Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Tiradentes, cidade histórica de Minas Gerais

Tiradentes MG 21

Visitar Tiradentes é como fazer uma viagem ao passado, ao século XVIII. Esta cidade histórica de Minas Gerais que fica a cerca de 480 km de São Paulo por rodovia, está bem preservada com seus casarios antigos restaurados de uma forma geral. Dá a impressão que está do jeito como era desde que foi fundada naquele século.

A cidade histórica foi a última que visitamos no nosso roteiro do tour contratado em Ouro Preto, onde visitamos Gongonhas do Campo, São João Del Rey e finalmente Tiradentes, onde permanecemos por três horas e almoçamos. Isto foi em agosto de 2012. A antiga Estrada Real, apesar de pista única, foi totalmente restaurada nos trechos que percorremos com pista em boas condições.

Veja a história de Tiradentes com fotos que tirei com gosto, pois são do tipo de paisagens e tema que aprecio bem. Até imagino que lá pernoitando por um ou dois dias, teria feito mais fotos e de outros lugares que não tivemos tempo para visitar.

Fotografa de/photos by Rogério P.D. Luz – clicar nas fotos menores para ampliar

Tiradentes MG 03

TIRADENTES – MINAS GERAIS

Texto de autoria de Cristina Ávila, extraído do site http://www.cidadeshistoricas.art.br/

A cidade de Tiradentes originou-se do pequeno arraial da Ponta do Morro, formado em inícios do século XVIII. Desde os últimos anos do século XVII, o paulista Tomé Portes del-Rei explorava o direito de passagem às margens do Rio das Mortes, num ponto conhecido como Porto Real da Passagem. Em 1702 João de Siqueira Ponte chega à região e, em companhia de Tomé Portes, descobre ouro nos córregos da redondeza. O local, denominado Ponta do Morro, logo se transforma em arraial com o afluxo crescente de garimpeiros. Pouco tempo depois, passa a se chamar Arraial da Ponta do Morro de Santo Antônio, em louvor ao santo de devoção dos moradores que aí se reuniram e ergueram uma capela.

Tiradentes MG 01

Graças à abundância do ouro encontrado, o arraial desenvolve-se rapidamente, sendo elevado à categoria de vila em 1718, quando recebe a denominação de São José del-Rei. Nas primeiras décadas do século XVIII, foi construída a maior parte de seu casario e de suas edificações religiosas, como a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em 1708, e a Matriz de Santo Antônio, em 1710. Ao redor das igrejas e capelas, localizadas em pontos elevados da cidade, as casas foram se firmando numa configuração que permanece até hoje.

A decadência da mineração, que já se manifestava em toda a Capitania das Minas Gerais desde 1750, só viria a ter reflexos no crescimento da Vila de São José no início do século XIX, quando as minas de ouro se esgotam. Apesar da escassez do metal, a Coroa Portuguesa lança a derrama, exigindo o pagamento compulsório de impostos atrasados do quinto do ouro, que em 1788 somavam mais de oito mil quilos.

Tiradentes MG 22

A atitude opressora da metrópole faz surgir o espírito revolucionário entre as camadas mais abastadas, reunindo militares, comerciantes e intelectuais no movimento mais tarde conhecido como Inconfidência Mineira. Em 1789, a denúncia do coronel Joaquim Silvério dos Reis coloca São José del-Rei entre as vilas mineiras envolvidas na conspiração. Entre os integrantes está o padre Carlos Correa de Toledo e Mello, vigário da então Freguesia de Santo Antônio, considerado um dos maiores propagadores do movimento.

No século XIX, os moradores da Vila de São José voltam-se para a agricultura e a pecuária, vendendo carne de porco, boi e carneiro para algumas localidades de Minas e, também, para o Rio de Janeiro. Em 1831a participação da mão-de-obra feminina na economia local é expressiva, especialmente no ramo da fiação e tecelagem. Em 1864 a localidade chega a possuir cerca de 70 teares, conta com 108 fiadeiras e tecedeiras, além de 44 costureiras, e a produção atinge cerca de 30.000 varas de pano. No entanto, a atividade não chega a alcançar proporções industriais.

Sem grandes alternativas econômicas, São José del-Rei, elevada à categoria de cidade em 1860, pouco se modifica. Sua integridade patrimonial e paisagística assegura-lhe um dos perfis coloniais mais autênticos de Minas Gerais e do Brasil.

Em 1889 recebe nova denominação, passando a se chamar Tiradentes, em homenagem ao herói da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier. Dessa época em diante, a cidade experimenta certo ritmo de expansão comercial com a implementação do ramal ferroviário da Estrada de Ferro Oeste-Minas e, mais tarde, do sistema rodoviário.

Tiradentes MG 60

Hoje, uma das importantes fontes de renda da cidade é o turismo, mantido graças ao grande interesse por seu conjunto arquitetônico colonial, quase inalterado. A cidade foi tombada como Patrimônio Histórico Nacional em 1938 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, resguardando-se não só seu conjunto arquitetônico como também áreas de seu entorno paisagístico, especialmente a imponente Serra de São José com agradáveis cachoeiras e vegetação remanescente da Mata Atlântica.

Foto acima: Chafariz de São José – Um dos mais belos exemplares do período colonial, o Chafariz de São José foi construído pela Câmara Municipal em 1749 para abastecer a cidade de água potável. Apresenta elementos tipicamente barrocos: pilastras, coruchéus, volutas e cruz. Possuem três carrancas esculpidas em pedra, que jorram água em um tanque único, um pequeno nicho com a imagem de São José de Botas e um brasão com as armas de Portugal. Atende ainda hoje à população, trazendo água puríssima da Serra de São José em antigo aqueduto de pedra.(site oficial da cidade)

Fotos acima e abaixo: Igreja Matriz de Santo Antônio é um dos mais belos templos barrocos de Minas Gerais. Sua fachada foi modificada em 1810 a partir de um risco encomendado a Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

Tiradentes MG 10

Almoçamos aqui. Boa comida e bom preço

Tiradentes MG 13

Pequenas capelas conhecidas como passos da Paixão de Cristo foram erguidas na cidade a partir de 1729, seguindo modelo do Rio de Janeiro. Somam seis ao todo, já que a sétima era armada na entrada da Matriz de Santo Antônio. Apresentam pequenas diferenças estéticas

Tiradentes MG 34

Tiradentes MG 25

O interessante relógio de sol, colocado no adro da igreja Matriz de Santo Antônio em 1785, tornou-se símbolo da cidade. É reproduzido em delicado trabalho de pedra-sabão pelos artesãos locais.

O interessante relógio de sol, colocado no adro da igreja Matriz de Santo Antônio em 1785, tornou-se símbolo da cidade. É reproduzido em delicado trabalho de pedra-sabão pelos artesãos locais.

Tiradentes MG 46

Construída a partir de 1760, a Capela de São João Evangelista abriga as irmandades do santo padroeiro, de São Francisco de Assis e de Nossa Senhora das Dores. A larga fachada é uma característica local. A ausência de torres faz com que a sineira seja alojada em uma das janelas laterais e o telhado se prolongue, enfatizando a horizontalidade do partido arquitetônico. Internamente, o arco cruzeiro e os altares laterais apresentam talha rococó de boa qualidade. Na capela-mor está sepultado Manoel Dias de Oliveira, um dos mais expressivos compositores da época.

Tiradentes MG 59

A Prefeitura Municipal

A Prefeitura Municipal

Foto abaixo: esquerda – o autor do blog e a Mia / direita – com o companheiro do tour Francisco Alencar e o guia Luíz Oréia.

Anúncios

2 comentários em “Tiradentes, cidade histórica de Minas Gerais

  1. Ana maria
    18/07/2016

    BOM DIA !
    Como fazer para levar meus alunos de escola pública?

    • Olá Ana, visitei Tiradentes como turista, assim não teria essa informação. Talvez se você consultasse a Prefeitura. Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 683,151 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: