Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Palestra de Jorge Rangel no Seminário sobre a língua portuguesa em São Paulo

Clique na seta acima para ouvir a palestra proferida por Jorge Rangel no Seminário – Português, Nova Língua de Poder e de Economia – sobre o tema: Língua e Cultura no Extremo Oriente, um legado valorizado. Ouça-o por completo pois traz informações interessantes sobre Macau.

IIM Seminário Lingua Portuguesa 1

IIM Seminário Lingua Portuguesa 2

Realizou-se no dia 14 de outubro de 2015 no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, o Seminário: Português, Nova Língua do Poder e de Economia, com palestrantes do Brasil, Portugal e de Macau.

Jorge Rangel, presidente doIM Instituto Internacional de Macau na sua palestra: Língua e Cultura no Extremo Oriente, um Legado Valorizado

Jorge Rangel, presidente do IIM Instituto Internacional de Macau na sua palestra: Língua e Cultura no Extremo Oriente, um legado valorizado, no Museu da Língua Portuguesa em São Paulo

O macaense Jorge Rangel, presidente do IIM – Instituto Internacional de Macau, entidade que ocupa o posto de ‘observador consultivo’ na CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, participou do Seminário e na sua intervenção falou sobre – Língua e Cultura no Extremo Oriente, um legado valorizado. Convido o amigo leitor a ouvir o áudio acima da palestra por completo, que fala da Macau após a transição com a preservação da língua portuguesa e o tratamento dado pelo governo chinês como a 2ª língua oficial do território devolvido por Portugal à China em dezembro de 1999.

Natural de Macau, Dr. Rangel, ou Jimmy, como a comunidade macaense costuma chamá-lo, momentos antes da sua intervenção, no intervalo para um café, teve um bom convívio com vários macaenses, inclusive o autor deste blog, que se deslocaram ao Museu localizado nas dependências da Estação da Luz para participar do Seminário e em especial para ouvir o filho da Cidade do Nome de Deus. Satisfeito em rever seus conterrâneos na capital paulista, logo destacou no início da sua palestra a presença dos membros da Casa de Macau de São Paulo.

Foi com emoção que Rangel diz ter sido tomado na visita ‘demorada e atenta’ às galerias do Museu, ‘essa casa especial e em memória à língua que falamos e que é contada de forma vistosa’. Como não podia faltar, falou sobre o patuá, dialecto de Macau candidata na forma de Teatro ao título de Patrimônio Cultural Intangível pela UNESCO e pela China, recitando trecho do poema de ‘Adé’, José dos Santos Ferreira, poeta macaense, que homenageia o Brasil.

Como poderão perceber no áudio que forem escutar, o presidente o IIM enaltece a ligação de Macau, mesmo já sob a administração chinesa, com os países da língua portuguesa e o progresso verificado no território. Uma sua observação que chamou atenção pela conturbada situação política e econômica do Brasil: “Macau não tem e nunca teve dívidas”, pelo que provocou comentário informal do moderador após a sua intervenção na seção do Seminário “A Língua Portuguesa no Mundo”, se Macau não aceitaria receber os políticos brasileiros para uma aula a respeito provocando risos da plateia.

Já no dia seguinte, Jorge Rangel seguiria para a cidade litorânea de Santos, a 74 quilômetros de São Paulo, para inaugurar a mostra de fotos promovida pelo governo de Macau através do IIM: Macau, uma história de sucesso, que é uma “exposição comemorativa do 15º aniversário da RAEM (Região Administrativa Especial de Macau)” que vem percorrendo pelo Brasil e por vários países. Para quem não saiba, com a transição de soberania de Macau, de Portugal para a China, a nova denominação oficial de Macau é RAEM.

Na próxima postagem, este blog falará dessa exposição em Santos, a viagem de comitiva da Casa de Macau de São Paulo para prestigiá-la e o convívio de conterrâneos com Jorge Rangel.

Foto do grupo da comunidade macaense de São Paulo, com a presença do autor deste blog e tirada pela esposa Mia

Foto do grupo da comunidade macaense de São Paulo com Jorge Rangel, com a presença do autor deste blog e tirada pela esposa Mia no intervalo do Seminário

Foto do grupo da comunidade macaense de São Paulo, tirada pelo autor deste blog

Foto do grupo da comunidade macaense de São Paulo cm Jorge Rangel, tirada pelo autor deste blog

Jorge Rangel Seminario no Museu da Lingua Portuguesa 09

De acordo com a Wikipédia: “a língua portuguesa está no cotidiano de 241 milhões de pessoas, que têm contato direto ou indireto legal, jurídico e socialmente com a língua portuguesa …”, e pode-se acrescentar cerca de 10 milhões (4,5 milhões de portugueses, 3 milhões de brasileiros, meio milhão de cabo-verdianos, etc.) por conta da imensa diáspora de cidadãos de nações lusófonas espalhada pelo mundo. O português é a 5ª língua mais falada no mundo, a 3ª mais falada no hemisfério ocidental e a mais falada no hemisfério sul da Terra.

Em Macau, antigo território sob administração portuguesa na China por cerca de 440 anos, com uma população que já passa de meio milhão de habitantes, talvez cerca de 10 mil pessoas falem o português, e é a 2ª língua oficial depois do chinês. A diáspora macaense (não é chamada de macauense) está espalhada em Portugal e no Brasil onde continuam a falar o português, além da América do Norte, o Canadá, Austrália, e em menor número noutros países, como a Inglaterra. Nesses últimos países de língua inglesa, vários membros da comunidade mas nem todos, tanto devido às cidades de origem como Xangai dos tempos de colonização estrangeira, e a antiga colônia inglesa de Hong-Kong, ou pela falta de uso no dia-a-dia, não falam o português ou o esqueceram, apenas sabendo pronunciar certas frases ou palavras de forma pitoresca. Caberia sim às instituições de direito ligadas a Macau e às comunidades macaenses, oferecer apoio àquelas que se propõem a lecionar a língua portuguesa aos seus membros através das suas associações.

Jorge Rangel, na sua palestra, cita que na China, devido às suas relações comerciais com países lusófonos, hoje já tem cerca de 20 universidades que lecionam a língua portuguesa diante de 4 unidades em épocas anteriores.

Vamos esperar que a língua portuguesa ganhe mais espaço no mundo e nós, membros da comunidade macaense, já que este blog tem esta origem, saibamos nos conscientizar da sua importância no nosso meio pois, afinal de contas, temos a Macau dos tempos dos portugueses como o início da nossa formação. É de salientar, de meu conhecimento, que nos EUA, a Casa de Macau tem empreendido esforços para a promoção do ensino da língua portuguesa à sua comunidade. Curioso também contar que alguns membros da comunidade oriundos de Hong-Kong que conheci, sabiam falar bem o patuá, dialecto antigo de Macau, porém nada do português que é a sua base principal.

Quem é Jorge Rangel?

Nota curricular da Comissão Temática de Promoção e Difusão da Língua Portuguesa dos Observadores Consultivos da CPLP 

Jorge Alberto Hagedorn Rangel, Presidente do Instituto Internacional de Macau, desde Dezembro de 1999, foi membro do Governo de Macau durante 13 anos, com a tutela das áreas da Educação, Cultura e Turismo (1981 – 86) e da Administração Pública, Educação, Juventude e Desporto (1991 – 99), tendo sido também responsável pelos assuntos da Transição e ligação à Comissão Preparatória da Região Administrativa Especial de Macau. Foi deputado eleito à 1ª legislatura da Assembléia Legislativa de Macau (1976 – 80), onde presidiu à Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e à Comissão do Regimento e Mandatos, e membro do Conselho de Redação da Lei Básica da Região Administrativa Especial de Macau (1988 – 91). Foi membro do Conselho Consultivo do Governador de Macau (1987 – 91) e presidiu aos Conselhos de Educação, Cultura, Juventude e Desporto de Macau.

Com participação ativa em organismos internacionais, foi membro do Conselho Executivo da Organização Mundial de Turismo, presidente da EATA – East Asia Travei Association e presidente regional da PATA – Pacific Asia Travei Association, com sedes, respetivamente, em Madrid, Tóquio e Banguecoque. Apresentou a candidatura oficial de Macau à UNESCO, em Paris, como membro associado, tendo coordenado o grupo de membros associados. No âmbito do ensino superior, além de funções docentes, presidiu à comissão instaladora do Instituto Politécnico de Macau, de que é presidente honorário, bem como à comissão permanente do Conselho da Universidade de Macau e à comissão que fez a conversão da Universidade da Ásia Oriental (privada) em instituição pública (Universidade de Macau), integrou as comissões instaladoras da Faculdade de Ciências da Educação e do curso de Administração Pública da Universidade de Macau e é professor convidado de várias universidades e diretor honorário do Centro de Estudos Comparativos de Culturas da Universidade de Soka (Tóquio), tendo sido também conferencista do Instituto da Defesa Nacional de Portugal. É membro da Comissão Externa de Acompanhamento e Avaliação do Instituto do Oriente (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas) e participa regularmente em conferências acadêmicas internacionais, tendo presidido à sessão sobre Multiculturalismo no Congresso sobre Diálogo das Civilizações, em Tóquio e Osaka, no âmbito da Universidade das Nações Unidas.

Foi Presidente do Elos Internacional – Movimento da Comunidade Lusíada (1999 -2003), com sede em Santos (Brasil), presidente da Direção da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, a cujo Conselho Supremo preside atualmente e é presidente da Assembleia Geral da Associação Promotora da Instrução dos Macaenses, do Conselho Consultivo da Associação da Gestão de Macau e do Conselho Consultivo do Conselho das Comunidades Macaenses. É membro dos Conselhos de Curadores das Fundações do Santo Nome de Deus, Jorge Álvares e Casa de Macau, todas ligadas a Macau, do Conselho de Administração do Observatório da Língua Portuguesa e membro da Sociedade de Geografia de Lisboa e de várias outras organizações culturais e científicas nacionais e estrangeiras.

Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo

Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo

  • Conheça o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo nesta postagem: https://cronicasmacaenses.com/2014/01/25/museu-da-lingua-portuguesa-em-sao-paulo/
  • O vídeo da palestra de Jorge Rangel vai ser lançado futuramente após a edição, pois devido ao improviso e condições desfavoráveis para a sua filmagem demandará algum tempo para edição. Por isso a opção de lançamento prévio apenas do áudio extraído do vídeo.
  • Fotografia/áudio por-photos/audio by Rogério P.D. Luz e Mia Luz
Anúncios

2 comentários em “Palestra de Jorge Rangel no Seminário sobre a língua portuguesa em São Paulo

  1. Pingback: Exposição “Macau – uma história de sucesso” em Santos no litoral de São Paulo | Crônicas Macaenses

  2. Pingback: Comunidade macaense passeia pelo litoral de São Paulo e visita ‘Macau’ | Crônicas Macaenses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 642,013 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

As estórias de Margarida Ribeiro ambientadas em Macau e na China

As estórias de Margarida Ribeiro ambientadas em Macau e na China

Acompanhada do macaense Delfino Ribeiro, a escritora madeirense Margarida Ribeiro em 29 de dezembro de 2005  visitou a Casa de Macau de São Paulo no dia da festa de Natal. Na ocasião, quis presentear a comunidade macaense com o seu livro de estórias “A Mui” ambientado na China e em Macau “terra maravilhosa onde a vida tantas vezes confunde […]

%d blogueiros gostam disto: