. Da esquerda: Dulce, Sonny, Manuel, Yolanda, Armando, Edite, Mia e eu atrás da máquina fotográfica

* Fonte: Wikipedia e Vagalume (letras)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 02/04/2014 por em ABBA e Mamma Mia e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 662,927 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: