Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Quem governava Macau nos séculos XVI e XVII? Padre Teixeira explica …

Quem governava Macau logo após o estabelecimentos dos portugueses em 1557? Padre Manuel Teixeira, grande historiador, explica a respeito  no seu livro “Primórdios de Macau”:

Carta da Ásia Oriental de Fernão Vaz Dourada (1571)

Carta da Ásia Oriental de Fernão Vaz Dourada (1571)

QUEM GOVERNAVA MACAU

Texto de autoria de Padre Manuel Teixeira – livro “Primórdios de Macau” edição do Instituto Cultural de Macau em 1990

De 1543 a 1550, o comércio com o Japão era livre, mas nesta última data passou a ser monopólio da Coroa. Ao Rei de Portugal ou ao Vice-Rei da Índia competia nomear o capitão-mor da Viagem do Japão; esta viagem era feita pela Nau do Trato, que partia de Goa, via Malaca, para a China e Japão. Os capitães-mores saíam de Goa em Abril-Maio e chegavam a Macau cerca de dois meses depois; partiam daqui para o Japão e regressavam em Novembro. Esperavam aqui a monção para a Índia.

No entanto, chegava de Goa um novo capitão-mor que governava a cidade. Em 1557, ano da fundação de Macau, era capitão-mor Francisco Martins.

Um documento de 1581 diz: “Nesta povoação não houve nunca capitão que residisse ordinariamente nela, somente o capitão das viagens do Japão, que se fazem cada ano… serve de capitão da terra, enquanto nela está, e já quando se vai, é vindo o outro capitão da outra viagem, de maneira que muito pouco ou nenhum tempo está sem capitão”.

Carece, pois, de fundamento o que afirmam muitos historiadores, entre os quais Eudore de Colomban, que diz: “Antes de tudo era necessário que a Colónia tivesse um Chefe, e foi Diogo Pereira, rico negociante, quem foi eleito Capitão da terra pelos habitantes. Ajudavam-no no governo dois dos mais notáveis e influentes cidadãos, formando assim uma espécie de triunvirato, cujo dever era regular todas as questões de ordem pública e política.”

O cargo de capitão da terra foi, com satisfação geral, exercido por Diogo Pereira até 1587.

Note-se que Diogo Pereira nunca foi capitão da terra, mas sim capitão-mor de 1562 a 1564. Durante os primeiros anos de Macau nunca foi nomeado um só capitão da terra.

A 30 de Dezembro de 1604, o Rei sugeria a conveniência de se nomear um capitão para Macau, “por não haver ali capitão”, mas nada se fez.

A 26 de Fevereiro de 1606, o Rei sugeria o mesmo, mas sem efeito.

Só em 1623 é que foi nomeado o primeiro, na pessoa de D. Francisco Mascarenhas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.115.011 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Em Macau, celebração diferente do 13 de Maio Dia de Nossa Senhora de Fátima em 2020 devido à pandemia

Em Macau, celebração diferente do 13 de Maio Dia de Nossa Senhora de Fátima em 2020 devido à pandemia

Por medidas de precaução em função da pandemia do novo coronavírus Covid-19, a celebração do Dia de Nossa Senhora de Fátima, no dia 13 de Maio, foi diferente no mundo todo. Até que em Macau a celebração contou com a participação limitada de fiéis na missa realizada na Igreja de São Domingos, mais que no Santuário […]

Por detrás da foto oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019

Por detrás da foto oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019

A sessão fotográfica nas Ruínas de São Paulo é tradição já há vários Encontros das Comunidades Macaenses, e não foi exceção na edição Macau 2019. Aconteceu no dia 26 de Novembro, uma terça-feira, por volta das 16 horas. Ao que parece, uma tradição chinesa em Macau, a foto oficial reuniu os participantes do Encontro de […]

Ruínas de São Paulo e as ruas de acesso à principal atração turística de Macau

Ruínas de São Paulo e as ruas de acesso à principal atração turística de Macau

Após 9 anos de ausência, desde o Encontro das Comunidades Macaenses de 2010, já no segundo dia da chegada a Macau para a edição de 2019, por saudades fomos visitar as Ruínas de São Paulo, mesmo sendo um Sábado quando se espera uma multidão de turistas do Continente da China que costumam congestionar as vias […]

%d blogueiros gostam disto: