Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Receita de “lacassá (bifum/mai fân) à moda de Singapura”

Casa Macau Sao Paulo aula gastronomia lacassa singapura (01)

Em aula de gastronomia macaense ministrada por Natércia Luz Silva na Casa de Macau de São Paulo em março de 2016, o prato, desta vez, foi “lacassá à moda de Singapura”.

Na introdução da receita, consta: Lacassá, macarrão de arroz, “rice vermicelli” ou “mai fan” é uma massa feita com farinha de arroz.  Podemos usá-la frita ou em sopa com camarões frescos preparada com balichão ou molho de tomate e pimenta vermelha.

No Brasil, o lacassá é mais conhecido como bifum, como se vê nos cardápios de restaurantes chineses (em chinês: Singapura fala-se Singapó), e é encontrado nas mercearias chinesas do bairro de Liberdade ou até em alguns supermercados. Em Macau, também costuma-se falar mai fân, em chinês cantonense.

Esclarece a Natércia que o Malay (de Malásia) Min não é lacassá.  Na Malásia usa-se um macarrão mais grosso ou egg noodle (macarrão de ovos) mas sempre com muito chili paste (pasta apimentada). Comem muito apimentado, não com curry mas com chili e pouca carne.

Veja a receita em PDF ou na imagem abaixo, clicando nela para aumentar:

Receita Lacassa a moda de Singapura por Natercia Luz Silva

Obs.: no lugar de “chá siu“, para quem não conhece ou não sabe fazer, Natércia esclarece que pode ser substituído por carne de porco ou frango fatiada e cortada em tirinhas, e temperada com sal e pimenta do reino.  Fritar posteriormente em pouco óleo.

Clicar no texto a seguir para baixar o arquivo da receito em PDF

Receita Lacassá à moda de Singapura por Natercia Luz Silva

Casa Macau Sao Paulo aula gastronomia lacassa singapura (02)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 954.886 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O ‘Dia do Patuá’ festejado pela Comunidade Macaense dos EUA

O ‘Dia do Patuá’ festejado pela Comunidade Macaense dos EUA

‘A promoção do ‘Dia do Patuá’ é um esforço para preservar o dialecto na Comunidade Macaense da Califórnia, nos Estados Unidos da América do Norte’ é o que define Henrique Manhão da Casa de Macau dos EUA. Diz, conciliando com o pensamento de outros membros da comunidade presente, ‘enquanto houver apoio de Macau, o patuá não […]

Recordação de uma festa na Macau de 1953

Recordação de uma festa na Macau de 1953

Jorge Giga Robarts, macaense residente em Portugal, atendendo ao pedido de um conterrâneo, identifica as pessoas que estão numa fotografia enviada, informando ter sido tirada em Dezembro de 1953 em Macau. A 2ª imagem com legenda e que lista as pessoas da foto, foi editada para apenas mostrar o que escreveu quanto à identificação, excluindo […]

Memórias de Macau de Todos os Tempos (02)

Memórias de Macau de Todos os Tempos (02)

Imagens que trazem saudosas lembranças daquela Macau que não existe mais, mas que permanece viva na nossa memória e nas fotografias a seguir publicadas de forma aleatória, a procurar dar uma descrição a confirmar ou corrigir. O que vale mesmo é o que se diz – recordar é viver! As fotos são dos anos 50 […]

%d blogueiros gostam disto: