Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Padre Lancelote, de Macau, foi confundido como agente da CIA pelos guardas vermelhos

No auge da Revolução Cultural de Mao Tse Tung na década de 60, em Macau, o Padre Lancelote Rodrigues foi confundido como um agente secreto da CIA. Já pensou? Os guardas vermelhos bem quiseram assim pensar, só que, ainda bem nada fizeram contra o nosso valoroso sacerdote que dedicou a sua vida às ações sociais. Veja:

Padre Lancelote Rodrigues, de Macau

Padre Lancelote Rodrigues, de Macau (foto da Revista Macau)

O AGENTE “O-O-CROSS”

Texto de Ribeiro Cardoso extraído do seu artigo “Lancelote Rodrigues, um Padre das Arábias” publicado na Revista Macau de Junho 1993

Ao longo da sua agitada vida, Lancelote Rodrigues já passou por várias peripécias. Uma delas foi na década de 60, durante a Revolução Cultural chinesa, que aqui em Macau esteve brava, assumiu contornos especiais e ficou conhecida como o “Um, Dois Três”.

Pois bem, nesse período em que os portugueses não podiam sair à rua e a coisa esteve feia, o padre Lancelote foi acusado pelos “guardas vermelhos” de ser… um agente da CIA.

Passados estes anos todos, o padre, sempre que recorda esses momentos, dá uma gargalhada e explica:

“Isso começou com os jornais chineses, que diziam que a CIA funcionava no Centro Católico…Sabe, eu desde 1949, com a chegada dos refugiados de Xangai, lá fui conseguindo apoios financeiros substanciais, sobretudo americanos. Aliás, devo mesmo dizer que entre 1952 e 1967 arranjei apoios no valor de 90 milhões de dólares dos EUA. Claro, no calor da Revolução Cultural alguns revolucionários mais fervorosos lembraram-se de que eu era amigo dos americanos — o que, de resto, era verdade e eu nunca neguei — e desataram a chamar-me agente da CIA. Fácil, portanto. A coisa esteve feia, mas passou — e eu cá estou”.

Hoje os tempos são outros, mas como a figura de Lancelote Rodrigues está sempre na berra — este homem nunca pára! — e tem numerosos contactos internacionais há quem sussurre que ele é um quadro qualificado dos Serviços de Informações do Vaticano, que o mantém destacado às portas da China.

Posto perante esta hipótese, o bom padre Lancelote não se conteve e mais uma vez gargalhou como só ele sabe. Bebeu mais um gole do Johnny Walker Cinta Preta, reclinou-se na cadeira e sorrindo com alguma malandrice adiantou:

“Nunca tinha pensado, mas é bem capaz de ser isso. E agora percebo porque é que algumas pessoas me chamam, não o agente 007, que já não tenho idade para fazer as coisas que ele faz, mas antes o 00 Cross. Justo, justo. É isso: eu sou o 00 Cross… Mas falando a sério: eu faço relatórios para o Vaticano, que entrego ao representante da Santa Sé em Hong-Kong”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 15/07/2014 por em Agente secreto? e marcado .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 879.323 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

%d blogueiros gostam disto: