Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Em memória do ator José Wilker

José Wilker (20/04/1944-05/04/2014). Foto de Wikimedia Commons

José Wilker (20/04/1944-05/04/2014). Foto de Wikimedia Commons

Uma tristeza enorme ouvir nesta data de 5 de abril, a notícia do falecimento de  José Wilker aos 66 anos, um excelente ator brasileiro que com gosto assistia às suas interpretações em novelas e filmes.  As suas duas últimas atuações que assisti foram nas telenovelas “Amor à Vida” e a refilmagem em 2012 de “Gabriela, Cravo e Canela” de 1975.

José Wilker natural de Juazeiro do Norte, terra do Padre Cícero, no Estado do Ceará, Brasil, nasceu em 20 de agosto de 1944 e logo cedo, ainda criança, mudou-se para a capital Recife com a família.  Além de ator era diretor, narrador, apresentador e crítico de cinema brasileiro. Um infarto fulminante ceifou a sua vida quando se encontrava na sua casa no Rio de Janeiro, sem que houvesse tempo para socorrê-lo com vida.

De acordo com a enciclopédia livre Wikipédia, “José Wilker começou a carreira como locutor de rádio e se mudou para o Rio de Janeiro aos dezenove anos.

Seu primeiro filme foi em 1965, A Falecida com uma participação não creditada, o filme ainda contava com Fernanda Montenegro como protagonista. Em 1979, esteve no elenco do filme Bye Bye Brasil e em 1985, no elenco de O Homem da Capa Preta.

Estreou nas telenovelas em 1971, em Bandeira 2, de Dias Gomes, na TV Globo. Fez muito sucesso com a novela Roque Santeiro na qual deu vida ao personagem-título junto com Regina Duarte e Lima Duarte. Entre 1997 e 2002, dirigiu boa parte dos episódios do Sai de Baixo, além de ter participado de um dos episódios do programa (Ghost Não Se Discute), em 1997.

Interpretou personagens célebres na televisão, como Giovanni Improtta, na telenovela Senhora do Destino e o ex-presidente Juscelino Kubitschek na minissérie JK. Em 2012 cai na boca do povo com o personagem Jesuíno Mendonça na telenovela Gabriela. O personagem foi marcado pelo bordão “Vou lhe usar”, que se tornou febre nas redes sociais. No ano seguinte narra a chamada da telenovela Amor à Vida, e no meio da trama entra no elenco como a personagem Herbert.

Entre seus papéis mais marcantes no cinema estão Tiradentes, no filme Os Inconfidentes, de 1972; Vadinho, do recorde de bilheteria nos cinemas Dona Flor e Seus Dois Maridos, de 1976; o político Tenório Cavalcanti de O Homem da Capa Preta, de 1986 e Antônio Conselheiro, de Guerra de Canudos, de 1997 entre muitos outros.”

Participação de José Wilker na refilmagem da telenovela "Gabriela". em 2012

Participação de José Wilker na refilmagem da telenovela “Gabriela”. em 2012. Foto do Google Imagens

Em homenagem à sua memória reproduzo aqui dois vídeos publicados no You Tube por terceiros. O primeiro é um vídeo-clip musical da canção “De volta pro meu aconchego” cantada por Elba Ramalho, com imagens da sua participação como personagem principal da bela telenovela Roque Santeiro. Noutro, um trailer do filme sucesso de bilheteria “Dona Flor e Seus Dois Maridos” de 1976.

 

Anúncios

Um comentário em “Em memória do ator José Wilker

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 05/04/2014 por em José Wilker e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 663,775 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: