Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Memórias do Carnaval de São Paulo

Hoje os desfiles de escolas de samba do Carnaval de São Paulo alcançaram o lugar que merecem pelo tamanho da metrópole. Pouco ou nada perdem para os do Rio. Mas, nos tempos antigos não tinham recursos e poucos participantes, fantasias discretas, sem falar nos carros alegóricos,

Como imigrante recém-chegado e curioso para ver o carnaval brasileiro que tanto ouvia falar em Macau, ia assistir os defiles que antigamente eram realizados na Avenida São João e depois na Avenida Tiradentes.  Naqueles tempos, o espaço era do povo e todos podiam ir ver o espetáculo na avenida sem pagar nada. Hoje, realizado em recinto fechado, só assiste quem conseguir comprar bilhete, uma missão bastante difícil.

Veja algumas imagens publicadas no site Fotos Públicas, com a fonte atribuída ao arquivo da USP Imagens:

Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé em 1975. Na foto já aparecem as grandes arquibancadas com iluminação adequada e avenida desimpedida. (USP Imagens)

Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé em 1975. Na foto já aparecem as grandes arquibancadas com iluminação adequada e avenida desimpedida. (USP Imagens)

Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé desfilando na Avenida Tiradentes. Aqui aparecem as cabines dos juízes, iluminação feéricas e principalmente plataforma para câmeras de televisão. (USP Imagens)

Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé desfilando na Avenida Tiradentes. Aqui aparecem as cabines dos juízes, iluminação feéricas e principalmente plataforma para câmeras de televisão. (USP Imagens)

Carnaval de Sao Paulo imagens historicas de USP Imagens 07

São Paulo- SP- Brasil- Carnaval na década de 1950. Pato N’água, grande sambista e apitador no Cordão da Camisa Verde e Branco no Vale do Anhangabaú.(USP Imagens)

Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé desfilando em 1974-75 com o tema “Rei por um Dia”. A utilização de figuras reais nos desfiles era uma constante. Elas foram paulatinamente sendo substituídas pela figura do Mestre-Sala e da Porta-Bandeira. (USP Imagens)

Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé desfilando em 1974-75 com o tema “Rei por um Dia”. A utilização de figuras reais nos desfiles era uma constante. Elas foram paulatinamente sendo substituídas pela figura do Mestre-Sala e da Porta-Bandeira. (USP Imagens)

Carnaval de Sao Paulo imagens historicas de USP Imagens 08

São Paulo- SP- Brasil- Desfile da Escola de Samba Camisa Verde e Branco. O personagem da foto é Delegado, famoso sambista carioca pertencente a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira.(USP Imagens)

Dionísio Barbosa, aos 85 anos, fundador do primeiro cordão carnavalesco paulista, O Grupo Carnavalesco da Barra Funda, mais tarde popularmente chamado de Camisa Verde. (USP Imagens)

Dionísio Barbosa, aos 85 anos, fundador do primeiro cordão carnavalesco paulista, O Grupo Carnavalesco da Barra Funda, mais tarde popularmente chamado de Camisa Verde. (USP Imagens)

Primeiro folguedo negro criado especialmente para desfilar no carnaval paulistano. O cordão do Camisa Verde e Branco. Criado por Dionísio Barbosa. Aqui vemos “Camponeses do Egito”. (USP Imagens)

Primeiro folguedo negro criado especialmente para desfilar no carnaval paulistano. O cordão do Camisa Verde e Branco. Criado por Dionísio Barbosa. Aqui vemos “Camponeses do Egito”. (USP Imagens)

Carnaval de Sao Paulo imagens historicas de USP Imagens 01

São Paulo- SP- Brasil- Grupo de crianças do Cordão do Camisa Verde e Branco na romaria a Bom Jesus de Pirapora em 1925. Havia uma ligação muito grande dos cordões carnavalescos paulistanos e a Festa de Bom Jesus de Pirapora.(USP Imagens)

  • Publicação de fotos de acordo com os Termos de Uso de Fotos Públicas
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 31/01/2016 por em Carnaval-fotos históricas e marcado , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 881.084 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

%d blogueiros gostam disto: