Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Saiba o autor da música natalina Adeste Fidelis

Neste período natalino que se encerra no dia 6 de janeiro com o Dia de Reis, andou circulando pela internet através de e-mails repassados o tema: a autoria da célebre canção natalina “Adeste Fidelis”, que na língua inglesa é conhecida por “Oh Come All Yee Faithful”.

Em pesquisa pela enciclopédia livre Wikipedia vi que foi de lá que o texto foi copiado. É interessante saber, pois todos sabem cantá-la mas acredito que em geral não conhecem o seu compositor. Julgo que merece credibilidade embora não se verfica 100% de certeza. Eis a reprodução do texto:

Dom João IV de Portugal (1604-1656) foi o vigésimo primeiro Rei de Portugal, e o primeiro da quarta dinastia, fundador da dinastia de Bragança

Dom João IV de Portugal (1604-1656) foi o vigésimo primeiro Rei de Portugal, e o primeiro da quarta dinastia, fundador da dinastia de Bragança

ADESTE FIDELIS

Hino Português tocado em todo o mundo no Natal

“Adeste Fideles” é o título do chamado “Hino de Natal Português”, escrito pelo Rei D. João IV de Portugal. Foram achados dois manuscritos desta obra, datados de 1640, no seu palácio de Vila Viçosa.

Muitos outros atribuem a autoria desse hino a John F. Wade, que não pode ter composto a obra, já que o seu manuscrito data de 1743. O mais provável é que Wade tenha traduzido o Hino Português, como era chamado em Londres na época e ficado com os louros.

João IV de Portugal, “O Rei Músico” nascido em 1604 foi um mecenas da música e das artes, assim como um sofisticado autor; foi também compositor e durante o seu reinado possuiu uma das maiores bibliotecas do mundo. A primeira parte da sua obra musical foi publicada em 1649.

Fundou uma escola de música em Vila Viçosa de onde saíam músicos para Espanha e Itália e foi aí, no seu palácio, que se acharam dois manuscritos desta obra. Esses escritos (1640) são anteriores à versão de 1760 feita por Wade.

De entre os seus escritos podemos encontrar “Defesa da Música Moderna (Lisboa, 1649) ano em que o Rei D. João IV lutou contra o Vaticano para conseguir a aprovação da música instrumental nas igrejas.

Uma outra famosa composição sua é “Crux fidelis”, um trabalho que permanece popular nos serviços eclesiásticos.

Adeste Fidelis letras

Assista o vídeo e acompanhe com as letras em latim:

A letra da música em latim

Adeste fideles læti triumphantes,

Venite, venite in Bethlehem.

Natum videte

Regem angelorum:

Venite adoremus (3x)

Dominum.

Deum de Deo, lumen de lumine

Gestant puellæ viscera.

Deum verum, genitum non factum.

Venite adoremus (3x)

Dominum.

Cantet nunc ‘Io’, chorus angelorum;

Cantet nunc aula cælestium,

Gloria! Soli Deo Gloria!

Venite adoremus (3x)

Dominum.

Ergo qui natus die hodierna.

Jesu, tibi sit gloria,

Patris aeterni Verbum caro factum.

Venite adoremus (3x)

Dominum.

Existem outros versos em latim em várias versões, como por exemplo:

En grege relicto, humiles ad cunas,

Vocati pastores adproperant:

Et nos ovanti gradu festinemus,

Venite adoremus (3x)

Dominum.

Æterni parentis splendorem æternum

Velatum sub carne videbimus

Deum infantem pannis involutum

Venite adoremus (3x)

Dominum

Cantet nunc hymnos chorus angelorum

Cantet nunc aula cælestium,

Gloria in excelsis Deo!

Venite adoremus (3x)

Dominum.

Um comentário em “Saiba o autor da música natalina Adeste Fidelis

  1. José Alberto Rodrigues
    05/01/2018

    Inglaterra, como sempre, a larápia do Mundo!
    País que construiu sua riqueza através de furtos.
    Pária das Nações!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 04/01/2015 por em Adeste Fidelis-autor e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.094.009 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

“A Cidade de Macau” uma canção de Filomeno Jorge “Russo”

“A Cidade de Macau” uma canção de Filomeno Jorge “Russo”

Foi-me repassado o link no You Tube da canção “A Cidade de Macau”, que não conhecia. É cantada por Filomeno A.M.Jorge (Russo), assim como é o compositor da bela canção e com letras de J.J.Monteiro. O vídeo está publicado no canal no You Tube de – boafilomena Os parabéns do Projecto Memória Macaense e Crónicas […]

Missa e Te-Deum no Encontro das Comunidades Macaenses-Macau 2019

Missa e Te-Deum no Encontro das Comunidades Macaenses-Macau 2019

Como já vem acontecendo nos Encontros das Comunidades Macaenses realizadas em Macau, o programa de 2019 incluía uma missa e Te-Deum na Sé Catedral que foi celebrada no dia 26 de Novembro às 18:00 horas pelo Bispo de Macau, D. Stephen Lee Bun-sang. Uma celebração religiosa e ação de graças para agradecer por mais uma […]

O hotel em Macau que é uma galeria de arte

O hotel em Macau que é uma galeria de arte

O Hotel Casino (Cassino) Lisboa, de Macau, inaugurado em 3 de Fevereiro de 1970, seis anos após o início das obras em 1964, o primeiro dos tempos modernos do outrora território português na China por cerca de 440 anos, e devolvido para a China em 1999, é por excelência uma galeria de arte com peças […]

%d blogueiros gostam disto: