Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Carlos Paes de Assumpção – biografia resumida

Uma evocação à memória de 14 personalidades de vários setores de atividade pública e privada , naturais de Macau ou ligadas ao território, que “deixaram o nosso convívio nos últimos cinco anos (entre 1992 a 1997)”, assim inicia o artigo da Revista Macau na sua edição de Maio de 1997, ainda nos tempos em que a cidade era administrada pelos portugueses.

De forma resumida, auxilia bem o leitor que queira conhecer biografias de personalidades em poucas linhas. Nesta postagem, o grande advogado e político macaense, que poderia ter mudado a história  de Macau se houvesse condições para isso:

CARLOS AUGUSTO CORRÊA PAES DE ASSUMPÇÃO

Advogado, político  1929 – 1992, natural de Macau

(O artigo não traz o nome do seu autor. Extraído da Revista Macau edição de Maio de 1997)

Carlos Assumpção (01)FILHO primogeménito de um advogado provisionário e de uma senhora originária do arquipélago de Trinidad, que lhe deram mais sete irmãos, Carlos Assumpção nasceu em Macau em 1 de Março de 1929, no seio de uma família tradicional — o barão Paes d’Assumpção (bisavô de Carlos Augusto) exercera em Macau funções de grande destaque.

Órfão de pai aos 14 anos, Carlos Assumpção frequenta o Liceu de Macau durante os anos da II Grande Guerra. Com o fim do conflito, ruma para Coimbra, onde se forma em Direito. Remontam a Coimbra os seus primeiros passos na vida política, com a sua eleição para presidente da Associação Académica.

Concluída a licenciatura com distinção (foi o melhor aluno do curso), Carlos Assumpção regressou a Macau, deixando em Coimbra, a acabar Medicina, a sua futura mulher. Dedica-se afincadamente ao trabalho num cartório de advocacia na Rua Central, granjeando, em pouco tempo, fama e clientela. Em 1956, é eleito vogai do Conselho Consultivo do Governador e, dois anos depois, assume o cargo de notário e director da Secretaria Notarial (funções em que se manteria até 77).

Vive por dentro a crise do “Um-dois-três”, de 1966. Integra o Conselho de Defesa, chega a chefiar a delegação que negoceia com as autoridades chinesas uma saída para o conflito, mas acaba por abandonar a comissão.

Em 1968 é escolhido como procurador à Câmara Corporativa, iniciando novo mandato em 72 (interrompido em 25 de Abril de 74).

Funda e lidera a Associação para a Defesa dos Interesses de Macau (ADIM), que se viria a tornar, na década seguinte, a mais importante força política local, e colabora intensamente na elaboração do primeiro Estatuto Orgânico que instituiu a Assembléia Legislativa.

À frente da ADIM e de outras forças políticas, vence as eleições directas para aquele órgão em 1976, 1980, 1984 e 1988, sendo sucessivamente eleito pelos seus pares presidente da Assembléia Legislativa, cargo que ocuparia durante quase 16 anos, até à sua morte a 20 de Abril de 1992.

No seu obituário, inscrevem-se ainda a participação na comissão de redacção da Lei Básica de Macau, a convite da RPC, e uma série de elevadas distinções de Macau e da República Portuguesa.

Um busto em sua memória foi inaugurado na Taipa pelo Presidente Mário Soares, em 1993, numa rotunda com o seu nome que figura também numa importante alameda dos novos aterros do Porto Exterior.

Governador de Macau Almeida e Costa e Carlos Assumpção: um relacionamento conflituoso que ficará nos anais da Assembleia Legislativa de Macau (texto e imagem da Revista Macau)

Governador de Macau Almeida e Costa e Carlos Assumpção: um relacionamento conflituoso que ficará nos anais da Assembleia Legislativa de Macau (texto e imagem da Revista Macau)

Assumpção, em Pequim, na cerimónia da Declaração Conjunta: o falecido presidente da Assembleia Legislativa  defendia, já em 1976, a normalização de relações com a China (texto e imagem da Revista Macau).

Assumpção, em Pequim, na cerimónia da Declaração Conjunta: o falecido presidente da Assembleia Legislativa defendia, já em 1976, a normalização de relações com a China (texto e imagem da Revista Macau).

Acervo de Rogério P.D. Luz

Acervo de Rogério P.D. Luz

Álvaro Augusto Xavier da Luz (na foto: o 3º da direita), pai do autor deste blog, era secretário de Carlos Assumpção no cartório de advocacia na Rua Central. Na foto um convívio com pessoas ligadas ao serviço cartorial, sendo que o 2º da direita, é o meu tio, Edmundo Dias, que trabalhava no cartório como testemunha.

Acervo de Rogério P.D. Luz

Acervo de Rogério P.D. Luz

Foto de casamento da irmã do autor deste blog, Natércia da Luz com João Bosco da Silva, tendo Carlos Assumpção como seu padrinho. Os pais do autor estão logo atrás do advogado: Maria Marcelina da Luz e Álvaro Xavier da Luz. João Bosco tem a mãe a seu lado: Júlia Silva.

Anúncios

2 comentários em “Carlos Paes de Assumpção – biografia resumida

  1. Jorge E. Robarts
    12/09/2014

    Lembro-me perfeitamente do teu pai Álvaro, já que ele por força da sua profissão, tinha contatos frequentes comigo. Na foto do grupo de trabalho de Carlos Assumpção, reconheci também a mãe dele, Fannie Assam, seu padrasto Alberto Magalhães, /e à direita deste Sílvio Silvano Siqueira/, o Edmundo Dias, o Ao Ian, /ambos atrás do teu pai Álvaro/ e a Amah/cozinheira de muitos anos, cujo nome já não recordo. A foto deve ter a data de c.1959/1960.

    • Obrigado Giga, estava precisando da identificação das pessoas. Julgo que seja da época. O Ao Ian era nosso vizinho na Calçada do Tronco Velho. Gente boa, ajudou-nos no 1,2,3.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 11/09/2014 por em Carlos Paes Assumpção e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 724,120 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

%d blogueiros gostam disto: